Com uma realidade diferente do Vasco da Gama 

Para se sustentar, alguns precisam de outras fontes de renda, tanto que no elenco vascaíno tem mecânico, motoboy e vigilante.
Para se sustentar, alguns precisam de outras fontes de renda, tanto que no elenco vascaíno tem mecânico, motoboy e vigilante.

Cruz-maltinos voltam à elite do futebol acreano. Investimento no elenco foi de apenas R$ 1,4 mil. Cada jogador recebeu R$ 700 para disputar sete jogos

Com uma realidade diferente do Vasco da Gama do Rio de Janeiro, o time com nome homônimo do Acre se superou e conquistou o título do Campeonato Acreano da 2ª Divisão 2013 e se garantiu na elite do futebol local em 2014. Sem condições financeiras para pagar salários fixos aos jogadores, a diretoria cruz-maltina decidiu inovar. Cada atleta, que fez parte do elenco no Estadual, recebeu R$ 100 por partida.

Em números, considerando um elenco composto por 20 jogadores, o investimento na formação do grupo do Vasco na competição foi de cerca de R$ 1.400,00 – aproximadamente R$ 200 por jogo. Em sete partidas disputadas na competição, cada atleta recebeu R$ 700 para defender o time. Para se sustentar, alguns precisam de outras fontes de renda, tanto que no elenco vascaíno tem mecânico, motoboy e vigilante.

Depois de confirmar o retorno à 1ª Divisão, o momento agora é de pensar na próxima temporada. Segundo o presidente do clube, Wendel Sampaio, o Pixilinga, a intenção é manter alguns jogadores que vestiram a camisa do time na Segundona, mas o dirigente reconheceu que isso dificilmente vai acontecer.

– Vamos correr atrás para tentar manter, mas dificilmente vamos conseguir. Não temos apoio e nem ajuda de ninguém. Hoje a fonte de renda do Vasco é mínima. Vamos conversar com o professor Illimani Suares (técnico) para ver como vai ficar o futuro – comentou.

Três vezes campeão acreano (1965, 1999 e 2001), o Vasco venceu o Amax nos pênaltis no último sábado (31), no estádio Flroestão, e conquistou o título da Segundona.

Fonte-Do G1 Acre