Professora mandava fotos e exigia sexo para aumentar notas de alunos; Vídeo

A professora colombiana Yokasta M, de 40 anos, que lecionava em Medellin, tinha métodos "pouco usuais" para avaliar seus alunos.

Segundo o portal La República, do Peru, ela ameaçava os alunos, principalmente de 16 e 17 anos, afirmando que iria melhorar as notas deles se fizessem sexo com ela. Caso eles negassem, Yokasta falava que iria reprová-los.

Ela foi descoberta pelo pai de um aluno ao enviar fotos provocantes para seu celular. Agora ela pode ser condenada a até 40 anos de prisão, e seu marido está pedindo o divórcio.

Veja algumas das imagens que a educadora enviava:

(Com informações do portal do Holanda e La Republica)

Educação realiza oficinas com pais e alunos em Sena Madureira

Pais dos alunos também participaram das atividades. Atividades foram realizadas no Centro de Educação Permanente.

Equipes da Secretaria de Educação e Esporte do Acre (SEE) estiveram em Sena Madureira na última semana para realizar uma atividade diferente com pais e alunos da escola Assis Vasconcelos.

O município, distante 144 quilômetros da capital, é um dos maiores do estado e concentra uma grande quantidade de jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Na quinta-feira, 9, o encontro reuniu alunos do 9º ano do ensino fundamental na sede do Centro de Educação Permanente (Cedup). Dinâmicas em grupo, jogos e gincanas foram apresentados durante as oficinas que abordaram temas do cotidiano.

Anderson Gomes, técnico da SEE que acompanhou as atividades, explica que os encontros possibilitam que os estudantes reconstruam suas habilidades sociais.

“Nós iniciamos com uma dinâmica de identidade grupal. Vídeos foram apresentados, debatidos e assim nós montamos um conceito coletivo das habilidades sociais. Dentre essas habilidades, nós optamos por trabalhar o relacionamento interpessoal e as maneiras de lidar com as emoções”, lembrou.

Os pais

Na sexta-feira, 10, os pais dos alunos também tiveram a oportunidade de integrar as oficinas. Eles receberam noções de como estabelecer relacionamentos de qualidade com os filhos e no convívio social.

Representantes de outras instituições, como o Ministério Público Estadual (MPE/AC), também se fizeram presentes durante a programação realizada no município.

Entre as grandes dificuldades enfrentadas pelos chefes de família estavam o desafio de lidar com os problemas, angústias e identificar as habilidades dos menores.

“Conversamos sobre a função dos pais na vida dos adolescentes, como lidar com os filhos no dia a dia e estabelecer uma cultura de paz na família. Destacamos que o maior aprendizado se dá pelo exemplo e que essa regra é fundamental para a formação desses indivíduos”, disse Gomes.

IDM convoca candidatos para matrícula dos cursos técnicos de educação

O instituto Estadual de Desenvolvimento da educação Profissional e Tecnológica Dom Moacyr Grechi (IDM).

Torna pública a lista dos candidatos sorteados e convocação para efetivação das matrículas às vagas de cursista dos cursos técnicos subsequentes na modalidade de educação à distância, do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego:

Lista de Candidatos Sorteados para Confirmação de Matricula dos Cursos Técnicos Subsequente na modalidad EaD

Servidores públicos temporários têm direito a férias remuneradas

Decisão da 1ª Turma Recursal considerou que entendimento diverso por parte do Judiciário constituiria ofensa ao princípio da isonomia previsto na Constituição Federal de 1988.

A 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais confirmou o entendimento de que servidores públicos temporários também têm direito a férias remuneradas e o chamado “terço constitucional” (acréscimo de 30% sobre os vencimentos no período de folga), em decorrência dos vínculos contratuais de natureza administrativa.

A decisão, que teve como relator o juiz de Direito Raimundo Nonato, publicada na edição nº 5.994 do Diário da Justiça Eletrônico (DJE, fl. 8), ocorreu nos autos da ação indenizatória, movida por um professor temporário da rede pública de ensino em desfavor do Estado do Acre.

Entenda o caso

O autor alegou à Justiça que foi contratado pelo Ente Público, por meio de sucessivos contratos provisórios, tendo exercido “por vários e seguidos anos” o cargo de professor temporário junto à rede pública de ensino.

Ainda segundo o autor, durante todo o período o Estado do Acre não procedeu ao pagamento de verbas previstas na Constituição Federal de 1988, como férias remuneradas e o chamado “terço constitucional”, o que motivou o ajuizamento da ação indenizatória.

Em contestação, o Ente Público alegou que o pedido não merece guarida da Justiça Estadual, uma vez que nenhum dos contratos firmados com o autor ultrapassou o período de doze meses de duração.

O pedido indenizatório foi julgado procedente pelo Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca de Rio Branco. A decisão considerou que as verbas reivindicadas pelo autor são legalmente devidas por força de mecanismo constitucional, sendo o vínculo administrativo temporário suficiente para motivar o pagamento dos haveres.

Recurso negado

Ao analisar o RI interposto pelo Estado do Acre junto à 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais, o juiz de Direito Raimundo Nonato (relator) destacou que a discussão sobre o tema é “pacífica”, segundo o entendimento dos Tribunais Superiores do País.

O magistrado também assinalou que servidores temporários no exercício da atividade docente fazem jus a férias proporcionais de 45 dias por ano, sendo que a não observância da regra constitui violação ao chamado princípio da isonomia (uma vez que professores efetivos teriam direito a férias maiores que seus pares temporários, o que se constituiria numa desigualdade).

Por outro lado, o relator ressaltou que não há nos autos do processo qualquer prova “capaz de desnaturar os fatos e documentos constitutivos de prerrogativas” do autor, o que impõe a manutenção da sentença prolatada pelo Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca da Capital “por seus próprios fundamentos”.

Os demais juízes que compõem a 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais acompanharam, de maneira unânime, o entendimento do relator.

Por GECOM – TJAC

Comunicado do Sinteac de Brasileia aos trabalhadores da Educação Municipal

O Sinteac informa que encerrou o ciclo de negociação deste ano corrente e retomará o ciclo de negociação em 2018, pois a prefeita Fernanda Hassen mostrou que não tem viabilidade econômica/financeira para reajustar ou ajustar a carreira dos servidores nesse momento.

Comunicamos aos servidores da Educação Municipal de Brasiléia que hoje 30/10/2017 juntamente com a comissão de negociação eleita em assembleia para representar os servidores durante a negociação da data base de 2017, assim como na reformulação do PCCR da educação municipal encerramos o ciclo de negociação referente a data base de 2017, sem avanços

No tocante a melhoria da remuneração dos servidores. Apesar de várias tratativas e argumentos apresentados a equipe técnica juntamente com a gestora do município prefeita Fernanda Hassen mostrou que não tem viabilidade econômica/financeira para reajustar ou ajustar a carreira dos servidores nesse momento.

Encerrando assim o ciclo de negociação deste ano, propondo que em 2018 retomará as negociações para cumprir com as reivindicações da categoria no mês de março do ano informado.

Vale lembrar que estivemos empenhados em buscar representar bem a nossa categoria, mas conceder benefícios aos servidores não é de competência do sindicato e muito menos daqueles que estiveram à frente da Comissão de negociação tentando fazer o que lhes competia para avançarmos na pauta de reivindicações.

Estamos tristes, mas não vencidos, esperamos contar com a compreensão de todos e em breve estaremos marcando assembleia deliberativa para que possamos encaminhar quais são as nossas próximas ações.

Estudantes acreanos são destaque na Mostra Brasileira de Foguetes

Ejorb ficou na faixa das escolas vice-campeãs na Mostra Brasileira de Foguetes.

 Por Thiago Bezerra 

As escolas de tempo integral vieram para ficar. Um exemplo do sucesso desse modelo de educação foi a participação da Escola José Ribamar Batista (Ejorb) na 11ª Mostra Brasileira de Foguetes, entre os dias 23 e 26 de outubro, na cidade de Barra do Piraí, no Rio de Janeiro.

A Ejorb ficou na faixa das escolas vice-campeãs do evento que, além do lançamento de foguetes tem ainda palestras, diversos planetários e oficinas.

Participaram das atividades os alunos Rafael Alves e Elivan Alves, do segundo ano, que foram coordenados pelo professor de Física Fernando Ramirez. É a terceira vez que a escola é selecionada para participar tanto da Mostra quanto da Olimpíada de Astronomia.

Em 2015, neste evento, a Ejorb conquistou medalhas de ouro e prata e no ano passado medalha de prata. “Este ano, porém, foi a primeira vez que participamos da mostra lançando foguetes”, explicou o professor.

Para ser selecionada, as equipes deveriam lançar cada foguete a uma distância mínima de 120 metros. Durante a apresentação, feita sem a ajuda do professor, os alunos conseguiram lançar a uma distância de 138 metros. “Por apenas três metros não ficamos na faixa dos campeões, lembrou Ramirez.

A partir de agora, de acordo com ele, já inicia a preparação dos alunos para o evento do ano que vem. “Foi a nossa primeira vez e não tínhamos noção de como funcionavam as atividades, mas da próxima vez será diferente, vamos conseguir render muito mais”, disse.

“A Mostra é, na verdade, um estímulo à ciência e, por isso, acreditamos que nossos alunos fizeram bonito porque competiram com instituições federais e escolas particulares, mostrando que estamos no mesmo nível desses competidores que já têm experiência”, destacou.

Participação dos alunos

Fernando Ramirez fez questão de destacar a participação dos alunos na Mostra. Segundo o professor, em nenhum momento os alunos demonstraram nervosismo na hora de apresentar os trabalhos e tampou no lançamento dos foguetes.

“Muitas equipes ficaram nervosas na hora de colocar o foguete na base, mas eles (Rafale e Elivan) não. Eles tiveram muita frieza, paciência e conhecimento para fazer o lançamento. Inclusive, muitas equipes, na hora, sequer conseguiram chegar aos 120 metros”, lembrou.

Chegar aos 200 metros

A partir dessa experiência, o professor Fernando acredita que, ainda este ano, os alunos conseguirão fazer com que os foguetes lançados por eles cheguem a 200 metros.

“Disso eu não tenho a menor dúvida. Nossa meta já para esse ano é essa e, na Mostra do ano que vem certamente estaremos entre as escolas campeãs”, fez questão de afirmar.

Enem será aplicado para mais de 54 mil inscritos no estado do Acre

Nos dias 5 e 12 de novembro, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 será aplicado no estado do Acre para 54.379 participantes.

O número representa 0,8% do total de 6.731.203 inscritos. As provas serão aplicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em 17 municípios, mesmo número do ano passado, apesar no número de participantes ser 11% menor. No Enem 2016, o estado teve 61.146 participantes. A queda no número de inscrições é consequência Enem ter deixado de certificar o Ensino Médio, tarefa que voltou ao Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Perfil – No Acre, 21,3% dos participantes são pagantes; 60,1% foram isentos do pagamento da taxa de inscrição em função da Lei ou do Decreto e 18,6% obtiveram a gratuidade automática por estarem concluindo o Ensino Médio na rede pública em 2017. Em relação à situação de ensino; 74,8% já concluiu o Ensino Médio; 19,7% é concluinte este ano; 4,5% concluirá após 2017 (treineiro). Do total de participantes do Acre, 57,3% são mulheres e 42,7% são homens.

Atendimentos – Foram aprovados 355 atendimentos especializados no Acre. A maioria dos casos é de deficiência física, baixa visão e deficiência intelectual. Serão usados 686 recursos de acessibilidade, sendo 12 videoprovas traduzidas em Libras, novidade desta edição. Também serão 184 atendimentos específicos, 50,5% para lactantes. O estado não teve solicitações aprovadas para atendimento pelo nome social.

Participantes por faixa etária

Menor que 16 – 684
Igual a 16 – 2.125
Igual a 17 – 4.978
Igual a 18 – 5.858
Igual a 19 – 5.127
Igual a 20 – 4.286
De 21 a 30 – 21.581
De 31 a 59 – 9.698
Maior ou igual a 60 – 42

Confira o total de inscritos por município de aplicação

Escolas do município de Brasileia participa do Prova Brasil

Está sendo realizado em todo o país as avaliações do Prova Brasil, que são avaliações para diagnóstico, em larga escala, desenvolvidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC).

Têm o objetivo de avaliar a qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro a partir de testes padronizados e questionários socioeconômicos.

A Prefeitura de Brasileia por meio da Secretaria Municipal de Educação, está desde o início do ano realizando capacitações e simulados tanto para os professores quanto para os alunos que irão realizar as provas nesta quarta-feira, 25 de outubro. As provas são realizadas a cada dois anos, e apresenta o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de cada escola, município e estado.

Segundo a secretária municipal de educação, Ramiege Rodrigues, atualmente o IDEB do município de Brasileia é de 5.2 pontos. “A nossa expectativa é que após as avaliações desse ano possamos subir a pontuação para 6. Irão participar das avaliações turmas do 5° e 9° ano do ensino fundamental e as turmas do 3° ano do ensino médio, totalizando a participação de 6 escolas do ensino fundamental, 3 área urbana e 3 área rural, e 5 escolas estaduais presente no município, a exemplo das escolaKairala José Kairala (KJK)”, informou Ramiege Rodrigues.

Nos testes aplicados no quinto e nono ano do ensino fundamental, os estudantes respondem a itens (questões) de língua portuguesa, com foco em leitura, e matemática, com foco na resolução de problemas. No questionário socioeconômico, os estudantes fornecem informações sobre fatores de contexto que podem estar associados ao desempenho.

Professores e diretores das turmas e escolas avaliadas também respondem a questionários que coletam dados demográficos, perfil profissional e de condições de trabalho.

A gestora Francisca Oliveira, da escola Élson Dias Dantas, falou da importância da realização do Prova Brasil. “É um momento importante para nós professores, pois a avaliação do Prova Brasil vai nos dar uma média para nossa escola. E a SEME realizando essas capacitações nos motiva para dar continuidade no nosso trabalho”, relatou Francisca.

As provas são realizadas em todo o país e iniciaram no dia 23 de outubro encerrando no dia 3 de novembro.

A prefeita destacou a importância de cuidar dos nossos alunos e melhorar o IDEB do município.

“Passamos o ano inteiro trabalhando para que pudéssemos melhorar a qualidade do nosso ensino em Brasileia, tendo como referência a escola estadual Getúlio Vargas que possui o maior IDEB do nosso município, e porque não uma escola municipal possa alcançar essa meta. E esse é o momento em que o poder público precisa investir ainda mais na educação, cuidando do nosso presente, cuidando dos nossos alunos, para que possamos ter um futuro ainda melhor”, destacou Fernanda Hassem.

Ufac repudia carta racista contra estudante indígena em Cruzeiro do Sul

Em carta anônima, jovem foi chamada de ‘caboca [sic] e imunda’. Autor da carta pode ser expulso da universidade.

Autor da carta pede ainda que a menina desista de se formar na Ufac (Foto: Arquivo pessoal)

Universidade Federal do Acre (Ufac) usou o perfil oficial da instituição no Facebook para repudiar o ato de racismo registrado no campus Floresta, em Cruzeiro do Sul, na última semana.

A estudante do 2º período de pedagogia, Kethyla Taiane, recebeu uma carta anônima com ofensas racistas por ser descendente de indígenas da etnia Araras.

“Expressa com veemência o repúdio a qualquer atitude racista e machista que ocorra na sociedade, em especial dentro das dependências desta instituição. Desta forma, nos solidarizamos com a discente do curso de pedagogia de Cruzeiro do Sul, Kethyla Taiane Shawanava de Almeida que na quarta-feira,18, foi vítima de racismo através de carta anônima dentro das dependências do campus. Nesse sentido, a Universidade tomará às medidas legais cabíveis”, diz a nota.

A coordenação do curso já havia informado que um processo administrativo deve ser aberto e que o autor da carta pode ser expulso da universidade.

A carta foi deixada durante o intervalo de aula entre as coisas da estudante.“Não sei quem teve a brilhante ideia de misturar pessoas normais com índios. Porque raça nojenta é essa. Observamos que os professores todos gostam de você, deve ser por ter pena. (…) Tira a tua máscara garota. Deixa de ser essa caboca [sic] nojenta e imunda que tu é”, diz um trecho da carta.
O texto também contém outros ataques e o autor diz que quer que a garota desista do curso. A Polícia Federal está investigando o caso.

A carta continua dizendo que a estudante tem um inimigo no curso e que o objetivo é que ela desista de estudar. “Vai tomar caiçuma e ter uns 11 meninos na aldeia. (…) Deixa de ocupar uma vaga que poderia ser de outra pessoa. (…) Saiba que tem um grande inimigo aqui, que vai infernizar até tu desistir. Espero que se toque. Beijos de luz, caboca [sic] nojenta”, finaliza a carta.

Os pais da menina se disseram perplexos com a situação. Alguns alunos e direção de escola que a menina frequentou na cidade também usaram as redes sociais para se solidarizarem com a estudante.

Do G1 Acre

ISE e Rotary Club de Rio Branco qualificam adolescentes

Parceria entre governo e ONG proporciona qualificação profissional para adolescentes em medida socioeducativa.

O Instituto Socioeducativo do Acre (ISE) ganhou mais um importante aliado na ressocialização e formação dos jovens que cumprem medidas socioeducativas. O Rotary Club de Rio Branco deu início ao curso de customização, corte e costura no Centro Socioeducativo Mocinha Magalhães.

Ao todo, 13 jovens com idades entre 13 e 18 anos e que apresentam bom comportamento na unidade receberão a capacitação, com duração de 30 dias, e ao final do curso, receberão certificados e já se preparam para o mercado de trabalho.

O curso de customização corte e costura tem por objetivo reciclar peças de roupas usadas, fazendo modificações por meio da arte da costura e produzindo novas peças que possam ter valor comercial.

Aprendendo com quem conhece

Uma das mediadoras do curso é Ana Nobre, que iniciou sua carreira no Rotary Club por meio de uma ação da organização voltada a pessoas que sofriam violência doméstica.

Hoje, Ana Nobre tem seu próprio ateliê, e como forma de agradecimento promove curso de formação, ajudando pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Para o diretor-presidente do ISE, Rafael Ameida, que agradece a direção do Rotary Clube pela parceria, oportunidade é a palavra que resume todas as ações do ISE. “Nosso maior orgulho é ver nossas jovens serem transformadas por meio de ações positivas de outras pessoas. O Rotary Club veio para somar ao time de campeões do ISE, que tanto luta pela mudança de centenas de jovens que, no passado, deram prejuízo à sociedade, mas que hoje estão sendo transformados, e trilham uma nova realidade de vida”, disse Rafael.