Os dois prefeitos vão se filiar ao PROS, legende criada esta semana com a homologação concedida pelo TSE

Os prefeitos de Epitaciolândia, André Hassem (PSDB), e de Assis Brasil, Doutor Betinho (PSDB)
 André Hassem -Doutor Betinho 

Os prefeitos de Epitaciolândia, André Hassem (PSDB), e de Assis Brasil, Doutor Betinho (PSDB), devem oficializar na próxima semana a saída do partido de Márcio Bittar para integrarem a base de sustentação do governador Tião Viana (PT). O anúncio da saída ocorre na semana em que o PSDB oficializou sua pré-candidatura ao governo do Estado.

Os dois prefeitos vão se filiar ao PROS, legende criada esta semana com a homologação concedida pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e que no Acre estará na Frente Popular. A filiação é o melhor mecanismo para os dois não correrem o risco de ter o mandato cassado por infidelidade partidária.

Alguns dirigentes tucanos evitaram entrar em detalhe. Resumiram-se a comentar que a mudança era um erro político. “Eles não entenderam que foram eleitos porque eram oposição. Se a população quisesse alguém do governo teriam eleito a Frente Popular. É um suicídio político”, analisa um tucano.

A avaliação é de que o destino deles será o mesmo do ex-prefeito de Bujari, João Teles, o Padeiro (PSB). Antes na oposição pelo PMDB, ele foi para a Frente Popular. Acreditando ser o candidato do governo em 2012, viu o PT lançar candidatura própria e perdeu a reeleição. “O mesmo destino terá o Hassem e o Betinho”, diz a fonte.

Para os prefeitos, porém, a mudança seria questão de sobrevivência em meio à crise financeira enfrentada pelas prefeituras. Como oposicionistas eles enfrentam mais dificuldades de fechar parcerias com o governo. Integrar a base será sinônimo de mais investimentos em suas cidades, o que implicará em resultados eleitorais para 2016.

Reportagem: Fabio Pontes