Sinteac não poderá mais representar os professores do Acre, decide juiz

O Poder Judiciário deferiu um pedido liminar para embargar impedir que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac) represente professores que atuem nas escolas públicas das redes estadual e municipal.

Professores do Acre

Agora, a única entidade que pode falar em nome dos educadores é o Sindicato dos Professores da Rede Pública do Estado do Acre (Sinproacre).

Procurado, o Sinteac informou que já recorreu da decisão da Justiça do Trabalho e que aguarda posição do Poder Judiciário. Contudo, alegou que está a Diretoria está tranquila com a decisão, já que a instituição é a mais antiga e, portanto, tem garantia legal para continuar representando os professores. Além disso, o sindicato representa os técnicos administrativos da Educação.

Essa é, na verdade, uma maçante briga entre sindicatos. Com a suspensão do Sinteac, os recursos financeiros repassados pela União aos sindicatos não chegará à porta do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, e, continuada o bloqueio da representatividade, esse dinheiro poderá ser realocado para o Sinproacre.

No documento, o magistrado diz que não houve o “necessário contraditório”, possibilitando ao Sinproacre que apresente manifestação ao Juízo, se forma a demonstrar que o Sinteac não tem condições legitimas de continuar trabalhando em nome dos professores do estado.

Nota

Com informação ac24horas

Morada da Floresta promove curso sobre parto humanizado

O "Dar à Luz" oferece abordagem baseada em evidências científicas e ferramentas práticas de trabalho interior.

Morada da Floresta do Acre

Estatísticas do Ministério da Saúde mostram como a cesariana, um procedimento cirúrgico indicado para partos de alto risco, ganhou espaço mesmo em casos sem indicação, se consolidando como líder no país. Como resultado, gerações inteiras nasceram de parto hospitalar com intervenções, guardando memórias traumáticas.

Para falar sobre o tema, a Morada da Floresta promove um curso online que vai esclarecer todas as dúvidas sobre parto humanizado e descontruir os medos e mitos que estão inseridos na nossa cultura. 

O “Dar à Luz” será dividido em três módulos: gestação, que aborda os melhores exercícios para gestantes, técnicas de respiração e dicas de alimentação e também na hora do parto que vão ajudar as futuras mamães a elaborar um bom planejamento prévio e pós, com informações de cuidados com o recém-nascido, amamentação, formas de acalmá-lo, entre outros. 

Além disso, o curso vai contar com a participação de profissionais renomados como o obstetra Jorge Kuhn, a parteira Jéssica Nunes, a fundadora da Escola de Renascimento Bioflow, Fanny Vanlaere e algumas famílias que compartilham as suss experiências esta fase tão linda na vida de uma família. 

Para saber mais acesse: http://parto.bebesecologicos.eco.br/

Sobre a Morada da Floresta

A Morada da Floresta atua em duas vertentes: desenvolvimento projetos, soluções e tecnologias socioambientais para a diminuição de resíduos no Brasil e atividades voltadas à educação e conscientização ambiental. Ela oferece soluções socioambientais, cursos, produtos, serviços e desenvolve projetos para incentivar práticas sustentáveis cotidianas e contribuir para o despertar de uma consciência natural e ecológica de cuidado com o indivíduo, com o próprio lar, escolas, ambientes de trabalho e com nosso Planeta, estimulando a transformação de paradigmas atuais rumo à Sustentabilidade Planetária. Para saber mais, acesse: https://moradadafloresta.eco.br

Comunicação

Eletrobrás-Acre é obrigada a instalar energia elétrica em escola

Juízo da Vara Única da Comarca de Mâncio Lima assinalou a necessidade de se garantir a prestação do serviço essencial, para possibilitar a plenitude da cidadania.

O Juízo da Vara Única da Comarca de Mâncio Lima acolheu parcialmente a demanda do Processo n° 0800078- 87.2015.8.01.0015 para condenar a Eletrobrás – Distribuição Acre na obrigação de providenciar a instalação da rede de distribuição de energia elétrica para atender a Escola Municipal de Ensino Infantil Monteiro Lobato.

AA decisão foi publicada na edição n° 5.882 do Diário da Justiça Eletrônica (fl. 78). O juiz de Direito Marcos Rafael, titular da unidade judiciária, ressaltou que por força da concessão, a distribuição e a transmissão devem primar pelo princípio do Acesso Universal, principalmente quando vinculados à prestação de serviço essencial, como é o caso de uma escola pública, possibilitando a plenitude da cidadania.

Entenda o caso

O Ministério Público do Estado Acre propôs Ação Civil Pública requerendo providências sobre a instalação de rede elétrica na Escola Municipal de Ensino Infantil Monteiro Lobato.

Parquet relatou que a unidade escolar foi criada no ano de 2012 e funcionava em uma casa alugada em péssimas condições. A construção do prédio da escola teve início no ano de 2013 e a construtora entregou a obra no início do ano de 2014, contudo, não foi instalada a rede de abastecimento de água e de energia elétrica.

Então, foi solucionada a questão da água e as aulas foram iniciadas, mesmo sem energia elétrica, que foi remediado com a redução da carga horária diária.

O Ente Público municipal requereu a improcedência dos pedidos, colacionou documentos e fotografias que comprovam o cumprimento do que lhe competia quanto à instalação da rede elétrica, inclusive, no que tange às exigências feitas para concessionária, restando pendente apenas instalação da rede de distribuição, de responsabilidade da companhia de energia ré.

A Eletrobrás-Acre quedou-se inerte, não apresentando qualquer manifestação nos autos.

Decisão

Ao analisar o mérito, o juiz de Direito reconheceu que não restou comprovado nos autos que o Município réu estava em falta no cumprimento de suas obrigações, no tocante às instalações elétricas de sua responsabilidade, impondo-se a improcedência da demanda quanto a este último.

O magistrado iniciou salientando as disposições do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) sobre a absoluta prioridade que se defere ao direito à educação infantil. Evidenciou ainda que a Constituição Federal de 1988 atribuiu à União a competência para prestação dos serviços de distribuição de energia elétrica, tratando-se de serviço essencial.

Na decisão, foi tangenciado o entendimento que o acesso à energia elétrica é um serviço público de natureza essencial, constitui direito subjetivo do administrado e, desde que existente a viabilidade técnica, é obrigatória a prestação, pela concessionária do serviço, abrangendo a maior amplitude possível de interessados (princípio da universalidade) e observando a isonomia.

O Juízo reiterou que as instalações que são essenciais à assistência educacional das crianças munícipes, sem a qual não poderão evoluir na vida escolar. “Apesar da escola ter sido entregue como concluída, a ausência de instalação elétrica denota a imprestabilidade para a realização do seu objetivo principal, qual seja, ofertar conhecimento às crianças, figurando como legítimo, portanto, o pleito ministerial”, prolatou o juiz de Direito.

Desta forma, foi confirmada parcialmente a decisão que antecipou os efeitos da tutela.

Luiz na escola

Por GECOM – TJAC

Alunos iniciam tratamento ortodôntico de Saúde na Escola

Alunos de diversas escolas estão sendo contemplados pelo programa. Os beneficiados devem receber os procedimentos ainda este mês.

 Por Mágila Campos 

Mais 30 alunos de Rio Branco foram contemplados com tratamento ortodônticos pelo Programa Saúde na Escola (PSE). Além desses, outros cem já estão participando do projeto. 

No último sábado, 20, as famílias de todos os pacientes se encontraram na Escola Estadual Humberto de Alencar, para conhecer os protocolos de atendimento e assinar o termo de responsabilidade de adesão.

A dona de casa Soraia Monteiro é mãe do estudante Thawan, que vai fazer correção dentária. Na reunião, ela falou da alegria que teve ao saber que o filho teria o acompanhamento médico realizado pelo estado. “Ele vai precisar arrumar os dentes e se não fosse por esse programa teria um gasto financeiro muito grande, porque dentista é caro. Agora, além da economia que vamos fazer, o psicológico dele vai melhorar”, comemora.

Além de representantes do PSE, o evento contou ainda com a presença do secretário estadual de Saúde, Gemil Júnior. “Desde 2013 são ofertados tratamentos como esses para melhorar a vida da nossa população, e hoje trinta novas famílias estão sendo agraciadas com tratamentos gratuitos e de qualidade”, explica.

O Programa

Saúde na Escola é um programa do governo do Estado, por meio das secretarias estaduais de Saúde e Educação, que oferece procedimentos de saúde à comunidade escolar do ensino público.

“Só na área de ortodontia já existem mais de cem estudantes em atendimento, sem contar com esses que vão iniciar o tratamento agora, e quando esses pacientes terminarem, novos serão chamados”, explica o coordenador do programa Rutênio Sá.

Ortodontia

Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada.

escola

Governo divulga edital de seleção para Bolsa Estágio

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Gestão Administrativa (SGA), abre processo seletivo simplificado para contratação de estagiários por meio do programa Bolsa Estágio.

 Por Márcia Moreira 

Os interessados podem submeter inscrições gratuitamente até dia 2 de junho, por meio do site do Centro de Integração Empresa Escola (Ciee).

As vagas serão oferecidas aos municípios de Cruzeiro do Sul, Plácido de Castro, Rio Branco e Xapuri, nas áreas de Administração, Pedagogia, Artes Cênicas, Jornalismo, Economia, Gestão Pública, História, Sistema de Informação e Informática.

Podem participar do processo seletivo universitários devidamente matriculados nas instituições de ensino reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC), com frequência efetiva, idade mínima de 16 anos e disponibilidade de estagiar em regime de 20 ou 30 horas semanais.

Entre os documentos necessários, estão a declaração de matrícula original, cópia do histórico escolar do curso, do RG, CPF e do comprovante de residência. Toda a papelada deverá ser entregue junto ao protocolo de inscrição na sede do Ciee, localizada na Avenida Getúlio Vargas, 3.640, Bosque.

Sobre o Bolsa Estágio

O programa Bolsa Estágio foi instituído no âmbito da administração pública estadual em junho de 2015. A iniciativa tem como objetivo contribuir efetivamente para a inserção do jovem no mercado de trabalho, além de possibilitar o acesso ao estágio a um maior número de estudantes, despertando neles o interesse pelas carreiras públicas.

De acordo com a titular da SGA, Sawana Carvalho, no processo seletivo realizado em agosto de 2016, foram recebidas mais de cinco mil inscrições, e o banco de reserva conta, atualmente, com mais de três mil estudantes aprovados, que estão em aguardo de oportunidades para estagiar em órgãos públicos.

“Por meio do Bolsa Estágio, já foram contratados mais de 200 estudantes que estão lotados em entidades governamentais. Porém, para determinados locais em que a demanda de estagiários são maiores, o banco de reserva já se esgotou, por isso, o governo do Estado viu essa necessidade de abrir mais um processo seletivo para a contratação nessas áreas”, afirma.

Confira o edital completo

Bolsa no acre

Alunos da Escola Salgado Filho recebem ação educativa do Detran

Peça faz parte da programação do Movimento Maio Amarelo e está sendo realizada em outras escolas.

 Por Ana Flávia Soares e Fhaidy Acosta 

Saber desde a infância os direitos e deveres dos pedestres e condutores de veículos é muito importante. Pensando nisso, a Coordenação de Educação do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC) realizou nesta sexta-feira, 19, uma apresentação teatral da peça “Fafaixa e sua Turma no Trânsito”, para os alunos da Escola de Ensino Fundamental Salgado Filho, localizada no bairro Floresta, em Rio Branco.

A atividade contou com apresentações teatrais e distribuição de materiais educativos no período da manhã e tarde. De forma lúdica, a peça de teatro ensina os alunos a importância de respeitar as regras de trânsito, em especial a faixa de pedestre, e como essas atitudes auxiliam na redução de acidentes.

“O objetivo é mostrar aos estudantes o comportamento correto no trânsito e orientar na travessia das faixas de pedestres”, conta a coordenadora de Educação de Trânsito do Detran, Geny Polanco.

A estudante Micaela Wisla, do 4º ano, conta que aprendeu muito com o Fafaixa e sua turma. “Devemos sempre olhar para os dois lados antes de atravessar, esperar o sinal ficar vermelho para os carros, sempre usar a faixa e esperar que os carros parem.”

As apresentações teatrais são realizadas pelas equipes de educação do Detran durante todo o ano. Neste mês de maio, quando ocorre o movimento Maio Amarelo, essas ações estão sendo intensificadas nas escolas da capital e do interior do estado.

Peça faz parte da programação do Movimento Maio Amarelo

Governo garante ações e investimentos nas escolas de difícil acesso

Chegar à Escola Alto Alegre II não é tarefa das mais fáceis. É preciso seguir pela rodovia AC-90 (Transcreana) e, no km 72, entrar no Ramal Jarinal, onde se anda mais 15 quilômetros.

 Por Stalin Melo 

Educação vence todos os desafios

Educação vence todos os desafios para garantir um ensino de qualidade (Foto: Stalin Melo/SEE)

Localizada no município de Rio Branco, mesmo sendo considerada “de difícil acesso”, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), ali realiza investimentos e ações pedagógicas permanentes.

Esta semana, o coordenador de Ensino Rural da SEE, professor Ricardo Oliveira, foi até a escola, com cuja equipe realizou ações de acompanhamento pedagógico, aproveitando para levar também material de limpeza e merenda escolar.

Coordenação de Ensino da SEE está presente em todas as escolas de difícil acesso do estado (Foto: Stalin Melo/SEE)

As mesmas atividades também serão realizadas nas escolas Aderaldo Cordeiro e Canto do Sabiá, também no Jarinal. São 677 estabelecimentos em todo o estado, das quais 428 são rurais. “Fora os anexos de muitas escolas, o que aumenta o número”, afirma o coordenador.

Ricardo explica que a escola rural, em muitos casos, é a única referência que as comunidades têm do poder público. É o caso da instituição do Jarinal, cujo espaço é utilizado para a realização de reuniões, encontro das associações de produtores e até festividades.

Pelas dificuldades que são enfrentadas, sobretudo em relação ao acesso, a parceria com a comunidade é fundamental. Na visita do coordenador, por exemplo, o carro que fazia o transporte do material ficou atolado no meio do caminho. Foi o apoio dos moradores que garantiu a chegada dos produtos até a escola.

Vale tudo para chegar à escola

A Escola Alto Alegre II tem, nos dois turnos de ensino, 85 alunos que estudam no Programa Asas da Florestania e também nas turmas multisseriadas. Há estudantes desde o quinto ano do ensino fundamental até o segundo ano do ensino médio.

De acordo com o professor Valmir Machado, coordenador de ensino da instituição, só não existe terceiro ano do ensino médio porque não há alunos: “Mas o ano que vem vai ter, porque este ano estamos com duas turmas de segundo ano”.

Alunos não medem esforços para chegar à escola e ter acesso a um ensino de qualidade (Foto: Stalin Melo/SEE)

E, para chegar à escola, os alunos utilizam todos os recursos. Há quem vá a pé, de quadriciclo, de moto ou até mesmo de cavalo. Em muitos dias é comum ver os animais “estacionados” em frente à escola.

Ainda há um anexo da escola na Comunidade Oriente, que fica a 20 quilômetros dali. Como o espaço é municipal, há uma parceria entre o governo e a Prefeitura de Rio Branco, que mantém o funcionamento e garante a qualidade da educação na localidade.

Quatro horas de caminhada

Professoras passam a semana toda na Escola e são bem recebidas na comunidade (Foto: Stalin Melo/SEE)

Os alunos enfrentam longos percursos para chegar à escola, o que demonstra o interesse de todos por uma educação de qualidade. Mas não estão sozinhos. As professoras que lecionam na Alto Alegre II também realizam um grande esforço para chegar à comunidade.

Elas têm histórias semelhantes para contar. Andam, desde a entrada do ramal até a escola, 15 quilômetros. Algo em torno de quatro horas de caminhada. Fazem isso uma vez por semana e dividem o alojamento disponibilizado pela gestão escolar.

Laura Vanessa Marques, Camila Cristina dos Santos e Solange de Lima são as mais novas. Chegaram à comunidade este ano, mas dizem estar “adorando” tanto o ambiente de trabalho quanto a experiência de trabalhar em uma comunidade rural.

Já Sandra Helena dos Santos é a mais experiente do grupo. Ela veio de Pernambuco, chegou a dar aula na cidade, mas diz que não adaptou. Na Alto Alegre II, a única dificuldade que relata é sobre o acesso. “Mas aqui temos, além de material, todo o acompanhamento pedagógico”, relata.

Exemplo para a comunidade

Outro grande exemplo para todos os alunos do Jarinal e para a própria escola é a professora Eliene de Oliveira. Ela mora na comunidade e, todos os dias, anda 5 km a pé para lecionar. Conhece todos os alunos e responsáveis, o que facilita no processo de ensino.

Professora Eliene costuma realizar dinâmicas com os alunos (Foto: Stalin Melo/SEE)

Formada em História, ministra ainda aulas de Geografia e Religião. Eliene trabalha com dinâmicas, o que contribui para aproximar os alunos, criar um espírito de colaboração e, também, despertar o interesse pela aprendizagem.

Leciona há quatro anos na escola e afirma que não pretende sair. “Estudei, me formei e agora voltei para a minha comunidade, porque gosto daqui e quero ajudar outros alunos a se formarem e a terem um futuro melhor”, afirma.

Estudo e dedicação

Sandra Helena acredita que os alunos da zona rural, como regra, são mais dedicados e esforçados. Um bom exemplo disso é o João Lucas Souza. Aos 18 anos, está no segundo ano do ensino médio e chama a atenção na escola.

Não apenas pela dedicação aos estudos, o que proporciona orgulho para a sua mãe, mas também pela forma de se vestir – as professoras dizem que é habitual ele ir à escola com “camisa de punho”. “Ele sempre anda bem vestido”, relatam.

Todos os dias, João Lucas usa uma moto da família e ali carrega a irmã, que estuda no quinto ano do ensino fundamental, e a namorada. Estudioso, sua meta é ser médico veterinário. “Também já pensei em ser policial militar. Estou estudando”, diz ele.

João Lucas está no segundo ano do ensino médio quer ser médico veterinário (Foto: Stalin Melo/SEE)

Como nasceu na comunidade, o mais importante para ele é estudar e poder voltar. “Gosto daqui, gosto dos professores, todos são bons, por isso quero estudar e poder voltar e ajudar a minha comunidade”, faz questão de dizer.

História de Luta

Maria Aparecida trabalha na Alto Alegre II como merendeira, onde tem dois filhos estudando (Foto: Stalin Melo/SEE)

No que se refere à luta e à dedicação, João Lucas tem em que se espelhar. Sua mãe, Maria Aparecida de Souza, trabalha na escola Alto Alegre II como merendeira. “Tenho dois filhos estudando aqui”, conta.

Natural do Paraná, ela morou alguns anos em Rondônia antes de vir para o Acre. Na comunidade do ramal Jarinal, ela mora há 22 anos, dos quais três como merendeira da escola.

Além de trabalhar com esmero, preparando a comida dos alunos caprichosamente, explica que por estar perto dos filhos é melhor o acompanhamento deles em sala de aula. “São bons filhos, tenho orgulho de todos, mas quando precisa dou puxão de orelha”, afirma.

Educação do Acre

Governo investe R$ 16 milhões em climatização de escolas no Acre

Investimento beneficiará 207 escolas e cerca de 140 mil alunos. Escolas dos 22 municípios acreanos serão contempladas.

 Por Mágila Campos 

Escola

Com o objetivo de melhorar os espaços de ensino-aprendizagem do Acre, o governador Tião Viana destina R$ 16 milhões este ano para o programa de climatização das escolas estaduais da região. O aporte é originário de recursos próprios do Estado.

O investimento contemplará os 22 municípios, beneficiando diretamente 207 escolas estaduais e cerca de 140 mil estudantes, além de professores e servidores.

O lançamento do programa será realizado no auditório da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), na segunda-feira, 22, às 10h30. Autoridades regionais participarão do evento.

“Essa medida mostra a sensibilidade do governador Tião Viana com a melhoria do ensino acreano, ao passo que valoriza ainda mais nossos professores e estudantes, que vão ganhar ambientes mais agradáveis para desenvolver suas atividades com mais conforto”, comemora o secretário adjunto de Educação, José Alberto Nunes, o Xaxá.

Execução

Os recursos serão utilizados para aquisição e instalação dos aparelhos de ar-condicionado e estruturação da rede elétrica das escolas públicas rurais e urbanas.

A execução do programa se dará em três etapas. A primeira beneficiará 24 instituições de ensino, a segunda abrangerá outras 33, e a terceira contemplará mais 150 estabelecimentos escolares. A previsão para a conclusão de todas as etapas é para setembro de 2018.

Estudantes já podem baixar o aplicativo do Enem 2017; confira

O aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está disponível a partir de hoje (17) para download.

Para garantir a segurança na utilização da ferramenta, o app deve ser baixado direto da loja de aplicativos do seu celular – Google Play e App Store – e o usuário deve confirmar se o nome do desenvolvedor é o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Disponibilizado pela primeira vez no ano passado, desta vez o aplicativo terá uma seção de notícias e acesso liberado ao público geral, permitindo que pais, professores e jornalistas acompanhem as áreas que não exigem login do participante. Outra novidade é a liberação dos espelhos de redação no app.

O aplicativo disponibiliza informações tanto antes do exame, com dados da situação da inscrição, cronograma, locais de provas e o Cartão de Confirmação, quanto após o exame, com o gabarito, o resultado individual e o espelho da redação.

A função Alerta permite ao usuário selecionar informações sobre as quais deseja ser notificado quando ocorrerem atualizações no cronograma. Também é possível fazer um checklist das ações concluídas durante as etapas do exame, facilitando o acompanhamento de pendências. No Mural de Avisos, o participante pode acessar comunicados oficiais do Inep. A seção Perguntas Frequentes ajuda a esclarecer dúvidas.

Após a instalação do app no celular ou tablet, o participante deve inserir o CPF e a senha cadastrada no Sistema de Inscrição do Enem. O aplicativo é gratuito e está disponível para os sistemas Android e IOS.

Inscrições

Até as 11h desta quarta-feira, 4,5 milhões de candidatos se inscreveram no Enem. As inscrições podem ser feitas até o dia 19, pelo site do exame. As provas serão aplicadas em dois domingos consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro. Para concluir a inscrição, o candidato deve pagar a taxa de R$ 82. O prazo para pagamento vai até o dia 24 deste mês.

Pelas regras do edital, estão isentos da taxa os estudantes de escolas públicas que concluirão o ensino médio este ano, os participantes de baixa renda que integram o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e os que se enquadram na Lei 12.799/2013 que, entre outros critérios, isenta de pagamento aqueles com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio, ou seja, R$ 1.405,50.

O resultado das provas poderá ser usado em processos seletivos para vagas no ensino público superior, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Em caso de problema na hora da inscrição, os candidatos podem ligar para o Inep pelo telefone 0800 616161. O atendimento é das 8h às 20h, no horário de Brasília.

Enem 2017

Escola Lindaura Leitão recebe campanha “Quem Ama Abraça”

Alunos participam de palestra sobre a importância de se combater a violência contra a mulher.

 Por Luciano Pontes 

Durante toda a manhã desta terça-feira, 16, a escola Lindaura Martins Leitão recebeu mais uma das diversas atividades da campanha “Quem Ama Abraça – Fazendo Escola”.

A campanha de cunho nacional chegou ao Acre por iniciativa do governo do Estado e está sendo realizada pela Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SEPMulheres), em conjunto com a Secretaria de Educação e Esporte (SEE), e demais entidades parceiras.

A iniciativa tem foco nas escolas e mobiliza crianças e adolescentes para o debate e superação das diferentes formas da violência contra as mulheres.

Durante a atividade, Alyne Brandão, professora de Educação Sexual, ministrou uma oficina e uma roda de conversa sobre gravidez na adolescência, educação sexual e cultura de paz.

A gestora da SEPMulheres, Concita Maia, afirmou que a campanha tem caráter educativo e preventivo e se firma em novos modelos e conceitos relativos à posição da mulher na sociedade.

“Precisamos conscientizar não somente as mulheres, mas também crianças e jovens, por meio da educação, sobre a questão da violência doméstica. Queremos falar para todas as pessoas, para que elas possam reproduzir uma cultura de paz, da não violência”, destacou Concita Maia.

escola no Acre