Caso do “papai noel” no macacheral

IMG_60351-280x210José Nilson Lima Ribeiro, 32 anos, vulgo “Papai Noel” foi assassinado por volta das oito horas da manhã desta terça-feira. A vítima saía de casa, na comunidade Polo Hortigranjeiro no Macacheiral I em Cruzeiro do Sul, quando foi atingido por um tiro à queima-roupa.

O acusado conhecido por Bilóia, teria pedido à vítima que se levantasse, porque não queria atirar pelas costas. Segundo testemunhas, o “Papai Noel” ainda tentou correr, mas caiu, momento em que bilóia efetuou o disparo. O SAMU ainda foi acionado, mas a vítima já estava sem vida.

Segundo as famílias, tanto do acusado quanto da vítima, os dois já tinham se desentendido antes. Na manhã do crime, “Papai Noel” teria xingado a mulher do acusado, motivo pelo qual Bilóia o teria matado.

De acordo a irmã da vítima, Shirley Lima da Silva, o “Papai Noel”, era usuário de drogas e já teria sido preso algumas vezes por roubo. No entanto, para seus familiares José Nilson estava mudando. Há alguns meses, o homem teria começado a trabalhar na diária juntando seixos de pedras em um areal. Nilson já teria juntado cerca de 800 reais, dinheiro que usaria para visitar a esposa em Rio Branco.

O corpo ainda permanece no Instituto Médico Legal e só será liberado após a família apresentar os documentos de identificação da vítima. A mãe de Nilson, Francisca Evaristo de Lima, diz que seu filho não possuía mais os documentos, e que por isso deverá ir à cidade de Mâncio Lima para obter a segunda via.

“Papai Noel”

Segundo, a irmã da vítima, José Nilson ganhou este apelido porque após praticar furtos de objetos para sustentar o vício, quando denunciado, o mesmo devolvia os objetos furtados aos seus proprietários.

Glória Maria do Site Juruá Online