Não houve intoxicação de nenhum funcionário

Paulo Santoyo
Paulo Santoyo

JOSÉ PINHEIRO

, Diretor-geral do Frigorífico AcreAves, descartou a possibilidade de intoxicação de funcionários por qualquer produto químico. O diretor o explicou o que ocorreu. Segundo ele, a parada em uma bomba d’água do complexo fez com o sistema de segurança fosse acionado. 

“Temos um protocolo de segurança bem criterioso. Ele detectou a parada de uma bomba d’ água e imediatamente evacuamos o prédio. Não houve intoxicação de nenhum funcionário. O que houve foram duas senhoras que passaram mal na evacuação do prédio”, ressaltou o diretor.

Ele explicou, ainda, que a evacuação do prédio é uma medida de segurança adotada nos grandes frigoríficos do mundo. Para ele, a informação dada aos médicos do hospital de Brasiléia foi repassada de modo equivocada.

“O problema é que ao chegarem no Hospital fizeram um alarde falso, que haveria intoxicação, não por maldade, mas por ingenuidade. Eu estive no hospital com a equipe de segurança e desfazemos o mal-entendido”, pontuou.

Paulo Eduardo explicou que os gases utilizados pelo frigorifico não afetam o Meio Ambiente. De acordo com ele, nenhum funcionário teve contato com produtos químicos que não sejam permitidos para seu uso dentro da empresa.

Depois do susto, a empresa voltou a operar normalmente. O Acreaves conta com 300 funcionários.