E os chineses estão no Acre, de olho no peixe, suíno, aves, carne bovina. 

veja o vídeo

Governador Tião Viana apresentou à comitiva chinesa principais investimentos na área econômica e social (Foto: Sérgio Vale/Secom)
Governador Tião Viana apresentou à comitiva chinesa principais investimentos na área econômica e social (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Tatiana Campos

A China é um país com economia muito aberta e já se tornou referência em comércio exterior, ou seja, ela é um mercado enorme para o mundo. O país já é o maior parceiro comercial do Brasil e consome muitos produtos brasileiros, principalmente agropecuários. A China importa cada vez mais madeira fabricada na América do Sul e já é o maior consumidor de açúcar do Brasil.

E os chineses estão no Acre, de olho no peixe, suíno, aves, carne bovina. O Acre tem potencial para exportar para o mercado chinês a partir da rota do Pacífico e foi esse potencial que uma comitiva de empresários chineses, liderada pelo embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang veio conhecer. O grupo, que veio prospectar novos negócios, se reuniu na manhã desta segunda-feira, 11, com o governador Tião Viana, no Palácio Rio Branco.

“Nós vimos que o crescimento econômico é a base do desenvolvimento social, e que, assim como na China, os acreanos dão valor às pessoas. A economia se desenvolve para criar condições melhores para o povo. Os indicadores acreanos de saneamento, educação, empregos são muito bons e isso também é um ponto em comum com a China”, disse o embaixador chinês.

Li Jinzhang acrescentou que tanto a indústria de madeira quanto a de açúcar tem encontrado atenção especial no Acre. “O fato de estar no interior do Brasil poderia ser uma desvantagem, mas vocês souberam transformar isso em vantagem porque o centro comercial do mundo hoje quer fazer negócios pelo Pacífico. Queremos fortalecer ainda mais as cooperações que existem e aproveitar melhor as oportunidades”, comentou o embaixador.

A agenda da comitiva chinesa no Acre teve início com uma apresentação sobre o estado e os indicadores apontados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). O Acre está investindo dois milhões de dólares entre 2011 e 2014, além dos investimentos na região, como a hidrelétrica do Madeira o projeto nacional para a ferrovia. O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) tem sido contínuo nos últimos anos. A taxa de desemprego é a terceira melhor do país. Os resultados na área social também são visíveis. O Acre está entre os cinco estados do país com menor taxa de mortalidade infantil e foi o que mais reduziu o número de mortes nos últimos dez anos.

Empresários chineses e embaixador da China no Brasil vieram ao Acre prospectar novos negócios e estabelecer parcerias (Foto: Sérgio Vale/Secom)

“Esta é a segunda visita que um embaixador chinês faz ao Acre e dessa vez, acompanhado de uma comitiva de empresários, dirigentes de bancos, falou de uma riqueza de um U$ 1, 7 trilhão por ano e o interesse total em investir na nossa região, em associação com os empresários acreanos. O embaixador sentiu segurança jurídica, viu plataforma de investimento muito oportuna e certamente o resultado será uma parceria”, observou o governador Tião Viana.

A comitiva chegou ao Acre através da rodovia do Pacífico, para conhecer a estrada. “Estamos a 1,5 mil quilômetros do Pacífico, mais de três mil do Atlântico, falam também numa ferrovia como associação empresarial. Mas o que importa é que o Acre está 14 dias a menos para chegar à China, do que a rota que passa pelo Canal do Panamá. Isso é uma vantagem comparativa nas relações econômicas futuras”, explicou Tião Viana.

A deputada federal Perpétua Almeida, vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, acompanhou a agenda. “A China é o principal parceiro comercial do Brasil e o Acre é um estado que tem se esforçado para melhorar suas relações comerciais, se desenvolver economicamente, e precisamos de parceiros como a China, que possam vir aqui, investir, gerar emprego”.

Os chineses vão conhecer a Zona de Processamento de Exportação (ZPE), o complexo de piscicultura e os investimentos agroindustriais da região do Alto Acre.