A prisão do ex-senador foi efetuada pela guarda nacional da Bolívia

555

Agentes da Polícia Federal em Rondônia prenderam no início da noite da última quarta feira (20), o ex-senador Mário Calixto Filho, na cidade boliviana de Guayará Mirin (distante 400 km de Porto Velho, quando tentava participar de uma reunião binacional entre autoridades daquele país e políticos brasileiros.

A prisão do ex-senador foi efetuada pela guarda nacional da Bolívia, a pedido do delegado da PF em Guajará Mirim, Júlio Mitsuo Fujik, que ao perceber a presença de Calixto no encontro, acionou os colegas estrangeiros.

Da reunião participavam entre outros políticos o governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB). Mário Calixto Filho estava foragido da justiça rondoniense desde junho passado, quando fugiu de um hospital particular em Porto Velho, onde estava preso em tratamento de saúde, mas sem escolta policial.

Ao ser preso, Mário Calixto apresentou cópia de um documento de que seria refugiado político na Bolívia, mas a polícia não reconheceu o benefício.

Ele foi condenado por desvio de dinheiro público da Assembléia Legislativa de Rondônia, nas Centrais Elétricas de Rondônia e por tráfico de influencia para garantir isenção fiscal.

O ex senador está preso na cadeia pública de Guyará Mirin e só poderá ser extraditado para o Brasil, com autorização da chancelaria boliviana.

Mário Calixto é dono do jornal Estadão de Rondônia e foi senador no ano de 2004, quando o então senador Amir Lando assumiu o Ministério da Previdência.

FONTE-AC24HORAS-Jairo Barbosa