A imprensa boliviana informou que, entre os mortos, estaria uma criança

Com informações do site Los eldeber.com

Com informações do site Los Tiempos
MORRERAM-30 PESSOAS-38 FICAROM FERIDAS

Em coletiva de imprensa, na noite desta sexta-feira (23), na prisão Palmasola de Santa Cruz, o Ministro do Governo Carlos Romero, disse que 30 pessoas morreram e 38 ficaram feridas após a rebelião na unidade prisional. Ele revelou ainda que, os presos do Bloco “A” do presídio foram atacados por um outro grupo, com facões, facas, paus e cilindros de gás liquefeito, que foram usados ​​como lança-chamas e causar intoxicação.

A imprensa boliviana informou que, entre os mortos, estaria uma criança de um ano e meio, que vivia com o pai na prisão. Ontem à noite, os cadáveres foram levados da prisão para o necrotério do Hospital San Juan de Dios. Dos feridos, 22 recebem atendimento na prisão.

Durante todo o dia o que se viu foram cenas dolorosas de parentes dos detentos  que buscavam alguma informação, na ausência de dados oficiais.

A rebelião aconteceu na prisão de Palmasola, que abriga cerca de 5000 presos, na área denominada Chonchocorito, a prisão de segurança máxima e considerado o mais polêmico.

O ministro disse que foram encontradas cápsulas, por isso, existe  a hipótese de que, foram usadas armas de fogo no confronto.

“Os detentos abriram um buraco na parede que divide os dois pavilhões e tanques de gás doméstico usado para estrangular os outros prisioneiros, usando-os como se fossem mesmo lança-chamas, provocando um incêndio que rapidamente se espalhou por colchões de palha que estavam em células, disse ele.

A polícia levou várias horas para apagar o fogo e tomar o controle da prisão.

A maioria das pessoas que morreram estavam no segundo andar da seção onde houve incêndio causado pela explosão dos cilindros. “As vítimas ficaram presas pelo fogo”, disse o ministro. Ainda não foi divulgada uma lista com os nomes dos envolvidos.

É o incidente mais grave ocorreu prisão no país, por uma disputa pela liderança e espaços dentro de um criminoso.

O setor onde ocorreu o confronto deveria abrigar entre 150 e 200 presos, mas  atualmente tinha cerca de 500 detentos.

incidente mais grave ocorreu prisão
incidente mais grave ocorreu na prisão
incidente mais grave ocorreu prisão
incidente mais grave ocorreu na prisão