O crime aconteceu após uma bebedeira no Ramal da Piçarreira,

Promotor Ildon Maximiliano Peres Neto mostra pedaço de pau usado para matar Venâncio em outubro de 2012 – Foto: Alexandre Lima
Promotor Ildon Maximiliano Peres Neto mostra pedaço de pau usado para matar Venâncio em outubro de 2012 – Foto: Alexandre Lima

Alexandre Lima, com Almir Andrade

Aconteceu durante o dia desta sexta-feira, dia 13, o julgamento do homicida Vanilson Acha Oliveira (32), acusado da morte brutal ocorrida no mês de outubro de 2012, quando utilizou de um pedaço de pau para assassinar Venâncio Lima Neto (40), vítima de golpes de madeira desferidos em sua cabeça.

O crime aconteceu após uma bebedeira no Ramal da Piçarreira, zona rural de Epitaciolândia, colônia São Paulo. Vanilson desferiu vários golpes contra a cabeça da vítima o levando a óbito no local e graças ao trabalho dos investigadores, o principal acusado foi preso.

O julgamento ocorrido na Comarca de Epitaciolândia, foi presidida pelo Senhor Juiz, Dr. Hugo Barbosa Torquato Ferreira. A promotoria foi representada pelo advogado Ildon Maximiliano Peres Neto e defesa ficou a cargo do advogado Paulo Henrique Mazzali.

Por volta das 16 horas, o júri composto por sete pessoas, deu o veredito ao juiz. Pelo crime de homicídio qualificado e motivo torpe, sem dar condição de defesa à vítima, Vanilson foi condenado a 12 anos de reclusão em regime fechado no presídio da Capital.

Além da condenação, terá que pagar uma indenização de 60 salários mínimos aos familiares, já que Venâncio deixou viúva e três filhos. Segundo foi dito no final do julgamento, o advogado de defesa iria recorrer da pena.

Vanilson foi condenado a 12 anos de reclusão e terá que indenizar familiares da vítima – Foto: Alexandre Lima
Vanilson foi condenado a 12 anos de reclusão e terá que indenizar familiares da vítima – Foto: Alexandre Lima