Audiência pública sobre limites territoriais, reúne sindicatos, cooperativas, associações e autoridades em Brasiléia

Nesta segunda-feira, 15, no auditório do Centro Cultural Sebastião Dantas, aconteceu a audiência pública com a Comissão Especial de Limites Territoriais da Assembléia Legislativa do Estado do Acre – Aleac.

Audiência pública 2

A comissão, formada por 5 parlamentares, tem como presidente a deputada estadual, Leila Galvão. Apresentada pela bancada petista da assembléia, na pessoa do líder do partido na casa, deputado Lourival Marques, a comissão tem como objetivo analisar a extensão territorial de cada município, ouvir os anseios da sociedade com relação ao respectivo assunto e, caso haja necessidade, redefinir os limites municipais.

Vários municípios se mostraram interessados em receber a comissão especial e debater sobre o assunto e externar sua insatisfação com as divisões municipais outorgadas por uma lei que foi aprovada no ano de 2003, onde redefiniu a extensão geográfica de cada município acreano.

Audiência pública 3

Representantes de todas as cidades que compõem a regional do “Alto Acre” estiveram presentes, o vice-prefeito de Assis Brasil, “Zé do posto”, veio representando sua cidade, assim como O vice- prefeito de Epitaciolândia, “Raimundão”, o prefeito em exercício de Brasiléia, “Carlinhos do Pelado”, e o prefeito de Xapuri, “Bira”, além dos deputados que fazem parte da comissão, Gehlen Diniz e Nelson Sales.

“É de total interesse do município de Brasiléia rever esses limites, que interferem na vida de muitas pessoas. E nós estamos aqui para defender essa mudança”, falou o prefeito em exercício de Brasiléia.

Audiência pública 6

A Dep. Leila Galvão, falou sobre a importância da comissão.

“A comissão especial de Limites Territoriais foi criada a nosso pedido e nós estamos como presidente da mesma. O objetivo desta comissão é rever uma legislatura aprovada lá em 2003 na assembleia legislativa, onde foram definidos os limites de casa município do estado do Acre.

O que ocorreu é que ao ser aprovada, esta lei houve um descontentamento por parte de vários municípios, entre eles os do alto Acre. Na qualidade de presidente da comissão, encaminhamos documentos as prefeituras indagando-as se estavam favoráveis para iniciarmos uma nova discussão sobre o assunto, e todas se mostraram interessadas, por entender o quão importante é ouvir a sociedade”, declarou a deputada.

Audiência pública

Audiência pública 1

Audiência pública 8