Após acesso, vice desabafa: ‘Nenhum atleta do Ressaca vive do futsal’

Clebson Venâncio fala sobre desafios que o time enfrentou e planeja temporada 2014:

Torcida do Ressaca, clube de Brasiléia, interior do Acre (Foto: Divulgação/SC Ressaca)
Torcida do Ressaca, clube de Brasiléia, interior do
Acre (Foto: Divulgação/SC Ressaca)

A equipe do Ressaca disputou pela primeira vez o Campeonato Acreano de Futsal da 1ª Divisão. De forma surpreendente, o debutante garantiu lugar na elite do futsal local na temporada 2014. O caminho foi longo. Entre a pouca estrutura e o sonho de representar o estado em uma competição nacional, o clube de Brasiléia quer vencer uma dificuldade por vez.

Em conversa com o GloboEsporte.com, o vice-presidente do time, Clebson Venâncio, desabafou sobre os desafios que a equipe venceu durante a competição e ressaltou o empenho dos atletas. O acesso, segundo o dirigente, não foi surpresa.

– Foi uma competição muito difícil, principalmente pelo formato de disputa, que foram jogos em sequência. A maior dificuldade é esse tipo de disputa. Tivemos jogos três vezes na semana, sendo duas partidas fora do município. Nenhum atleta do Ressaca vive do futsal, todos trabalham e fica difícil levar a equipe para jogos fora do município duas vezes na semana. Apesar de ser o primeiro ano, nosso pensamento sempre foi esse (de subir). Treinamos cerca de 40 dias antes do início e o saldo foi positivo.

Caçula no futsal acreano, o Ressaca agora já planeja a próxima temporada. Pela primeira vez, o time vai disputar a 1ª Divisão e enfrentará os melhores times do estado na briga para representar o Acre na Taça Brasil.

– A partir de janeiro vamos começar a preparação do time para a 1ª Divisão. Iremos correr atrás de patrocinadores porque sabemos que a despesas são maiores. Vamos continuar com nossos pensamentos de estruturar nosso clube, com sede e ginásio. Nos meses de março, abril e maio ocorre em Brasiléia o Municipal e iremos usar essa competição como preparação para chegamos bem no Estadual de 2014 – completou.

Em oito jogos disputados na Segundona deste ano, o Ressaca venceu quatro, perdeu três e empatou um.

Por João Paulo Maia Rio Branco, G1-AC