Como não havia argumento para a cúpula do PMDB

Vagner Sales(PMDB)
Vagner Sales(PMDB)

Por Luis Carlos Moreira Jorge

O dirigente do PMDB, Aldemir Lopes, preparou um banquete com leitão assado, churrasco de picanha e filé, para a reunião regional do PMDB, ontem, em Brasiléia, e fechar o encontro, com um ato de apoio à candidatura do Márcio Bittar (PSDB) ao governo. A festa acabou num velório: O prefeito Vagner Sales – FOTO – jogou farofa no ventilador, ao se lançar candidato ao governo.

Pedra no sapato
Como não havia argumento para a cúpula do PMDB contestar a candidatura própria, os que queriam apoio ao Márcio, meteram o rabo entre as pernas e findaram homologando a decisão.

Quase desmaia
Amigo que estava na reunião contou que, o cabo-eleitoral do Márcio, o Aldemir Lopes, quase desmaia: “o homem perdeu a cor, pensei que ele ia desmaiar, após o anúncio do Vagner”.                                                      

Golpe fatal
Essa decisão, se levada até o fim, coloca uma pá de cal na candidatura a governador do deputado federal Márcio Bittar (PSDB), que não teria nem um partido forte como seu aliado.

Apoio essencial
Nas conversas políticas o Márcio Bittar sempre colocou que, a sua candidatura a governador passava pelo apoio do PMDB. Não creio que isolado, ele terá coragem de ser candidato.

Não entendeu?
O Márcio Bittar é um político esperto, mas gosta de viajar na maionese: não entendeu ainda que há todo um trabalho dentro da oposição contra a sua candidatura única ao governo?

Carne e unha
Ontem, Petecão e Bocalon passaram o dia, reunidos e fechando de vez o acordo pelo qual, quem estiver melhor nas pesquisas, em maio do próximo ano, apoiará o outro ao governo.

Operação boi cagão
O senador Petecão, direto da fazenda “Boi Cagão”, confirmou de novo ao blog não haver a menor possibilidade de retirada do seu nome e do Tião Bocalon para apoiar Márcio Bittar.

Xeque-mate
Ficou confirmado o que a coluna tinha dado em primeira mão, que caso o candidato a senador Gladson Cameli (PP) declarar apoio ao Márcio Bittar, Petecão e Bocalon não lhe apoiarão.

Próximo do vermelho
Quem conhece bem a prefeitura de Rio Branco me revelou ser crítica a sua situação financeira, não tendo como prefeito Marcus Alexandre ampliar os investimentos e sem luz no fim do túnel.

Pagar o 13º salário
Conta a fonte credenciada que, pagar o 13º em dias é a única prioridade da prefeitura este ano.

Situação crítica
Se na Capital bateu a pindaíba, nas prefeituras dos municípios do interior, que vivem basicamente do repasse de um FPM em queda constante, a crise é ainda mais grave.

O problema é esse
O problema é que, a maioria da população desses municípios é desinformada, não sabe nem o que significa FPM, crise econômica, quer saber de ruas asfaltadas, lixo coletado e cidade limpa.

Reflexo nas urnas
Tudo caminha para um desfecho, em 2014: por conta do grave quadro econômico, na maioria dos municípios, será melhor os candidatos a governador terem prefeitos longe dos palanques.

Retorno estratégico
Assim que o deputado federal Márcio Bittar (PSDB) tiver montado o arco de alianças para sua candidatura a governador, sua mulher Márcia Bittar, voltará a ser candidata à Câmara Federal.

Moldagem complicada
Não se sabe como isso será recebido pelos demais candidatos a deputado federal da sua aliança, por um motivo político: Márcia Bittar candidata, uma das vagas será dela, é óbvio.

 Bam-bam-bam da oposição
O Tião Bocalon bate todos os candidatos a governador da oposição com boa folga. Foi o que  vi ontem no resultado de uma coleta de opinião recente, feita por uma equipe de fora do Acre.

Banho geral
Na Capital, Bocalon dá um banho geral nos demais candidatos da oposição, índice que se repete em outros municípios do Vale do Acre, onde também ele dispara dentro da oposição.

Fato impressionante
O que impressiona é a sua situação no Juruá, onde também ganha dos demais candidatos a governador da oposição e só perde para o Gladson Cameli, quando este entra na simulação.

Com um detalhe
Gladson Cameli entrou apenas na simulação, a sua candidatura é ao Senado. O quadro no Juruá sofrerá alterações na oposição com a candidatura do prefeito Vagner Sales ao governo.

Nada fácil
Estamos pouco mais de um ano da eleição, pode até alguém achar que é prematura a afirmação, mas vou fazer: não será fácil tirar o Bocalon do segundo turno com o Tião Viana.

Tratamento vip
O senador Sérgio Petecão (PSD) elogiou muito o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, que mesmo sendo do PT o recebeu muito bem e até deu uma passada pela sua reunião.

Deputado federal
O deputado Moisés Diniz (PCdoB) trabalha no sentido de disputar uma cadeira de deputado federal. Segundo uma boa fonte da coluna, Edvaldo Magalhães não será candidato, em 2014.

Espaço aberto
Sabendo trabalhar, Moisés vai aproveitar o vácuo a ser deixado pela Perpétua Almeida, que não disputará a reeleição e assim terá todo o PCdoB centrado na sua campanha a federal.

Conversa séria
O senador Petecão (PSD) diz que, teve uma conversa séria com o Gladson Cameli. Foi textual: “você é candidato a senador, fique neutro, se declarar apoio ao Márcio Bittar estás morto”.

Perderam a parada
Os tucanos que apostaram que o senador Petecão (PSD) e o Tião Bocalon (DEM) estavam blefando com a candidatura de governador, perderam: morreu a tese do candidato único.

BR-364
Ontem, caravanas de políticos, do governo e da oposição, foram pela BR-364 até Cruzeiro do Sul, participar da EXPOJURUÁ. Dar trafegabilidade a essa rodovia o ano todo é uma bandeira que ninguém poderá tirar do Tião Viana. Nós, da Capital não podemos analisar num contexto macro o que isso significa, mas os moradores de Tarauacá, Feijó e Cruzeiro do Sul, que ficavam isolados durante o inverno, sabem bem, porque sentiam no bolso o que causava o isolamento.