Em Rio Branco, 23,8% da população está obesa, aponta pesquisa

Estudo diz ainda que mais da metade dos riobranquenses estão com excesso de peso. Dados inéditos fazem parte da pesquisa da Vigitel e foram divulgados na segunda-feira (17).

Uma pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (17) aponta que 23,8% da população de Rio Branco está obesa. Os dados inéditos divulgados fazem parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

Conforme o estudo, prevalência da obesidade na capital acreana é maior que a média nacional. Além disso, Rio Branco também tem a maior prevalência de excesso de peso. Segundo o Ministério da Saúde, 60,6% dos riobranquenses possuem o Índice de Massa Corporal (IMC), maior que 25 kg/m².

Em entrevista ao jornal Acre TV, nesta terça (18), o presidente da Associação dos Portadores de Obesidade do Acre (Apoac), Edivanilson Carvalho, disse que atualmente 400 pessoas fazem atividade física na associação. Ele explica que o trabalho é uma parceria com Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre). O objetivo, segundo ele, não é apenas ajudar as pessoas obesas, mas também fazer um trabalho preventivo.

“Estamos trabalhando para mostrar para as pessoas que sem atividade física e sem a reeducação alimentar nós não conseguimos avançar. O primeiro passo é a pessoa se preocupar com ela mesma, dessa forma vai poder ajudar as pessoas ao redor dela”, afirma.

A pesquisa foi realizada de fevereiro a dezembro de 2016 e mostra que nos últimos dez anos a prevalência da obesidade no Brasil passou de 11,8% em 2006 para 18,9% no ano passado e atinge um em cada cinco brasileiros. Ao todo, 53.210 pessoas maiores de 18 anos foram entrevistadas nas capitais brasileiras.

O estudo também faz um alerta para a alta da obesidade entre jovens de 25 a 44 anos. Um dos principais fatores para o aumento no peso, segundo a pesquisa, é o consumo de alimentos ultrapassados e o sedentarismo. Esses hábitos acabam impactando no avanço de doenças crônicas, por isso, mais de 25% da população adulta tem diagnóstico de hipertensão. Mesmo assim, o brasileiro reduziu quase pela metade o consumo de refrigerantes. O presidente da Apoac destaca também o diabetes e outras patologias.

“A obesidade acarreta a hipertensão, diabetes e doenças cardiovasculares. Hoje costumo dizer que a obesidade é a doença do século. Então, você que está em casa não perca a oportunidade de fazer uma atividade física e ter uma vida melhor”, finaliza.

metade dos riobranquenses estão com excesso de peso

Do G1 Acre

Esta notícia está na categoria Geral. Marcar o link.