Mais de dez policiais foram afastados para fazer tratamento psicológico

Ansiedade e depressão estão entre as principais causas dos afastamentos. Diretor da Policlínica da PM diz que quase 40 agentes pediram ajuda da unidade em 2017.

policiais foram afastados

Mais de dez policiais militares foram afastados das atividades nos cinco primeiros meses de 2017 para passarem por tratamentos psicológicos . A informação foi confirmada nesta quinta-feira (22) pelo coronel Wagner Estanislau de Araújo, diretor da Policlínica da Polícia Militar (PM-AC), em Rio Branco. Os problemas mais recorrentes enfrentados pelos agentes, segundo Araújo, são o estresse pós-traumático e agudo, ansiedade e depressão.

A equipe da Policlínica conta com assistentes sociais e quatro psicólogos, sendo três militares e uma civil. Ao todo, 2.476 policiais atuam em todo o Acre e os 11 afastados recentemente representam menos de 1% desse total. Em 2016, segundo o diretor, 67 agentes pediram ajuda na unidade. Em 2017 esse número caiu para 38.

“Há casos simples, intermediários ou mais graves. Aqui, comparado a estados como o Rio de Janeiro e São Paulo, é muito difícil acontecer o afastamento, apenas se for um caso muito grave, até porque a incidência de criminalidade aqui é bem menor”, diz.

No último dia 19 deste mês, a Justiça do Acre considerou o ex-subtenente José Adelmo dos Santos inimputável, quando a pessoa não tem condições psicológicas de responder pelo ato. Santos matou o sargento Paulo Andrade, de 44 anos, dentro do Comando Geral da PM-AC. Conforme a defesa de Santos, ele tem transtorno bipolar e dependência química.

O corregedor e subcomandante da PM, coronel Ricardo Brandão, disse que Santos não passou por testes psicológicos ao sair da reserva e ser reintegrado. Afirmou ainda que em 30 anos de serviço o ex-subtenente nunca mostrou qualquer disfunção relacionada à bipolaridade. O diretor da Policlínica diz que, durante a gestão dele, Santos nunca procurou assistência.

“Em casos de dependentes químicos, quando a gente detecta ou o PM procura, podemos fazer a internação voluntária. Todas as polícias têm históricos de agentes internados com casos como esses. Esse número geralmente é baixo porque o PM que é dependente não admite isso. A situação fica bem complicada, pois, só podemos internar quando ele se voluntariar”, explica.

Araújo explica ainda que um familiar ou amigo pode informar casos de dependência, depressão e estresse. Após isso, um assistente social, psicólogo e algumas vezes até um pastor visita o PM para o convencer a fazer o tratamento.

“Ele se disponibilizando fazemos todo o tratamento psicológico e se for o caso o internamos. Mas, não podemos usar a força coercitiva nesses casos”, diz.

policiais foram afastados 1

Do G1 Acre

Brasiléia recebe atendimentos Itinerante na escola Kairala

Além das consultas, Saúde Itinerante vai ofertar exames para população de Brasileia.

 Por Maxmone Dias 

A população de Brasileia será beneficiada com a oferta de serviços de programas que têm proporcionado cidadania e dignidade aos acreanos. O município recebe a partir da tarde de sexta-feira, 23, mais uma edição do Mulher Cidadã e do Saúde Itinerante.

O programa de saúde vai oferecer consultas com clínica médica e especialidades como ginecologia/obstetrícia pediatria, dermatologia, endocrinologia, psiquiatria, geriatria e gastroenterologia, além de exames preventivo do câncer do colo útero, endoscopia digestiva alta, ultrassonografias, eletrocardiograma e exames laboratoriais.

O Saúde Itinerante, só em 2017, já realizou mais de cinco mil atendimentos em Mâncio lima, Porto Acre, Acrelândia, Santa Rosa do Purus, Vila do V e Caquetá.

Celene Maia, coordenadora do programa, enfatizou a importância Saúde Itinerante para os moradores do interior e da zona rural. “Nossa missão no governo é proporcionar um atendimento de qualidade para toda a população, independe do local onde viva”.

Já o programa Mulher Cidadã, coordenado pelo gabinete da vice-governadora, estará presente realizando rodas de conversas com jovens sobre gravidez na adolescência, segurança pública, preservação do meio ambiente, ação de cadastramento do CAD Único, e a Polícia Militar com a equipe do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd).

Os atendimentos, serão realizados nas dependências da escola Kairala José Kairala, se iniciam a partir das 14 horas da sexta-feira, 23. No sábado, a ação transcorre durante todo o dia.

Prefeitura de Brasileia

Menina de 11 anos doa cabelo com a mãe para Hospital do Câncer

Anna Beatriz pediu para doar cabelo para crianças com câncer. Estudante convenceu também a amiga da mãe a praticar a boa ação.

Como presente de aniversário, a estudante Anna Beatriz, de 11 anos, pediu algo inusitado para a mãe dela, a assistente social Leidiane Queiroz. Ana quis cortar e doar o cabelo para o Hospital do Câncer, em Rio Branco, no lugar de presentes. Além disso, a estudante conseguiu convencer a mãe e uma amiga a também praticar a boa ação.

O cabelo vai ser usado na fabricação de perucas para crianças com câncer. “Quis que a mãe fizesse o mesmo. Queria ver ela de cabelo curto e ver as crianças felizes também”, disse a estudante.

Para Leidiane foi um desafio maior ainda. Ela revela que nunca cortou o cabelo muito curto, mas topou o desafio da filha. “Vai crescer de novo. Agora vou doar, está decidido. Valeu a pena”, comemora.

Outra que foi desafiada foi a estudante Mariana Sampaio. A adolescente foi acompanhar a amiga Anna ao salão de beleza, mas também foi convencida e cortou as madeixas. "No começo eu não queria, mas depois decidir contar", confirma.

Após ver o resultado, Anna exibiu o novo corte e agradeceu o apoio da amiga e da mãe. "Incentivei algumas pessoas e espero que outras venham também para doar", conclui.

Cabelo

Do G1 Acre

Vacina contra HPV já está disponível no Acre para meninos de 11 a 14 anos

Público alvo foi ampliado pelo Ministério da Saúde. Anteriormente, apenas meninos entre 12 e 13 anos podiam ser imunizados.

Meninos com idades entre 11 e 14 anos, 11 meses e 29 dias já podem ser vacinados contra o HPV no estado do Acre. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (21) pela coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI), Dora Holanda.

A ampliação do público alvo foi anunciada nesta terça (20) pelo Ministério da Saúde. A vacina para os meninos passou a ser disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) em janeiro deste ano, somente para garotos de 12 até 13 anos. Até o ano passado, era feita apenas em meninas.

Em todo estado, são quase 37 mil meninos na faixa etária de 11 a 14 anos, 11 meses e 29 dias. Segundo a coordenação, são 9.364 meninos de 11 anos, outros 9.396 de 12 anos, 9.192 de 13 e 8.843 garotos de 14 anos.

Conforme a coordenação do programa, os postos de saúde do estado possuem estoque o suficiente e estão prontos para atender a essa ampliação do público-alvo.

O Ministério alega que o objetivo dessa determinação é aumentar a cobertura vacinal nos adolescentes do sexo masculino. Esse público equivale a 3,3 milhões de jovens em todo o Brasil. Para o Acre, segundo o órgão, foram distribuídas 14 mil vacinas em 2017.

Vacinação

Meninos e meninas devem tomar duas doses da vacina contra o HPV. O intervalo entre elas é de seis meses. Para as pessoas com HIV, são três doses, com intervalos de 2 e 6 meses. Nestes casos, a vacina só é liberada com a apresentação de prescrição médica.

Vacinação

Do G1 acre

Obra do Hospital Regional de Brasileia entra na reta final

Um salto de qualidade no atendimento à saúde. Assim pode ser resumida a importância da construção do Hospital Regional de Brasileia para o Acre, especialmente para a população de Assis Brasil, Epitaciolândia, Xapuri e Brasileia.

 Por Leônidas Badaró 

Hospital de Brasileia

A boa notícia é que a obra já está mais de 60% concluída. Cerca de 20 operários trabalham agora na fase de acabamento e instalação de equipamentos.

O Hospital Regional de Brasileia vai otimizar os serviços de média e alta complexidades prestados à população da região do Alto Acre, estimada em mais de 70 mil pessoas.

Com uma área construída de quase 11 mil metros quadrados, a nova unidade vai contar com espaços como recepção/acolhimento, ambulatório, emergência, observação (ala adulta e pediátrica), enfermaria adulta (ala feminina e masculina), enfermaria pediátrica, urgência adulta, urgência pediátrica, semi-intensiva, unidade de cuidados intermediários neonatais, unidade-mãe canguru e coruja, centro cirúrgico, obstétrico, centro de parto normal, central de material e esterilização, laboratório, setor de serviços de apoio diagnóstico terapêutico, farmácia central e material médico-hospitalar, setor de serviços de nutrição dietética e refeitório.

O novo hospital vai disponibilizar 42 leitos, sendo 7 leitos cirúrgicos, 12 leitos clínicos, 11 leitos obstétricos, 3 leitos de pneumologia sanitária e 9 leitos pediátricos.

Estrutura de qualidade

Alguns serviços que serão oferecidos pela unidade se destacam. O ambulatório, por exemplo, terá nove consultórios, uma sala de fisioterapia para quatro atendimentos simultâneos, uma sala de cirurgia e uma posto de coleta de leite humano que comporta seis atendimentos simultâneos. Já o centro cirúrgico vai oferecer três salas operatórias.

As mamães da região do Alto Acre vão ter mais qualidade na hora do nascimento dos filhos. O centro cirúrgico obstétrico e o centro de parto normal vão oferecer cinco salas para partos normais e duas salas operatórias.

Com o ritmo intenso na obra, a previsão é quem em dezembro deste ano o Hospital Regional de Brasileia esteja com 90% da obra concluída e que alguns serviços já estejam sendo oferecidos no local.

“Essa é uma das obras mais importantes da saúde do Acre. O Hospital Regional vai proporcionar um avanço imensurável na qualidade do atendimento para as pessoas que moram no Alto Acre. Com essa obra concluída, vamos garantir ainda mais saúde para os moradores de Assis Brasil, Epitaciolândia, Brasileia e Xapuri”, afirma Gemil de Abreu Júnior, secretário estadual de Saúde.

Hemoacre alerta para atualização de dados no cadastro de medula óssea

Quem deseja fazer parte do cadastro deve se dirigir ao Hemoacre, em Rio Branco, onde será colhida uma amostra de sangue. A falta de informações, na maioria das vezes, é o que mais prejudica quando o assunto é doação de sangue ou medula óssea.

 Por Lanne Vale 

Entender como funciona a doação é o primeiro dos requisitos para se tornar um parceiro voluntário do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre (Hemoacre). No caso da doação de medula, muita gente acaba fazendo confusão entre medula óssea e medula espinhal e, pelo medo, acreditando ser perigoso, fica com receio de doar.

Só que são duas coisas bem diferentes e não representa perigo algum ao doador. Quem afirma é a gerente de captação do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Acre (Hemoacre), Quésia Nogueira, que esclarece que no momento do cadastro, será recolhida uma amostra de sangue de 5 a 10 ml, para verificar a compatibilidade entre doador e receptor.

“Quando identificamos algum paciente compatível, o doador cadastrado é convidado a fazer outros exames para evitar rejeições e realizar a doação” destaca.

Para tirar essas e outras dúvidas de como se tornar doador, os interessados podem procurar o Hemoacre, que fica localizado na Avenida Getúlio Vargas, 2787, em Rio Branco. A unidade funciona de segunda a sexta, inclusive nos feriados, de 7h30 às 18h30.

“Devido às chances de compatibilidade ser de um em um milhão entre pessoas de uma mesma população, nosso objetivo é conscientizar as pessoas de que a doação pode salvar uma vida”, esclarece Quésia.

O Hemocentro alerta sobre a importância de manter as informações do cadastro sempre atualizadas. No Brasil, a única maneira de se cadastrar para ser doador de medula óssea é fazendo parte do  Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) – terceiro maior banco do material do mundo, atrás apenas do americano e alemão. Mas os dados desatualizados no cadastro (endereços e contatos) acabam prejudicando quem precisa de doação.

Quem já se cadastrou deve atualizar o cadastro diretamente no portal do Instituto Nacional de Câncer (INCA). Caso tenha mudado, por exemplo, de endereço, telefone e e-mail, essas informações precisam ser atualizadas o quanto antes, no site (www1.inca.gov.br/doador). Isso facilita para que o voluntário seja encontrado caso haja compatibilidade de sua informação genética com a de um paciente que está à espera do transplante.

Já para se cadastrar como doador basta procurar o Hemoacre. O cadastramento é um processo simples, rápido e funciona da seguinte maneira: a unidade coletará uma amostra de sangue para a tipagem do Sistema HLA e o doador ficará cadastrado no Redome.

Os interessados devem ter entre 18 e 55 anos, boa saúde e não apresentar doenças, como as infecciosas ou as hematológicas, por exemplo, e apresentar documento oficial de identidade com foto, além de preencher os formulários: ficha de identificação do candidato e termo de consentimento.

O transplante de medula óssea é um dos tratamentos recomendados para pessoas com leucemias, linfomas, anemias graves ou congênitas, hemoglobinopatias, entre outras doenças que afetam as células do sangue.

colhida uma amostra de sangue

No dia da doação de sangue Hemoacre faz campanha por mais doadores

Nesta quarta-feira, 14, é celebrado o Dia Mundial dos Doadores de Sangue. Número de bolsas não é suficiente para atender a demanda do Hemoacre.

 Maxmone Dias 

A data foi criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para sensibilizar as pessoas e lembrar a sociedade da importância de ser um doador, gesto esse que pode salvar vidas.

Com o objetivo de conseguir mais doadores, a unidade móvel do Hemoacre ficou disponível durante a manhã, no calçadão do centro de Rio Branco.

As doações conseguidas na unidade móvel e os doadores que vão até o Hemoacre são de grande importância, mas não são suficientes para atender a demanda.

“Nós recebemos cerca de 700 doações mensalmente, sendo que o ideal seriam 1.100, por isso estamos sempre tentando conscientizar que aqueles que doarem a primeira vez, se tornem um doador assíduo, pois assim, a pessoa estará ajudando o próximo”, afirma, Quésia Nogueira, responsável pela captação de doadores do Hemoacre.

Vale lembrar, que ao se tornar um doador de sangue, além de fazer todos os exames de forma gratuita, a pessoa recebe uma carteira de identificação, que o beneficia com direito a meia entrada no cinema e isenção em concursos públicos no estado.

Para se tornar um doador é muito simples, basta ter entre 16 e 69 anos, gozar de boa saúde e se apresentar com documento com foto, válido em todo o território nacional. Quem for menor de idade precisa ir acompanhado de um responsável.

O Hemoacre fica localizado na avenida Getúlio Vargas n° 2787, e funciona das 7h30 ás 17h30, inclusive aos sábados e feriados.

No dia da doação de sangue

Agendamento de cirurgias no estado sofrerá mudanças a partir de julho

Reunião discute mudança do agendamento de cirurgias para a Central de Regulação. 

 Por Jorge de Oliveira 

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), tem procurado criar alternativas para agilizar os procedimentos aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado. O objetivo é sempre o de atender a população com um serviço mais ágil e eficaz.

A partir do dia 1° de julho, o Acre terá novidades em um dos atendimentos mais importantes oferecidos pela saúde: as cirurgias.

É que, a partir dessa data, o mapa de cirurgias, que hoje é de responsabilidade da Central de Agendamento de Cirurgias (CAC), vai passar a ser feito pela Central de Regulação Estadual.

Na prática, a mudança significa que os médicos reguladores passam a ser responsáveis por fazer o processo de agendamento das cirurgias, analisando diversos fatores, desde os exames pré-operatórios do paciente, avaliação de risco, capacidades de cirurgias diárias e até a disponibilidade do material necessário para o procedimento cirúrgico.

O objetivo dessa transferência, além de facilitar o processo de agendamento das cirurgias, é a criação de uma plataforma única para fornecer ao paciente a informação sobre a fila de espera para a realização de determinadas cirurgias.

“Vai ser um grande avanço para o estado, pois tira qualquer possibilidade de clientelismo, de alguém passar na frente. Com essa fila única, o usuário vai poder saber o seu lugar na lista de espera, como acontece com os transplantes”, diz a enfermeira Lúcia Carlos Luna, coordenadora da Rede de Urgência e da Central de Regulação de Leitos da Sesacre.

Com essa mudança, o médico regulador vai entrar em contato com o médico que indicou a cirurgia e irá definir as prioridades para o agendamento da cirurgia, levando em conta a situação clínica de cada pacientes e a capacidade de procedimentos que podem ser realizados.

“A fila única faz com que seja concedida prioridade ao paciente de acordo com as necessidades técnicas e reais dele”, enfatiza a doutora Paula Mariano, uma das médicas reguladores da Central de Leitos do Estado.

Reunião discute mudança

Governo entrega microscópios ao Centro de Controle Oncológico

Novos microscópios vão ajudar o Cecon no diagnóstico de câncer. Vice-governadora destacou que os equipamentos entregues são de última geração.

 Por Álefe Souza 

O Centro de Controle Oncológico do Acre (Cecon) recebeu na manhã desta terça-feira, 6, sete microscópios que serão utilizados para os exames citopatológicos de preventivo do câncer do colo do útero (PCCU) e de mama. Os equipamentos são provenientes de emenda parlamentar disponibilizada pelo senador Jorge Viana.

A vice-governadora Nazareth Araújo esteve presente na entrega e falou sobre a importância dos equipamentos para o fortalecimento do atendimento no serviço público.

“São equipamentos de última geração que vão garantir maior agilidade e qualidade do que já era ofertado para o atendimento ao público. Tudo isso em benefício da população, em especial do público feminino. Essa priorização do atendimento é um compromisso do governo do Estado”, disse.

O exame citopatológico tem a função de detectar a doença ou alterações celulares que podem dar origem ao câncer do colo uterino.

“O exame é feito nas unidades básicas de saúde e a amostra é encaminhada ao Cecon para análise do material. Se com os equipamentos antigos do centro já garantíamos a qualidade do resultado, com esses novos, então, só tende a melhorar”, assegurou a gerente do Cecon, Priscila Murad.

O Cecon é referência no diagnóstico dos cânceres de mama e uterino no Acre. Até maio deste ano, o centro já realizou mais de duas mil mamografias e analisou 22,4 mil amostras de exames de preventivo do câncer do colo uterino.

microscópios

Acrelândia e Bujari recebem novas ambulâncias do Samu

O secretário de Estado de Saúde, Gemil de Abreu Júnior, realizou na semana passada a entrega das ambulâncias destinadas a Acrelândia e ao Bujari.

 Por Maxmone Dias 

As ambulâncias contam com material de suporte básico, como rede de oxigênio, prancha longa para imobilização da coluna, colares cervicais, cilindros de oxigênio, material de parto, talas de imobilização de fraturas e material de consumo como medicações e ressuscitador manual e infantil.

“Estamos nesses dias indo aos municípios entregando as novas ambulâncias. Nosso governo tem priorizado a saúde, e essas novas viaturas vão ajudar os pacientes que precisam se deslocar até Rio Branco para atendimento”, destaca o secretário.

A Unidade Mista de Saúde de Acrelândia funciona 24 horas e oferece serviços de urgência e emergência e também ambulatoriais. Conta com mais de 80 servidores, entre eles 25 técnicos de enfermagem, quatro enfermeiros e três médicos. Realiza 80 atendimentos por dia, totalizando em média dois mil por mês.

“Para nós, da saúde, e a população de Acrelândia, a entrega desta nova ambulância é de suma importância, pois agora todos terão o apoio necessário para um atendimento rápido em casos de urgências”, declarou Cida Aparecida Ferreira, gerente-geral da unidade.

Na última segunda-feira, 29, o governador Tião Viana realizou a entrega de 10 novas ambulâncias ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A entrega das novas viaturas tem como objetivo melhorar o atendimento prestado pelo Samu tanto na capital acreana, como também nos municípios do interior.

Bujari