Senador Aníbal com os soldados da borracha em BrasíliaSenador Aníbal com os soldados da borracha em Brasília

Numa das idas dos soldados a borracha a Brasília, o senador Aníbal Diniz promoveu um almoço em homenagem a esses homens e mulheres que deram grande contribuição para o País. Entre eles estava o senhor Lupércio, que faleceu sem ter tido a oportunidade de ver a aprovação da PEC que lhes garante benefícios
Numa das idas dos soldados a borracha a Brasília, o senador Aníbal Diniz promoveu um almoço em homenagem a esses homens e mulheres que deram grande contribuição para o País. Entre eles estava o senhor Lupércio, que faleceu sem ter tido a oportunidade de ver a aprovação da PEC que lhes garante benefícios

Escrito por Assessoria

O senador Aníbal Diniz participou na manhã desta terça-feira de reunião da bancada federal do Acre com a ministra das relações institucionais, Ideli Salvati, no Palácio do Planalto, na qual o governo sinalizou com uma contra-proposta à PEC 556/2002, a PEC dos soldados da borracha, de autoria da senadora Vanessa Graziotin, que tem como relatora na Câmara, a deputada Perpétua Almeida.

Na reunião, que contou ainda com a presença do senador Sérgio Petecão e dos deputados Taumatturgo Lima, Flaviano Melo e Perpétua Almeida, a ministra Ideli Salvati apresentou a proposta de um abono de R$ 50 mil para cada soldado da borracha vivo, sem aumento nos proventos e com a desvinculação da aposentadoria especial ao salário mínimo.

Como não se chegou ao consenso sobre o assunto, ficou agendada nova reunião para quinta-feira, no Palácio do Planalto, com a responsabilidade dos parlamentares envolvidos com o tema chegarem a um entendimento a respeito. Os parlamentares têm dúvida entre o abono de R$ 50 mil para os 6 mil soldados da borracha vivos ou de R$ 25 mil para os mais de 12 mil pensionistas, que beneficiaria também os dependentes que já recebem a pensão de 2 salários mínimos.

Além do abono, os parlamentares acreditam na possibilidade de aumentar o valor da pensão e a inclusão do pagamento do 13º salário, que não é feito hoje. Mas o governo não aceita qualquer discussão que envolva vínculo com o salário mínimo.

O senador Anibal Diniz, que tem manifestado seu apoio à PEC e tem participado das reuniões buscando o entendimento com a equipe do governo a respeito, ouviu da própria ministra Ideli Salvati e considerou um bom sinal a proposta de abono apresentada. “Um abono de R$ 50 mil para cada soldado da borracha vivo é algo muito significativo. Se for possível conseguir o aumento no valor da pensão e o 13º, melhor, mas temos que reconhecer que o Governo deu uma prova de boa vontade ao sinalizar com esta proposta de abono. O meu medo é a gente não aceitar a proposta do Governo agora e acabar ficando sem nada de avanço no futuro”. disse