Coluna do Crica

Hora da verdade: Major Rocha ou Márcio Bittar?

A direção nacional do PSDB vai definir até o final do mês quem permanece no partido, se o atual presidente, deputado federal Major Rocha ou o ex-deputado federal Márcio Bittar, cujos grupos andam ás turras. “Estive com a nacional e coloquei o quadro. O Márcio tem se dedicado exclusivamente a fortalecer o SOLIDARIEDADE, presidido pela sua mulher Márcia Bitrtar, não soma nada para o PSDB, e não há mais espaço para os nossos grupos no partido”, assinalou ontem Rocha, que se diz “tranqüilo” quanto à sua permanência. Para Rocha, a executiva nacional tucana está muito bem informada do que está acontecendo no Acre e interessa a eles a solução do problema o mais rápido possível, porque a disputa só está trazendo prejuízos políticos. “O certo é que a partir do fim do mês somente ficará no PSDB o meu grupo ou o grupo do Márcio Bittar. Acho que a situação do afastamento do Márcio das decisões partidárias me ajudará muito quando o caso for analisado”, enfatiza Rocha. Sobre a disputa majoritária assegura que o seu foco é o Senado, mas de acordo com os acontecimentos poderá disputar o governo em 2018. “Não tenho medo”. A roleta tucana vai girar: Major Rocha ou Márcio Bittar? Senhores, façam os seus jogos. Fichas em cima da mesa.

Não tinha outro caminho

Não há espaço no PSDB para o deputado federal Major Rocha (PSDB) e Márcio Bittar (PSDB) e um deles vai ter que espirrar. Sempre coloquei neste espaço. O que vai acontecer agora com a intervenção da direção nacional no caso é só o desfecho de uma novela de fim previsto.

Vantagem do mandato

Márcio Bittar tem toda uma história de lutas dentro do PSDB, mas pelo fato de ter mandato e ser hoje o presidente regional do partido, o deputado federal Major Rocha (PSDB) leva vantagem se a direção nacional tiver que escolher entre ambos.

Emylson Farias

Toma corpo a cada dia a candidatura do secretário de Segurança, Emylson Farias, é o que tenho escutado de altos dirigentes do PT. O professor Rêgo foi inclusive escalado pelo governador Tião Viana para lhe dar assessoria. Todas as ações do governo são para moldar a sua imagem como gestor. Em todos os atos de governo aparece com destaque junto ao Tião.

“Independente de mais para nosso gosto”

O mesmo alto dirigente do PT que me passou ontem o panorama do encorpamento da candidatura do secretário Emylson Farias ao governo, referiu-se ao prefeito Marcus Alexandre como “uma pessoa que tem independência demais para o nosso gosto”, frase que vou traduzir para o popular: o Marcus não se presta ao papel de sabujo e tem posições próprias.

O adversário é interno

O principal adversário do secretário Emylson Farias está dentro da sua gestão. Se não conseguir reverter os números da violência, não no papel frio dos números e estatísticas, mas ao ponto da população ter uma sensação de tranqüilidade, sua candidatura terá problemas.

Não importa

Para o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, nesta questão do Senado dentro da oposição não importa quantos candidatos serão lançados, porque em qualquer quadro a sua candidatura a senador está assegurada. O fato de ter uma base sólida no Juruá o beneficia.

Um vice com experiência

O ex-prefeito Vagner Sales (PMDB) defende que o vice do senador Gladson Cameli (PP) seja uma pessoa de mais idade, de respeitabilidade, um ex-Juiz, um ex-desembargador, do TCE, enfim, o nome de alguém que possa dar equilíbrio à sua chapa e passar confiança ao eleitor.

Mas não chega ao povão

O deputado Daniel Zen (PT) enumerou várias realizações do governo Tião Viana, como pagar em dias os servidores em tempo de crise econômica, realizar concursos públicos, dar reajuste salarial, implantar a escola em tempo integral, para contestar a publicação de ser Tião o “pior governador do Brasil”. Acrescentaria a Central de Tansplantes.  Também não concordo que é o “pior governador do Brasil”. Acontece, Zen, é que estes avanços apontados não chegam na ponta, que é o povão. Mesmo com estes dados positivos, com quem se conversa, a crítica ao governo atual é muito grande. É só chegar em qualquer roda política para se comprovar isso.

Não tem este direito

Os motofretistas não têm o direito de parar o trânsito interditando ruas em pleno horário de pique de quem trabalha. O direito do cidadão de ir e vir, ele é livre. As forças policiais foram omissas ao deixar que a baderna no trânsito se instalasse ontem na cidade.

Previsão de sentença

Os analistas políticos nacionais dão como saindo no máximo em 30 dias a sentença do Juiz Sérgio Moro sobre o processo de ontem a que responde o ex-presidente Lula. Existem mais quatro em que Lula também é réu.

Triste espetáculo

O STF, que era para dar um exemplo de serenidade, com a briga pública entre os seus ministros passa para a opinião pública uma imagem de que a corte é uma balbúrdia. Lembra mais uma briga de comadres do que a mais alta instituição jurídica do país. É uma pena.

Não tem um nome

Dirigentes do PRB dizem que ainda não existe um nome em pauta para lançar a deputado federal, com a saída do deputado federal Alan Rick, mas que, com certeza a direção nacional vai querer que o partido tenha candidato à Câmara Federal.

Rede na disputa

O partido REDE SUTENTABILIDADE terá no Acre um candidato a senador e um candidato a governador. Isso é ponto pacífico, dizem os seus dirigentes. Os nomes não foram revelados e devem ser de pessoas que possam representar o novo na política. Aguardemos, pois.

Novo quadro

Com a posse do advogado Valadares Neto na Câmara Municipal de Brasiléia o PMDB ganha um novo quadro. O PMDB saiu da cena política de importância, no município, desde o afastamento do ex-prefeito Aldemir Lopes por problemas jurídicos. Era a sua maior liderança.

Não é tarefa fácil

O ex-prefeito Aldemir Lopes, goste-se o não dele, aceite ou não os seus métodos, ainda é a maior liderança do PMDB em Brasiléia. E se voltasse ao cenário político seria protagonista.

Jogo de cena

O vereador Railson (PTN) faz mais jogo de cena ao ser mostrado em rede social vindo para a Câmara Municipal de Rio Branco de ônibus. Para saber que temos passagens caras para curtos percursos, ônibus velhos, sujos, que não cumprem o horário, não precisaria fazer a encenação.

Carnaval fora de época

O depoimento do Lula foi como de qualquer outra pessoa que é réu em um processo. Não precisava do carnaval fora de época de formar caravanas para ir a Curitiba. O depoimento foi dado, em média de 30 dias sairá a sentença, e o mundo continuará a girar sem problemas.

Fora da projeção

O ex-deputado Jamil Asfury (PEN), que chegou a ser o braço político da Igreja Batista do Bosque, perdeu esta posição para o secretário de Saúde, Gemil Junior, que será o candidato a deputado estadual apoiado pela cúpula da igreja, numa dobradinha com Alan Rick à Federal.

Escolher bem

Foi primeiro suplente de vereador e de deputado estadual. Se o Dr. Jferson, hoje no PRB, souber escolher bem o partido pelo qual vai disputar uma cadeira de deputado estadual, em 2018, pode fazer o gol ao invés de bater na trave. O quadro lhe é mais favorável na oposição.

Bom que não desista

É bom que o Dr. Jeferson seja candidato a deputado estadual. A política precisa de quadros qualificados que possam chegar na Assembléia Legislativa e ter condições de travar um debate.

Uma PEC do bem

Não tem que possa levantar a voz contra a PEC apresentada pelo senador Jorge Viana (PT), que torna imprescritíveis os crimes de estupro. Mesmo que o autor fuja e passe anos escondido, quando for preso novamente o processo criminal continua. Isso é um avanço, o estupro é um dos crimes mais hediondos e quem o pratica deveria sempre ser condenado à pena máxima. A PEC do senador Jorge Viana é uma grande contribuição na proteção das mulheres violentadas. A matéria foi aprovada no Senado e deverá ir para votação na Câmara Federal, onde deverá ser aprovada sem problema algum. Ninguém será a favor de proteger estuprador.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.

Esta notícia está na categoria Crica. Marcar o link.