Colo­nização e Reforma Agrária (Incra) está comprometido com o Minis­tério Público Federal 

Idesio-Reforma Agrária (Incra)
Idesio-Reforma Agrária (Incra)

Colo­nização e Reforma Agrária (Incra) está comprometido com o Minis­tério Público Federal a diminuir os desmatamentos nos assentamentos do Acre e manter as reservas flores­tais em 80% dessas áreas a partir do acordo assinado ontem em Brasília com superintendentes regionais da Amazônia. O ato contou com a pre­sença do superintendente do órgão no Acre, Idésio Franke.

A informação é do coordenador ambiental do Incra acreano, Aris­tótales Barros de Medeiros. Com a nova resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente, Me­deiros vê que o Incra agilizará os licenciamentos ambientais, medida que ajudará na redução dos desma­tes não controlados.
O Incra deve, até 2020, dimi­nuir em 80% os índices de desma­tamento verificados em 2005, cerca de 25 mil quilômetros quadrados. Em contrapartida, o MPF extinguirá as ações ajuizadas na Justiça contra o instituto por danos ambientais.
Com base em dados de institu­tos especializados, o MPF identificou que o Incra é o maior desmatador da Amazônia. Até 2010, 133.644 quilômetros quadrados foram des­matados na área dos 2.163 projetos de assentamento. No Acre, esse nú­mero alcançava 39%. “Se fosse para recompor passivos ambientais, não teria problema pois o órgão possui unidades de conservação que che­gam a 250 mil ou 300 mil hectares”, observou Medeiros. O instituto vai aplicar o Programa Assentamen­tos Verdes para cumprir o acordo, assinado ontem. O programa, em execução desde agosto de 2012, foi criado com o objetivo de combater os desmatamentos em áreas de re­forma agrária. (AV)

Fonte-jornal a tribuna