Tião Viana disse que não há intenção das lideranças da Frente Popular 

Novos filiados ao PROS, recebem a presença de Tião Viana/ Imagem arquivo
Novos filiados ao PROS, recebem a presença de Tião Viana/ Imagem arquivo

JOSÉ PINHEIRO

O governador Tião Viana (PT) participou, na manhã de ontem, do ato de filiação de 9 vereadores e 2 deputados estaduais ao Partido Republicano da Ordem Social (PROS). Em coletiva à imprensa, Tião falou sobre a vinda de prefeitos da oposição para a Frente Popular (FPA), reeleição, candidatura ao Senado, além de outros assuntos.

Ele confirmou a filiação no PROS dos prefeitos Jonas da Farmácia (DEM), de Acrelândia, e Dr. Betinho, de Assis Brasil (PSDB). Ele não descartou a possibilidade da vinda do prefeito André Hassem (PSDB), de Epitaciolândia.

“O prazo de filiação dos prefeitos é maior. São 40 dias. Até amanhã o prefeito Jonas da Farmácia se filiará ao PROS. Está sendo discutida a vinda do Dr. Betinho. Já a vinda do André Hassém é outra questão”, ressaltou o governador.

Tião Viana disse que não há intenção das lideranças da Frente Popular em convidar os gestores oposicionistas, mas que esses têm procurado a FPA, pois estão insatisfeitos com a oposição. “Não estou chamando ninguém. Eles estão vindo porque acreditam na Frente Popular. Há um descontentamento em suas bases e o nosso projeto ainda é o melhor para o Acre”, disse Tião Viana.

Quanto à sua reeleição, Tião afirmou que até o fim deste mês anunciará oficialmente se concorrerá ou não a reeleição. O chefe do Executivo salientou que ouvirá a sociedade. “Não serei candidato de mim mesmo. Preciso ouvir a sociedade. Estou avaliando, construindo alianças”.

O governador também falou sobre a reeleição do senador Aníbal Diniz (PT/AC). De acordo com ele, tanto a pré-candidatura de Aníbal Diniz, quanto a da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB/AC) são legítimas dentro da FPA. “As 2 têm legitimidade na Frente Popular e acredito que até abril teremos uma decisão. O PT não é um partido exclusivista”.

Tião Viana não se esquivou quando foi questionado sobre as eleições internas do PT. Segundo ele, as discussões dentro do PT fazem parte da democracia e não representa um ‘racha’ dentro da sigla. “Isso é da democracia. Esta disputa interna não representa uma divisão dentro do partido”.

O governador disse que a oposição passa por um momento difícil com a perda de lideranças. Pelo menos 50 lideranças de todo o Estado que faziam parte do Partido Progressista (PP) se filiaram ao PROS. “O PP está se desidratando. Está perdendo 50 lideranças”, argumenta Tião.

Finalizando, Tião argumentou que a deputada Maria Antonia, ex-PP e atual PROS, é bem-vinda na FPA, pois seu nome aglutina lideranças de todo o Estado. Ele destacou também a filiação do deputado Walter Prado, ex-PEN. “São 2 nomes de força eleitoral”.