Conceição gravou o primeiro CD em julho deste ano. Mãe de 8 filhos, ela sonha em retomar o curso de letras na Ufac. 

Conceição canta aos sábado na entrada de açougue (Foto: Genival Moura/G1)
Conceição canta aos sábado na entrada de açougue (Foto: Genival Moura/G1)

Ex-estudante universitária, Maria da Conceição de Freitas Souza, de 46 anos, largou o curso de letras português no sexto período, na Universidade Federal do Acre (Ufac), por falta de dinheiro para pagar o transporte até a instituição. Hoje, ela ganha a vida cantando e dançando em frente a um açougue, em Cruzeiro do Sul (AC).

Conceição é viúva e mãe de oito filhos, dos quais quatro ainda moram com ela, além de dois netos. “Eu sou pai e mãe dos meus filhos e para sustentá-los com dignidade vou até limpar quintal se for preciso. Algumas pessoas me olham e fazem deboche, antes eu sofria muito com isso, agora recebo como motivação para melhorar o meu trabalho. Acho que são pessoas sem coragem de enfrentar a vida. Agradeço mesmo aqueles que me apoiam e curtem o meu trabalho”, comenta.

As apresentações ocorrem todos os sábados pela manhã em frente ao açougue localizado na tradicional Praça de Táxi de Cruzeiro do Sul. “O movimento melhora bastante quando a Conceição canta e com certeza vendemos mais, por isso que a gente mantém essa parceria”, ressalta Antônia de Araújo Lima, esposa do proprietário do açougue.

Além do açougue, a ex-estudante atende convites para cantar em aniversários e casas de festa. Em julho deste ano, ela gravou o primeiro CD com o apoio que recebeu da Secretaria de Pequenos Negócios do Governo do Estado.

“São 12 músicas em ritmos de forró e arrocha, seis delas tem a minha autoria e arranjo. Graças a Deus consegui realizar esse sonho, pena que não tenho condições de sair para divulgar um pouco mais o meu trabalho”, relata a cantora.

Uma das metas da artista é terminar o curso de Letras Português. Ela conta que foi obrigada a parar de estudar quando perdeu um trabalho temporário de secretária de uma escola pública. “Tive dificuldade de continuar pagando o transporte e parei, mas em breve vou voltar a estudar e realizar o meu sonho de concluir esse curso. Os meus colegas da faculdade dão a maior força e admiram o meu esforço para sustentar minha família”, conclui.

Genival Moura Do G1 AC