Laudo aponta cocaína em carro de médica que provocou acidente em estrada de Cruzeiro do Sul

Sobrevivente do acidente ficou sabendo da morte da amiga há 8 dias;
Sobrevivente do acidente ficou sabendo da morte da amiga há 8 dias;

Laudos periciais entregues à Polícia Civil confirmam resquícios de cocaína em papelotes recolhidos no carro de uma médica envolvida em um acidente de trânsito que matou uma mulher e deixou outra gravemente ferida em Cruzeiro do Sul (AC), em 13 de setembro deste ano, na Rua Nova Olinda. Os exames também apontaram resquícios de medicamento de uso controlado nas seringas encontradas no veículo.

A médica Alderlane Ildefonso da Rocha perdeu o controle da direção do carro que dirigia e atingiu uma motocicleta na contramão e capotou em seguida, aponta a perícia. A condutora da moto, Rosa Maria da Costa Lima, 40 anos, morreu no local, já Maria de Jesus Oliveira que estava na garupa da moto sofreu ferimentos graves, mas sobreviveu.

“Nas duas seringas foi constatada a presença do medicamento midazolam, usado para dormir, além de sangue humano. Só não foi possível afirmar se a condutora do veículo havia ingerido tanto o remédio, quanto a cocaína, em virtude dela se negar a fazer o exame toxicológico. Se o indivíduo pode fazer a prova e se recusa, significa que pode ter algo a perder.

As perícias são conclusivas e pode se direcionar a responsabilidade total da motorista do carro, tanto é que ela foi indiciada por homicídio doloso através do dolo eventual, quando se assume o risco de produzir o resultado”, explica o delegado, Luiz Tonini, responsável pela investigação.

Depois de quase três meses em Rio Branco, onde estava se tratando, a mulher que sobreviveu ao acidente voltou para a casa onde mora em Cruzeiro do Sul. Maria de Jesus sofreu traumatismo craniano e fratura exposta no fêmur com perda óssea, resultando no encurtamento do membro.

“Eu passei dois meses inconsciente e só fiquei sabendo da morte da minha amiga há oito dias. Agradeço a Deus por ter sobrevivido, apesar da situação que estou. Não lembro nada sobre o acidente. Recordo apenas que a gente tinha saído para visitar o túmulo do pai da minha amiga que havia morrido há poucos dias”, comenta.

Procurado pelo G1, o advogado da médica, Frederico Felipe, disse que no momento está concentrado junto com a sua cliente em ajudar a vítima do acidente e ainda não tomou conhecimento dos laudos. Mas prometeu se manifestar assim que tomar conhecimento formal.

Escrito Por G1/Acre

12