Dona Benedita conta que nesta terça-feira (20) esteve com o filho no Pronto Socorro 

A técnica de enfermagem Benedita Melo da Silva 48 anos denunciou ontem a falta de compromisso de profissionais de saúde nos hospitais de Rio Branco envolvendo vítimas de acidentes de trânsito. Ela conta que há três meses, seu filho Zecarias Melo da Silva sofreu um acidente de moto e fraturou a perna e o braço sendo necessário passar por duas cirurgias, mas continua com o braço imobilizado com gesso sem avaliação médica.

A cirurgia no braço foi realizada no Pronto Socorro de Rio Branco, em seguida foi transferido para a Fundação hospitalar onde foi procedida a cirurgia na perna. A partir daí, conta dona Benedita, começou o seu drama na porta dos hospitais em busca de respostas para o restabelecimento de seu filho.

Ela conta que durante os três meses cirurgiado, o filho não recebeu nenhum tipo de avaliação dos médicos relacionado ao procedimento no braço e que o seu maior temor é que a qualquer momento seu organismo apresente rejeição e venha a ficar com sequelas mais grave.

Dona Benedita conta que nesta terça-feira (20) esteve com o filho no Pronto Socorro de Rio Branco em busca de uma solução para o problema do filho, mas que sua revolta aumentou ainda mais quando perguntou pelo prontuário do filho para saber o nome do médico que atendeu Zecarias no dia do acidente.

“Ele disse que não estava sabendo de nada e que era bom eu baixar o tom de voz”, conta a técnica de enfermagem revoltada com a forma que vem sendo tratada e pede providências alegando que o filho precisa trabalhar para sustentar 4 filhos.

Zecarias Melo da Silva
Zecarias Melo da Silva

Redação/Ecos da notícia