Doméstica confessou o crime e alegou que sofria constantes agressões.

Após serem detidas em Cristalina, elas foram autuadas no Ciops de Luziânia.
Após serem detidas em Cristalina, elas foram autuadas no Ciops de Luziânia.

A empregada doméstica Zuleide de Azevedo, de 38 anos, foi presa após confessar que matou o marido, Odácio Caetano Luiz, de 43, a marretadas, na madrugada deste sábado (28), em Cristalina, região leste de Goiás. A mulher disse que contou com a ajuda da filha do casal, uma adolescente de 17 anos, para cometer o crime.

Após ser detida, Zuleide alegou que assassinou o marido porque sofria constantes agressões. “Desde quando nós somos casados que ele sempre foi violento com a gente lá em casa. Bebia, era usuário [de drogas] e de um tempo para cá, ele se tornou mais violento ainda. Isso gerou uma revolta, uma raiva muito grande que me levou a fazer isso aí”, afirmou.

Apesar de tentar justificar o homicídio, o delegado responsável pelo caso, André Soares, disse que o crime não se configura como legítima defesa, já que a vítima estava inconsciente.

“Ambas foram autuadas no artigo 121, no homicídio qualificado, quando a vítima não tem possibilidade de se defender. [Elas] vão ser entregues ao poder judiciário para analisar a questão”, explicou Soares.

As duas foram detidas no Bairro Cristal, em Cristalina, e conduzidas para o Centro de Operações Integradas de Segurança (Ciops) de Luziânia, onde foram autuadas. A mulher foi levada para o Presídio de Luziânia, onde vai aguardar por julgamento. Já a menor apreendida será encaminhada para um centro de internação socioeducativo da região.

FONTE=G1