IDEZIO FRANK traçou a linha do tempo do Incra explanando sobre como foi feita a sua criação.

Superintendente do Incra no Acre Idésio Frank (esq) ao lado do Deputado Jamil Asfury/ imagem H. Guerra
Superintendente do Incra no Acre Idésio Frank (esq) ao lado do Deputado Jamil Asfury/ imagem HELIZARDO GUERRA

A sessão desta quinta-feira 22, na Assembléia Legislativa do Acre foi marcada com grandes homenagens pelos 43 anos de relevantes trabalhos prestados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrário (INCRA) 

A solenidade contou com a presença de várias autoridades dentre elas o senhor IDEZIO LUIZ FRANK Superintendente do INCRA no Acre, além do Deputado Jamil Asfury,  presidente da Assembléia Legislativa do Acre em exercício.

O superintendente IDEZIO FRANK deu inicio a sua fala registrando o trabalho que o INCRA vem desenvolvendo durante todo esse tempo com muita responsabilidade e a valorização sempre do homem do campo.

IDEZIO FRANK traçou a linha do tempo do Incra explanando sobre como foi feita a sua criação. O mesmo foi criado em 1970 pela junção do Instituto Brasileiro de Reforma Agrária e o Instituto Nacional de Desenvolvimento Rural. Em 1974 o INCRA era representado no estado do Acre por uma divisão estadual técnica mesmo tendo sob sua jurisdição toda a área do Acre.

Atendendo aos anseios governamentais e da política para Amazônia, foi criado pelo conselho de Diretores do INCRA, Rio branco foi á cidade sede e sua jurisdição abrangia o estado do acre e o ex Território Federal de Rondônia. No inicio de 1985 através da portaria  27 de 22.01.1985 o INCRA sofre nova mudança na estrutura organizacional de seu Órgão de atuação no estado, passou denomina-se Diretoria da Amazônia Ocidental  referente as especificações jurídicas CEAO. De onde o Órgão Regional passou denominar-se superintendência do INCRA no Estado Acre com jurisdição somente no território acreano.

A última mudança estrutural ocorreu em 27 de março de 2006 Órgão Regional permanece como superintendência Regional do INCRA do Estado Acre.

Hoje as destinadas a reforma agrária no acre chega a quase 6 milhões de hectares, o que corresponde a 30% do território do Estado, ou seja, quase um terço do território acreano que é  de 16.422.136.ha. Número que coloca o Acre como a unidade de federação com o maior percentual de terras (obtidas ou reconhecidas ) e destinadas ao  programa de reforma agrária, sendo o Estado brasileiro referencia quando a esse aspecto.

Atualmente o Acre conta com 154 projetos de assentamento entre  PADs, PADSs, PAEs, PAEs, FOLNAS, FLORESTAS, ESTADUAIS RESEX e pólos , onde estão assentados um total de aproximadamente 33 mil  famílias atingindo um publico de aproximadamente 120 mil pessoas.   

O projeto está voltado para a produção agrícola, projeto este sendo o primeiro a ser instalado no Acre. A assistência técnica também é um fator marcante para o sucesso dos novos rumos da reforma agrária, visto que garante a sua sustentabilidade, fomenta a agricultura familiar, geração de emprego e renda e autonomia dos assentamentos. No Acre o programa já atende 7.400 famílias em 62 assentamentos distribuídos em 16 municípios. Em breve irá chegar com assistência técnica nas reservas extrativistas, beneficiando quase 4 mil famílias de extrativistas.

“Sabemos da grandeza e da importância do INCRA para o Brasil quantas brasileiras e brasileiros acessaram direitos fundamentais, passaram a ter dignidade melhoraram sua auto – estima, puderam sonhar com um futuro de prosperidade e segurança, graça aos efeitos das nossas ações. Sabemos que precisamos de ajustes para que tenhamos melhores condições de trabalho para que nossas ações sejam mais efetivas e conseqüentemente cumprir com o compromisso que temos com a sociedade brasileira”, finalizou Idésio.

Sentinela da fronteira com HELIZARDO GUERRA