Coluna do Mariano Maciel

Procura-se uma nova liderança política

Decisão do TSE

O próximo ano promete mudanças profundas na política brasileira. O ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse em entrevista ao Estado, que deixou para o começo de 2017, provavelmente fevereiro, a apresentação do relatório-voto na ação que investiga a prática de abuso de poder político e econômico em benefício dos candidatos Dilma Rousseff e Michel Temer nas eleições de 2014.

Procura-se um líder

Com o aparecimento de nomes de políticos de todos os partidos nas delações da Lava Jato, resta saber quem assumirá a presidência de um país que precisa urgentemente de novas lideranças, honestas e capacitadas.

Pensando bem…

O número de envolvidos na delação da Odebrecht é tão grande que, nos bastidores, o cálculo é o de que eles têm quorum para aprovar qualquer projeto contra a investigação. A aposta é que dificilmente a Câmara ou o Senado processarão os seus e caberá ao Judiciário separar e afastar quem tiver problemas.

De acordo com a jornalista Denise Rothenburg, colunista do Correio, 2017 promete.

Fora Temer

A Central Única dos Trabalhadores, que andava meio desaparecida no governo petista,  confirmou a realização de um grande ato na próxima terça-feira 13, em Brasília contra as pautas de retirada de direitos do governo usurpador de Michel Temer. A CUT também defende uma eleição direta como saída para a crise política no País e a insegurança jurídica entre os poderes.

Falta de compasso

Para lideranças petistas, o episódio envolvendo o senador Jorge Viana, vice-presidente do Senado, na semana passada, evidenciou o descompasso e a falta de unidade no PT.

* Viana atuou para a permanência do presidente da Casa, Renan Calheiros, após a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello de afastá-lo, a pedido da Rede.

PEC do Teto I

Enquanto o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) declarava nos corredores do Senado que Viana deveria enterrar a PEC do Teto dos Gastos, o senador acreano, por conta própria, participava da operação para salvar Renan.

* A atuação de Viana dividiu opiniões no PT. “Era um problema do Temer. Não temos que ser bombeiro de ninguém”, disse o líder do PT na Câmara, Afonso Florence.

PEC do Teto II

Enquanto isso, o Senado deve concluir nesta terça-feira (13) a votação da PEC que limita o aumento dos gastos públicos à variação da inflação pelos próximos 20 anos.

* A PEC do Teto de Gastos foi encaminhada pelo governo Temer ao Congresso para conter o crescimento do déficit público e estabelecer um novo regime fiscal. O governo argumenta que o ajuste levará a economia a retomar o crescimento.

Frase

“Nós aprendemos a lição. Estamos escaldados” – do general Eduardo Villas Bôas – comandante do Exército, ao descartar, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, qualquer risco de uma nova intervenção militar.

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.