Peças de artilharia estavam nos destroços do Queen Anne’s Revenge.

Membros da Guarda Costeira americana erguem um dos canhões recuperados de navio naufragado em 1718 na costa da Carolina do Norte (Foto: Karen A. Blum/NCDCR/AFP)
Membros da Guarda Costeira americana erguem um dos canhões recuperados de navio naufragado em 1718 na costa da Carolina do Norte (Foto: Karen A. Blum/NCDCR/AFP)

Cinco canhões de um navio que naufragou sob o comando do lendário pirata “Barba Negra” foram recuperados por arqueólogos americanos, confirmaram fontes oficiais nesta quarta-feira (30). Segundo funcionários do governo, essas peças de artilharia foram retiradas na segunda-feira (28) dos destroços do navio Queen Anne’s Revenge, que afundou na costa da Carolina do Norte.

Os canhões foram escavados por uma equipe vinculada ao Departamento de Recursos Culturais do estado. Quatro deles pesavam entre 900 e 1.360 quilos.

O diretor do projeto, Billy Ray Morris, disse acreditar que o maior dos canhões tenha sido feito na Suécia.

“Acreditamos que o maior canhão possa ser de origem sueca porque outro recuperado com esse tamanho era feito na Suécia”, afirmou Morris.

“Também esperamos recuperar duas grandes concreções (rochas sedimentares), cada uma com o tamanho de um beliche. Elas podem conter arcos de barril, balas de canhão e outros tesouros”, acrescentou.

Até agora, as autoridades da Carolina do Norte recuperaram cerca de 280 mil artefatos do local. “Barba Negra”, que tinha como nome verdadeiro Edward Teach, ganhou fama no início do século XVIII, quando aterrorizava os exploradores que seguiam pelas colônias do Caribe e dos EUA.

O pirata morreu em uma batalha com forças britânicas no fim de 1718. Descoberto em 1996, o navio Queen Anne’s Revenge foi encalhado de propósito no mesmo ano da morte de “Barba Negra”.

FONTE-G1 Da France Presse