Paca atende pelo nome de ‘Zé’, em Mâncio Lima.
Animal é dócil e foi adotado pela família há um ano.

Agricultor segura paca de estimação no colo (Foto: Genival Moura/G1)
Agricultor segura paca de estimação no colo (Foto: Genival Moura/G1)

Um animal que pede comida, brinca com os cães e atende pelo nome de Zé, essas são características de uma paca que a família de um agricultor do município de Mâncio Lima, na região oeste do Acre, adotou há um ano, como um inusitado bicho de estimação.

Paca é um roedor bastante comum na Amazônia, mas quando criado na floresta é difícil de ser visualizado por ser rápido e possuir hábitos noturnos. Só que o animal criado domesticamente se tornou dócil e relaxa quando é segurado no colo pelo agricultor e seus familiares. O roedor se alimenta de mandioca e frutas como buriti, melancia e mamão.

Um animal que pede comida, brinca com os cães e atende pelo nome de Zé, essas são características de uma paca que a família de um agricultor do município de Mâncio Lima, na região oeste do Acre, adotou há um ano, como um inusitado bicho de estimação.

Paca é um roedor bastante comum na Amazônia, mas quando criado na floresta é difícil de ser visualizado por ser rápido e possuir hábitos noturnos. Só que o animal criado domesticamente se tornou dócil e relaxa quando é segurado no colo pelo agricultor e seus familiares. O roedor se alimenta de mandioca e frutas como buriti, melancia e mamão.

Genival Moura Do G1 AC

Paca foi adotada há um ano pela família (Foto: Genival Moura/G1)
Paca foi adotada há um ano pela família (Foto: Genival Moura/G1)