Professora é presa após fazer sexo com quatro alunos, em Arkansas

Jessie Lorene Goline, de 25 anos, enfrenta acusação de abuso sexual em primeiro grau nos Estados Unidos.

Uma professora foi presa nessa quarta-feira, 20, sob acusação de ter feito sexo com quatro alunos em Arkansas, nos Estados Unidos.

Três adolescentes estudavam na mesma escola em que a profissional trabalhava. O outro jovem era de uma instituição diferente.

Conforme documentos de um tribunal de Arkansas, a ex-professora de artes do ensino médio manteve contato com os estudantes por meio de mensagens de texto, que ganharam ares sexuais com o tempo.

De acordo com um dos alunos, a primeira relação sexual que teve com Jessie foi quando ela o convidou para o seu apartamento.

Outra vítima afirmou que a mulher o pegou na escola e levou para a sua casa, local onde fizeram sexo duas vezes. Segundo a emissora KAIT-TV, o jovem afirmou que na mesma noite outro estudante teria aparecido no local.

Jessie confirmou as acusações, mas afirmou que pensava que um dos adolescentes tinha 18 anos, sendo que era "muito mais novo do que dizia". Os atos aconteceram de janeiro a abril de 2016.

A professora foi presa, mas acabou sendo liberada no mesmo dia depois de pagar fiança de aproximadamente R$ 15 mil. O julgamento dela está marcado para o dia 31 de outubro. Em caso de condenação, ela pode pegar de 10 a 40 anos de prisão ou até mesmo prisão perpétua.

As informações são do UOL / Foto: Ilustrativa

Viver Ciência espera receber 30 mil pessoas em três dias de evento

Viver Ciência está se consolidando como um dos maiores eventos de educação do estado. Abertura da Viver Ciências contou com a presença de alunos de várias escolas de Rio Branco.

Pelos próximos três dias, Rio Branco vai sediar a terceira edição da Mostra Científica Viver Ciência, que este ano traz como tema “Ciência Unindo Saberes”. Realizado pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), o evento será no campus da Universidade Federal do Acre (Ufac).

A vice-governadora Nazareth Araújo prestigiou a abertura da mostra, que este ano pretende receber mais de 30 mil pessoas em sua extensa programação educacional e cultural.

“Esperamos que as pessoas prestigiem e valorizem o que está sendo produzido nas escolas na área de ciência e tecnologia. A ideia é de que este momento do Viver Ciência mude a natureza das escolas, para que possamos ter nas escolas do século XXI uma escola na qual o conhecimento faça sentido e seja construído com a participação de todos”, destacou Nazareth Araújo.

O Viver Ciência já entrou no calendário estudantil de Rio Branco. A mostra conta com a participação de estudantes de escolas públicas e privadas da região e atividades em todas as áreas do conhecimento. Este ano, os projetos de pesquisas somam 243 e as oficinas e minicursos, um total de 69. As atividades culturais bateram recorde de inscrições e nesta edição 59 atrações se revezarão no palco cultural.

Para o secretário de Educação, Marco Brandão, o Viver Ciência é um dos maiores eventos de ciência do país. “Sua importância é indescritível. Não dá para mensurar a relevância dessa ação, que na verdade não é uma finalidade em si, mas o resultado de uma mudança de postura na escola, dos professores e dos nossos alunos”, disse.

Ainda segundo o secretário, a Viver Ciência é resultado da 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada no Acre em 2014 e que a SEE deu continuidade, fazendo com que as ações integrem o calendário acadêmico escolar do estado.

Para a estudante Vitória Beatriz Rodrigues, participar pela primeira vez é muito inspirador. “O Viver Ciência é muito importante, porque, de certa forma, alegra o coração dos estudantes que querem crescer na área de ciência e tecnologia. Isso nos motiva a buscar sempre mais conhecimentos que nos inspirem a fazer a diferença na nossa vida educacional”, frisou.

Servidores da educação de Brasileia e Epitaciolândia recebem formação

Seguindo o cronograma elaborado pela Secretaria Estadual de Educação e Esporte do Acre (SEE), as Prefeituras de Brasiléia e Epitaciolândia iniciaram na segunda-feira, 18, o curso Educar e Cuidar, Desafios da Educação Infantil.

A formação está sendo realizada no município de Brasileia, no auditório do CEDUP, terá duração de 5 dias, encerrando na próxima sexta-feira,22, e é uma realização da Secretaria de Estado de Educação, por meio da Escola do Servidor, UNIDIME e prefeituras.

O curso tem como objetivo trabalhar as concepções que fundamentam as práticas na educação infantil em função do educar e cuidar, fazendo reflexões sobre criança e infância.

“A formação que estamos realizando hoje tem um papel muito importante para os dois municípios, pois estamos propiciando aos professores, do ensino infantil, das duas cidades a desenvolver um trabalho com maior qualidade. Nós precisamos desenvolver de forma integral esse conhecimento nas crianças”, falou a secretária de educação de Brasiléia, Ramiege Rodrigues.

Esteve prestigiando a abertura do curso a Prefeita de Brasileia Fernanda Hassem, a professora Márcia Barroso Loureto, a secretária de educação de Brasileia Rameige Rodrigues, o secretário de educação de Epitaciolândia Cleomar Portela, as coordenadoras de educação infantil professoras Rosa Maria e Maria Castro além das gestoras Maria Auxiliadora e Emilia Azevedo.

Com a realização da formação para os educadores dos dois municípios, encerra-se um ciclo em relação ao letramento na educação infantil.

“Nós estamos muito contente com essa parceria com a prefeitura de Brasileia, em nome da Fernanda Hassem, e governo do Estado, por meio da Escola do Servidor e UNDIME. Essa formação vem para tirar todas às duvidas, nos esclarecendo que as crianças tem que ter todo o lúdico para que os nossos alunos do ensino infantil saiam com o letramento já iniciado”, informou o secretário de educação de Epitaciolândia, Cleomar Portela.

A prefeita Fernanda Hassem agradeceu ao governo do Estado, ao Tião Flores prefeito de Epitaciolândia, e aos secretários de educação de ambos os municípios por saberem aproveitar a geografia das cidades para realização do curso.

“Nós temos que superar esses momentos de dificuldades, esses momentos de crise financeira utilizando a criatividade, fazendo o novo e trazendo o novo. Um dos maiores desafios é o letramento das crianças durante a educação infantil, que muitas delas tem como referencia de família a escola e suas gestoras, por esse motivo precisamos investir nos nossos profissionais e esse é o nosso sentimento enquanto prefeitura”, ressaltou Fernanda Hassem, Prefeita de Brasileia.

Academia Juvenil Acreana de Letras empossa novos membros

A Academia Juvenil Acreana de Letras (AJAL) empossou três novos escritores acreanos. Wellington Vidal, Manoella Magalhães e Alessandro Santos agora integram o seleto grupo de 16 escritores do órgão.

Wellington, Manoella e Alessandro são os mais novos membros da AJAL (Foto: Mágila Campos)

Entusiasmado, Wellington Vidal disse que era uma honra fazer parte de uma academia de letras. “Estou lisonjeado, porque esta academia é formada por grandes escritores. Então, fazer parte desta equipe também é uma honra muito grande”, comemora.

A posse foi realizada no último fim de semana na sede do órgão, que está localizada no Centro de Referência e Inovações Educacionais (Crie). Amigos e familiares participaram da solenidade.

O presidente da academia, Jackson Viana, disse que a inserção de novos integrantes é a prova de que a instituição está cumprindo seu papel de revelar talentos regionais.

“No Acre há bons escritores, por isso trabalhamos para descobrir, aprimorar e desenvolver as habilidades desses estudantes. O que estamos fazendo aqui é apresentar esses intelectos para a sociedade”, explica.

AJAL

A AJAL é a primeira instituição de cultura voltada a jovens escritores no estado. Foi fundada em 22 de abril de 2015. De acordo com o presidente, para fazer parte do estabelecimento o jovem precisa ter entre 12 e 18 anos e habilidade com a escrita.

Servidores que recebiam sem trabalhar serão demitidos

Um deles, recebeu salários sem trabalhar durante o período de seis anos. Isso, na avaliação do MPE e do Judiciário se consuma em dolo ao praticar os crimes a que são ligados pela justiça.

Um grupo formado por nove servidores públicos da Secretaria de Educação e Esporte do Acre (SEE) foi condenado à perda da função pública e, ainda, à obrigação de devolver todos os salários recebido pelo período em que não trabalharam mas mesmo assim, continuaram recolhendo as respectivas remunerações. A denúncia foi feita pelo Ministério Público Estadual (MPE).

A denúncia, atendida pela Vara Cível da cidade de Sena Madureira, diz que os servidores cometeram ato de improbidade administrativa com dano aos cofres públicos, e pede, além da devolução dos salários recebidos indevidamente, o desligamento de todos os trabalhadores, impedindo-os, inclusive de contratar direta ou indiretamente com o poder público.

Os denunciados são: Clebio Pinheiro, Francisco João Brana, Francisco Aureliano Silva, Hidelberto Henrique, Juliana Gomes da Silva, Luis Alexandre Fustagno, Manoel Martins de Lima, Maria das Dores Siqueira da Silva e Ronaleudo Oliveira. Todos foram alvo de investigações detalhadas sobre a conduta frente aos cargos públicos. Apenas Juliana foi parcialmente inocentada.

“Ao que restou provado nos autos, a corrupção de cargos públicos dentro da administração pública senamadurerense é sistêmica, ou seja, está instalada em grande parte das instituições, escolas, hospitais, postos de saúde, municipais ou estaduais, fazendo parte de uma rede de troca de favores políticos”, aponta a juíza Andréa Mota, que sentenciou os denunciados pelo MPE.

No total, juntos, os servidores que serão demitidos terão de devolver R$ 395 mil recebidos ilegalmente. Alguns dos trabalhadores tem mais de 20 anos de serviços prestados ao Estado do Acre. Um deles, Clebio Pinheiro, recebeu salários sem trabalhar durante o período de seis anos. Isso, na avaliação do MPE e do Judiciário se consuma em dolo ao praticar os crimes a que são ligados pela justiça.

Governo do Estado entrega reforma e climatização da escola Clicia Gadelha

Melhorias na escola Clícia Gadelha vão beneficiar mais de 800 alunos. O governador Tião Viana fez questão de lembrar que estão sendo construídas mais de 130 novas escolas em todos os 22 municípios acreanos.

 Por Stalin Melo 

O governador Tião Viana inaugurou na manhã desta quarta-feira, 06, a quadra da escola Clícia Gadelha, bem como seis aparelhos de ar condicionado dentro do Programa de Climatização, além de reformas e melhorias na infraestrutura do espaço.

A reinauguração da escola foi acompanhada pelo secretário de Educação e Esporte (SEE), Marco Brandão, gestor escolar, professor Cleilton Pessoa Amaral, pela primeira-dama do Acre, Marlúcia Cândida, pelo deputado estadual Daniel Zen e pela ex-deputada federal Perpétua Almeida, autora da emenda que garantiu recursos para a construção da quadra poliesportiva.

A escola foi fundada no dia 24 de março de 2010 e atualmente possui 830 alunos, do ensino médio e do PEEM, estudando em dois turnos (manhã e tarde). De acordo com Cleilton Amaral, a quadra era um sonho acalentado pelos alunos há muitos anos. “Um sonho de alunos e também de ex-alunos”, disse.

O governador Tião Viana fez questão de lembrar que estão sendo construídas mais de 130 novas escolas em todos os 22 municípios acreanos e investidos, anualmente, mais de R$ 1 bilhão para garantir a qualidade da educação. “Estamos caminhando para a conclusão de todas as escolas com reforma e ampliação e isso é um esforço gigantesco que estamos fazendo”, afirmou.

Outra boa noticia dada à comunidade escolar pelo governador Tião Viana são os investimentos realizados, graças a ajuda também do senador Jorge Viana, em internet banda larga. “Até outubro estamos ampliando em 27 megahertz o acesso da internet, garantindo assim que os alunos tenham a oportunidade de entrar no século XXI”, destacou.

“Só temos a agradecer ao governador Tião Viana e ao secretário Marco Brandão por esses investimentos porque melhoram muito o nosso ensino aqui na escola”, ponderou o presidente do grêmio estudantil, Stalin Nalbert.

Veja O Que Eles Disseram

“Essa é mais uma quadra entregue pelo governador Tião Viana. Em todo Estado em muitas outras desse tipo sendo entregues à comunidade” – Perpétua Almeida.

“Essa é uma quadra reivindicada pela comunidade há muito tempo. Tivemos alguns problemas no início, mas ela agora está sendo entregue juntamente com outras intervenções do governo do Estado” – Daniel Zen.

“Os investimentos realizados na Clícia Gadelha são importantes porque ela foi concebida para atender alunos do ensino fundamental. Agora, essas adaptações irão permitir que ela funcione como uma escola de ensino médio” – Marco Brandão.

SEE e Ifac realizam aula inaugural do curso de Secretaria Escolar

Cerca de 200 profissionais da educação acreana iniciaram as aulas no curso Técnico de Secretaria Escolar, ofertado pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) e o Instituto Federal do Acre (Ifac).

O curso faz parte do Programa de Formação Profissional em Serviço dos Funcionários da Educação Básica Pública (Profuncionário). As aulas começaram na noite da última sexta-feira, 1, no auditório da SEE.

Maria José Grangeiro é servidora da rede estadual e se inscreveu no curso porque deseja se qualificar na sua área. “Já vinha tentando ser selecionada havia algum tempo, e agora deu certo. Estou ansiosa e feliz, porque vou me capacitar melhor”, conta.

A formação é voltada para profissionais da rede pública de ensino das esferas estaduais, municipais e federal. O objetivo do programa é a valorização e a capacitação de profissionais não docentes que atuam na área de educação.

Erica Neves, coordenadora de ensino superior da SEE, destacou que o curso é uma forma de valorizar os profissionais não docentes: “O curso vem para qualificar os trabalhadores que atuam nas áreas administrativas das escolas. Na prática, é ampliar a melhoria do ensino em todas as esferas”, diz.

A formação tem a duração de dois anos e as aulas serão ofertadas nos campi do Ifac nos bairros Xavier Maia e Baixada da Sobral. São oitos turmas, quatro em cada localidade.

A coordenadora do Profuncionário no Ifac, Arteme da Costa, lembrou que o curso é uma resposta às demandas da sociedade. “Os conhecimentos que esses profissionais têm sobre seus postos de trabalhos foram adquiridos na prática, agora eles vão institucionalizar os saberes por meio dos conhecimentos técnicos e científicos”, explica.

Profuncionário

O Profuncionário é um programa do governo federal voltado para a formação de servidores da Educação que exercem funções administrativas nas escolas da rede pública de educação básica. No Acre, estão à frente do programa a SEE, o Ifac e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac).

Servidores do TCE começam a estudar idiomas pelo Centro de Línguas da SEE

Parceria entre SEE e Tribunal de Contas promove curso para servidores. Cerca de 100 servidores serão beneficiados com aulas de inglês, italiano e espanhol.

 Da Assessoria 

O Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE/AC) começou uma etapa importante rumo ao futuro e pela valorização do seu corpo de servidores. Teve início ontem, 4, a primeira aula do curso de idiomas oferecido pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio do Centro de Estudos de Línguas (CEL).

Pelo termo de cooperação técnica, a SEE vai oferecer seus professores em quatro turmas, sendo duas de inglês, uma de italiano e outra de espanhol, beneficiando cerca de 100 servidores. As turmas serão organizadas pela Escola de Contas Conselheiro Alcides Dutra de Lima.

A aula inaugural foi aberta pelo presidente do Tribunal, Valmir Ribeiro, e pelo secretário de Educação e Esporte, Marco Brandão. Logo depois, houve uma breve explicação de como funciona o CEL, feita pela estudante Sarah Evellyn Oliveira. Ela fez parte recentemente do seleto grupo de 50 estudantes brasileiros do programa Jovens Embaixadores, da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

“O Centro de Estudos de Línguas foi fundamental para que eu pudesse ser selecionada nas provas que são rigorosas e fizesse meu intercâmbio, uma missão diplomática aos Estados Unidos. Sem o CEL, eu não teria condições financeiras para arcar com um curso particular”, afirmou a jovem para uma plateia de servidores da instituição, conselheiros e procuradores do Ministério Público Especial de Contas.

Outro talento formado dentro das salas de aulas do Centro de Línguas da SEE, Abigail Sunamita Santos, que na semana passada venceu o Festival da Canção Estudantil, o FEC, e o Festival Solo Estudantil, apresentou a canção “Força Estranha”, de Caetano Veloso, em espanhol.

Celeiro de talentos

O secretário Marco Brandão reafirmou na cerimônia que o CEL, criado em 2011, tem o compromisso de atender à sociedade em demandas que a escola tradicional não consegue, o de oferecer a oportunidade de aprender inglês, italiano, francês, espanhol e até a Língua Brasileira de Sinais gratuitamente e de forma extremamente eficiente.

“No século da tecnologia e do conhecimento, da não fronteira e do não tempo, aprender uma língua estrangeira é essencial, porque é no âmbito da internet, ao alcance do celular, que as pessoas podem comprar, vender e socializar-se”, ressaltou Brandão.

Educação e Tribunal de Contas firmam acordo de cooperação em áreas de ensino

Comitiva da SEE com conselheiros do TCE em assinatura de protocolos. A aula inaugural será na manhã da próxima segunda-feira, 4, no auditório do TCE.

 Por Resley Saab 

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE) e o Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE) consolidaram nesta quarta-feira, 30, ações conjuntas importantes nas áreas de ensino de idiomas para os servidores do Tribunal, e de educação financeira, voltadas para jovens da rede pública estadual de ensino.

No encontro, realizado no TCE, o presidente Valmir Ribeiro e o secretário de Educação, Marco Brandão, assinaram protocolo que institui turmas de inglês e italiano para servidores do Tribunal oferecidos pelos profissionais do Centro de Estudos de Língua (CEL).

Pelo menos 75 servidores serão beneficiados, sendo 50 alunos de inglês e outros 25 de italiano.

“Será uma satisfação muito grande e de muita importância para nós podermos contar com esses cursos da Secretaria de Educação”, pontuou Ribeiro, ressaltando que o Tribunal de Contas também exerce papel fundamental na comunidade, ao fornecer conhecimento a prefeitos, vereadores e gestores, da capital e do interior do estado, sobre as atividades do TCE.

“Levamos para todos os municípios, cursos sobre legislação, sobre como fazer uma prestação de contas e como proceder para que as contas públicas estejam sempre de acordo com a lei, de modo que agora chega a hora de também sermos retribuídos com o conhecimento pela Educação”, frisou o presidente do TCE.

Para o secretário Marco Brandão, a parceria com o Tribunal de Contas do Estado é uma ferramenta excelente de absorção de conhecimentos em finanças para estudantes da rede pública.

“Acredito que, a exemplo do que já estamos desenvolvendo com a Assembleia Legislativa do Estado do Acre, com 24 jovens parlamentares eleitos por suas escolas e que acompanharão as atividades dos deputados, é possível a formação de um corpo de conselheiros mirins para aprender aqui no TCE e repassar seus conhecimentos a suas escolas”, ressaltou Marco Brandão.

O acordo de parceria prevê ainda acesso às escolas pelo TCE, para informar aos estudantes sobre o papel do Tribunal, e a disposição de auditores de excelência dos quadros da instituição para ministrar cursos na área de prestação de contas da escola.

Além de Brandão, estiveram presentes à cerimônia o diretor de Recursos da SEE, Ruy Moreno, e a diretora de Inovação, Cleide Prudêncio. Do TCE, participaram também a conselheira Naluh Gouveia, os conselheiros Cristóvão Messias e Ronald Polanco e o assessor do Tribunal Euclides de Araújo Bastos.

Professora é agredida por aluno após expulsá-lo de sala: ‘Dilacerada’

Caso aconteceu na cidade de Indaial, em Santa Catarina, nesta segunda-feira. Professora Marcia Friggi foi agredida dentro da escola.

Professora

Uma professora foi agredida por um aluno de 15 anos dentro de uma escola, no município de Indaial, em Santa Catarina, nesta segunda-feira. Segundo Marcia Friggi, de 52 anos, o adolescente desferiu socos contra ela após ser expulso de sala por mau comportamento.

Em uma publicação em seu Facebook, Marcia compartilhou fotos de seu rosto machucado e relatou o diálogo com o estudante antes da agressão.

"Ele estava com o livro sobre as pernas e eu pedi: 'Coloque seu livro sobre a mesa, por favor'. 'Eu coloco o livro onde eu bem quiser'. 'As coisas não são assim'. 'Ahhh, vai se f*'. 'Retire-se por favor'. Ele levantou para sair, mas no caminho jogou o livro na minha cabeça. Não me feriu, mas poderia. Na direção eu contei o que tinha acontecido. Ele retrucou que menti e eu tentei dizer: 'Como, menti? A sala toda viu'. Não deu tempo para mais nada. Ele, um menino forte de 15 anos, começou a me agredir. Foi muito rápido, não tive tempo ou possibilidade de defesa. O último soco me jogou na parede", relatou.

A professora afirmou estar "dilacerada" com o que aconteceu.

"Estou dilacerada por ter sido agredida fisicamente. Estou dilacerada por saber que não sou a única, talvez não seja a última. Estou dilacerada por já ter sofrido agressão verbal, por ver meus colegas sofrerem. Estou dilacerada porque me sinto em desamparo, como estão desamparados todos os professores brasileiros. Estamos, há anos, sendo colocados em condição de desamparo pelos governos. A sociedade nos desamparou. A vida", escreveu.

A publicação de Marcia já ultrapassou os 36 mil compartilhamentos. Nas mensagens, palavras de apoio à professora. "Perderam os limites. Sinto muito, professora", escreveu uma pessoa. "Os valores cada dia mais se perdem entre filhos sem educação e pais omissos ou no mínimo incentivadores desse tipo de reação". "Melhoras a você, guerreira".

A Secretaria Municipal de Educação de Indaial informou que o caso está sendo "averiguado" e que só irá se pronunciar após uma "avaliação completa da situação". Durante a tarde, o Secretário de Educação Ozinil Martins de Souza esteve na unidade escolar para conversar com a direção. Procurada pelo O GLOBO, a professora Marcia Friggi ainda não retornou às mensagens.

Marcia Professora

Fonte: oglobo.globo.com