Iracy de Almeida e o neto, mesatenista Rodrigo Mendes (Foto: Reprodução/TV Acre)

Rodrigo Mendes, 15 anos, vende detergente para ajudar a família, estuda e treina.

Iracy de Almeida e o neto, mesatenista Rodrigo Mendes (Foto: Reprodução/TV Acre)
Iracy de Almeida e o neto, mesatenista Rodrigo Mendes (Foto: Reprodução/TV Acre)

Na próxima semana as equipes acreanas começam a embarcar para Belém (PA) para disputar a fase nacional dos Jogos Escolares da Juventude Sub-17. No tênis de mesa, um garoto da periferia de Rio Branco enfrenta as dificuldades, mas acredita em futuro melhor por meio do esporte. O apoio da família para Rodrigo Mendes, de apenas 15 anos, é fundamental.

Compromisso e generosidade são palavras que poderiam descrever a personalidade do filho da dona Cristiana e neto da Iracy. Ele é o caçula de três filhos, mas nem por isso deixa de ajudar em casa. A avó é o xodó do adolescente, uma das novas promessas da modalidade no estado.

– Ele me ajuda muito. Vende detergente para mim – diz Iracy de Almeida.

Não bastasse o amor pela família, o acreano é esportista e dos bons. Conheceu o handebol por meio de um primo, mas foi no tênis de mesa que despontou. A ascensão foi rápida. As medalhas e os troféus estão aí para comprovar o talento do jovem atleta.

Bolsa ajuda

O orçamento da família é curto, por isso ele conta com uma bolsa da AABB, clube de Rio Branco, para praticar a modalidade.

– No começo não queria que ele fosse. Rodrigo não vai. Ele passava o dia lá. Mas aí depois ele foi conversando comigo. Conversei com o professor dele e me explicou. No colégio não estava bem, agora já está – afirma a mãe.

O caminho da casa para a sede do clube é de pé. No trajeto, que se repete duas vezes na semana independente da chuva ou do sol, Rodrigo aproveita para sonhar.

– Penso em treinar e estudar ao mesmo tempo, e viajar também. Gostaria de ir para Natal porque gosto de ir lá e ver o mar – conta o mesatenista.

A partir do dia 7 de novembro, Rodrigo e uma delegação composta por 88 atletas representam o Acre na fase nacional dos Jogos Escolares. Ele se diz ansioso e nervoso, mas sempre focado.

– Tem que ter esse nervosismo, mas vou tentar voltar com as medalhas.

Colaborou Shara Alencar, da TV Acre.

Por  Rio Branco, AC