Coluna do Mariano Maciel

Temer com relação à Lei do Abuso: se vetar o bicho pega, se sancionar o bicho come

O presidente Michel Temer está angustiado com a tramitação no Congresso do projeto que trata do abuso de autoridade como juízes e integrantes do Ministério Público.

* Por isso, fará todos os esforços para enterrá-lo ainda no Senado e antes de chegar à mesa dele.

Situação complicada

O cálculo de Temer é o seguinte: se o projeto passar no Congresso e ele sancionar, ficará bem com os parlamentares e mal com a população, que defende investigações como a Lava Jato.

* Se vetar, Temer ficará bem com a população e mal com os parlamentares, de quem depende para aprova projetos importantes.

Viralizou

Parte do texto de uma matéria publicada pelo Correio Braziliense, neste sábado, viralizou na internet e se tornou um chamamento para as manifestações deste domingo a favor das 10 medidas de combate à corrupção e em apoio aos juízes e promotores públicos.

* Diz o texto: “aproveitaram que o Brasil chorava a tragédia com a Chapecoense e votaram às sombras, na calada da noite e longe dos holofotes da imprensa, o projeto de iniciativa popular das 10 medidas contra a corrupção. Desvirtuaram o texto com tantas emendas, prevendo inclusive punição para juízes e promotores que investigarem corruptos e indenização para os investigados”.

** “Vamos pressionar para que o presidente Temer vete essa lei e retornem ao texto original”; finaliza.

Precavido     

Como o presidente Renan Calheiros se encontra numa situação delicada depois de se tornar réu no Supremo Tribunal Federal, corre um boato no meio político que o presidente Temer já estaria agindo nos bastidores para colocar a senadora Rose de Freitas na segunda vice-Presidência do Senado.

** Como o seguro morreu de velho, o governo acredita que não daria prá ficar à mercê do petista Jorge Viana, primeiro vice da Casa.  

*** Mas, como Supremo só decidirá no próximo ano se quem é réu em processos pode compor a linha sucessória da Presidência da República, Renan deve ficar no cargo até lá.

Só prá lembrar

A saída de Renan deixaria a presidência nas mãos de Jorge Viana, pesadelo de Temer. Em 2007, quando ele renunciou, foi Tião Viana, irmão do petista, quem assumiu a Casa.  

Correria

Fim do ano chegando e, conseqüentemente, o recesso parlamentar, a correria dos senadores e deputados federais do Acre aos ministérios é grande, em busca de liberação de emendas pendentes do orçamento de 2016. Leva mais quem maior poder de articulação.

Brasília no mapa

Petistas gaúchos têm tentado convencer a ex-presidente Dilma Rousseff a se candidatar ao Senado pelo Rio Grande do Sul em 2018. O empecilho seria o eterno candidato Paulo Paim, que ensaia deixar o partido há tempos, mas não sai.

Frase

“É preciso logo fazer uma emenda no Congresso para a eleição direta”, FHC em entrevista ao programa Diálogos, da GloboNews.  

:: Textos publicados nesta página são de inteira responsabilidade do colunista. Não refletem a opinião do Jornal.

.