Mesmo com tumulto criado por vereadores de oposição durante a aprovação do projeto, a maioria dos parlamentares decidiu votar a favor da suplementação orçamentária

WILIANDRO DERZE

Depois de 30 dias tramitando na Câmara de Vereadores de Brasiléia passando por modificações. O projeto de suplementação orçamentária encaminhada pelo executivo foi aprovado por 6 votos a 4. A oposição fez questionamentos de todas as formas. a aprovação do projeto, mas, os demais vereadores rejeitaram os pareceres das duas comissões que o analisaram.

Os debates no início da sessão começaram de forma agressiva por parte dos vereadores de oposição e situação. Várias cobranças ao executivo foram feitas, mas os vereadores da bancada de sustentação revidaram as criticas e apresentaram problemas deixados pela gestão passada que a atual está resolvendo.

Em meio aos debates calorosos, a vereadora Erizete Moraes (PT) questionou uma reportagem que mostrava as contradições e mudanças de comportamento que vem tendo no parlamento. O vereador Bil Rocha (PMDB) rebateu a parlamentar e disse que a vereadora gostava de colocar palavras em sua boca.

O vereador Carlinhos do Pelado (PSB) pediu na tribuna mais calma entre os colegas de parlamento e uma união entre os Poderes municipais, dizendo que para a aprovação do projeto deve existir um consenso, uma forma passiva de tentar convencer os contrários.

O líder do prefeito, Marivaldo Oliveira (PMDB) pediu que o projeto fosse aprovado para garantir a continuidade dos serviços que vem sendo executados no município. “Precisamos deixar a atual gestão trabalhar e garantir os serviços a nossa população. O orçamento em gestões anteriores era aprovado com a movimentação de 23 e até 30% e mesmo assim, ainda encaminhavam para a Câmara projetos de suplementação que eram aprovados de imediato”, lembrou.

O vereador Joelso Pontes (PP) que defendeu a aprovação do projeto apresentando um parecer individual da comissão de Justiça e Redação que preside, destacou os problemas que poderiam ocorrer com o município caso o projeto não fosse aprovado. “Precisamos respeitar as divergências, mas também devemos avaliar a importância da matéria”, esclareceu.

O presidente da Mesa Diretora, Mario Jorge pediu que fosse colocado em votação os pareceres. Os dois apresentados foram derrubados pela maioria dos parlamentares que votaram favorável ao parecer individual do vereador Joelso Ponte, que pediu a aprovação do projeto.

Logo depois da aprovação do parecer apresentado pelo vereador Joelson, o presidente da Casa, colocou em votação se a aprovação do projeto se daria por votação simples. O que foi aprovada por maioria.

A votação do projeto mesmo com todos os tipos de questionamentos levantados pelos vereadores de oposição não teve força, muito menos argumento, tendo em vista que os vereadores Marivaldo Oliveira, Bil Rocha, Naldo Rufino, Marquinho Tibucio, Joelso Pontes e até Carlinhos do Pelado votaram pela aprovação do projeto de suplementação que vai garantir ao executivo continuar os trabalhos que vem sendo desenvolvido no município.


Vereadores que votaram pela aprovação do Projeto:

Marivaldo Oliveira (PMDB)

Bil Rocha (PMDB)

Joelso Pontes (PP)

Carlinhos do Pelado (PSB)

Naldo Rufino (PRP)

Marquinhos Tibucio (PSDB)


Vereadores que votaram contra o Projeto:

Tereza Oliveira (PT)

Rosildo Rodrigues (PT)

Erizete Moraes (PT)

Fernanda Hassem (PT)

Vereadores durante a sessão desta terça-feira, dia 20
Vereadores durante a sessão desta terça-feira, dia 20