IDM certifica alunos de comunidades ribeirinhas em 11 cursos

Os cursos de Formação Inicial e Continuada (FICs),  na Unidade de Gestão Ambiental Integrada (UGAI), Rio Liberdade, foram encerrados com a entrega dos certificados nesta quarta-feira, 19, para 224 educandos de 11 turmas.

 Por Lúcia do Vale 

As qualificações foram ofertadas na Regional do Rio Liberdade, pelo governo do Estado, no Centro de Formação e Tecnologia da Floresta (Ceflora), por meio do Instituto Dom Moacyr em parceria com o ICMBio e Associação Real, mediante o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Foram oferecidos os cursos de Agente de Desenvolvimento Socioambiental, Açaicultor, Agricultor Orgânico, Horticultor Orgânico, Agricultor Familiar, Fruticultor, Agente de Desenvolvimento Cooperativista, Produtor de Olerícolas, Viveicultor, Auxiliar de Fiscalização Ambiental e Preparador de Doces e Conservas.

Maria da Graças de Oliveira, formanda no curso de Fruticultor, estava muito feliz, pois, segundo ela, aos 67 anos nunca teve a oportunidade de estudar. “Esse curso na comunidade é a realização do sonho de frequentar a escola que na época da minha mocidade não consegui realizar”.

A presidente da Associação da Reserva Extrativista do Rio Liberdade, Maria Renilda Santana Costa, salientou a importância de cursos como esses na comunidade. “Nunca tivemos investimentos como esses que o governador Tião Viana tem dado para nossa comunidade. Essas ações governamentais deixam o povo muito feliz”, disse ela.

A gestora chefe da Reserva Extrativista do Rio Liberdade pelo ICMBio, Sabina Dessartre Mendonça, destacou a importância das aulas. “O conhecimento técnico adquirido pelos formandos nos cursos, tem efeito benéfico na saúde, na família e na qualidade de vida de forma geral, podendo ainda gerar renda”, ressaltou.

O coordenador-geral do Ceflora, Raimundo Evilásio Lima dos Santos, falou sobre as parcerias para a realização desses cursos, já que os mesmos foram demandas das comunidades e de acordo com a necessidade local. “Por estes cursos estarem ligados às áreas de trabalho dos produtores, o Ceflora e o Pronatec atingiram o objetivo de oferecer capacitação às comunidades ribeirinhas e da zona rural para ajudar, de alguma forma, na convivência comunitária”.

comunidades ribeirinhas