Luciano Tavares – da redação de AC 24horas

 

Durante participação na noite desta quinta-feira no programa Gazeta Entrevista (TV Gazeta), o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) disse que vive apenas da pensão de ex-governador e que se perder o mandato parlamentar “não terá do que viver”, caso a pensão seja extinta. O comentário foi feito após o apresentador Alan Rick indagá-lo sobre a PEC em tramitação na Aleac que prevê a queda da aposentadoria de ex-governador.

“Eu sou uma pessoa que faz 30 anos que estou na vida pública. Até então era engenheiro e fazia meus descontos normais para as entidades previdenciárias. Hoje eu tenho o meu salário de deputado, claro. Mas seu eu perder o meu mandato amanhã eu só tenho do que viver da pensão de ex-governador. Porque é só o que eu tenho. Simplesmente, eu não vou ter do que viver”, argumentou o parlamentar para depois brincar: “vou ter que ir lá no Roberto Moura e pedir emprego pra ele”.

O peemedebista chegou insinuar ser a favor da extinção em casos como o dele. Ou seja, de políticos com mandato que também recebem como ex-governadores. “Mas paciência o que é que eu vou fazer. Se está com mandato, tudo bem, tira a pensão”.

Flaviano disse ainda que com o salário de parlamentar ele faz política e reafirmou que se deixar de ser parlamentar e perder a pensão “vai ter que dar um jeito”.

Fla_in1“O que eu ganho de deputado eu faço política. Tudo que tem lá faço política, nem administro. Quem administra o dinheiro que eu ganho são as minhas secretárias, lá no meu gabinete. Que paga aqui, paga acolá e faz isso, faz aquilo. com a pensão eu mantenho a minha casa, eu vivo. Se acabar com a pensão eu vou ter que dar meu jeito”, completou.

Flaviano Melo foi governador do Acre entre 1987 e 1990. No Acre 16 beneficiários recebem pensão de ex-governador. Os ex-governadores custam por ano R$ 4,7 milhões aos cofres do estado. Porém dos 16, somente seis estariam em questão por terem recebido o privilégio depois da Constituição de 1988.

São eles:
Flaviano Melo;
Edmundo Pinto – viúva Fátima Almeida;
Romildo Magalhães;
Orleir Cameli – viúva Beth Cameli
Jorge Viana e
Binho Marques.

Deputado diz que oposição precisa ter “juízo” para ir às urnas em 2014
Flaviano Melo que assumiu a responsabilidade de tentar unir a oposição para as eleições majoritárias de 2014 disse que tem conversado com as principais lideranças da oposição no intuito de manter candidatura única ao governo do Acre. Ele informou que tem pedido aos políticos “juízo” e aposta que a oposição terá apenas um candidato.

“Tenho procurado conversar com essas principais lideranças no sentido de que renuncie alguma coisa, tenham juízo. Porque o povo ta dizendo na rua: se unam que vocês ganham. É a voz da rua. O Márcio ou Petecão não podem ser os dois candidatos. Vai ter que ser só um. Eu já peço pra eles. Eu disse pra todos. Eu já conversei com o Gladson, já conversei com o Márcio, vou conversar com o Petecão e vou procurar também o Bocalom pra conversar com ele”, acrescentou o parlamentar.