População se manifesta sobre o atraso na obra do Hospital de Brasiléia

Profissionais da saúde e população em geral se manifestam contra o atraso na obra do Hospital Regional em Brasiléia.

 Por Alemão Monteiro 

Hospital de Brasileia 6

Na tarde desta quinta-feira os profissionais da saúde como médicos, enfermeiros e população em geral, incluindo alunos do grêmio Estudantil da escola Kairala José Kairala e parte dos alunos da escola Belo Porvir de Epitaciolândia, se manifestaram contra a paralisação da obra do hospital regional de Brasiléia.

O manifesto teve início as hs 15:00 na Praça do Seringueiro e seguiu pela avenida Rui Lino e foi até o Hospital das Clinicas Raimundo Chaar, o manifesto apresentou cartazes e falas em microfones em carro de som.

Segundo os manifestantes a saúde do município está morta e usaram papelões para fazer um pequeno caixão simbolizando a morte da saúde, os mesmo reivindicam uma melhora na saúde e que a obra do hospital seja retomada.

Hospital de Brasileia 1Hospital de Brasileia 3

Hospital de Brasileia 4

Hospital de Brasileia 7

Hospital de Brasileia 5

Hospital de Brasileia 2

Acre participa da 1ª Conferência Livre de Comunicação em Saúde

Reunidos em Brasília, representantes de todos os estados do país, discutem, estratégias de democratização do acesso da população às informações sobre saúde.

 Por Leônidas Badaró 

Acre participa da 1ª Conferência Nacional

Presidente do Conselho Nacional de Saúde discursa durante abertura da conferência (Foto: Susconecta.org)

Organizada pelo Conselho Nacional de Saúde, o principal objetivo é fazer com que a sociedade conheça, de forma mais consciente, o Sistema Único de Saúde (SUS), reconhecido como uma das principais políticas públicas do mundo.

Participam da conferência cerca de 450 pessoas de todo o Brasil. O Acre está representado pela gerência de comunicação da Secretaria Estadual de Saúde e por representantes dos Conselhos Estadual e de Rio Branco de Saúde.

Um exemplo da magnitude do evento ficou evidenciado na abertura do encontro, que contou com a presença de diversas personalidades ligadas ao tema, inclusive do ministro da Saúde Interino, Francisco de Assis Figueiredo.

Durante três dias a conferência vai discutir diversos temas considerados de extrema importância para permitir que a sociedade conheça com mais propriedade o SUS. As mesas de discussão estão divididas entre os seguintes eixos: Desafios da comunicação em saúde; Papel da comunicação na defesa na informação em saúde; O SUS na sala de aula; Novas mídias e o SUS; Informação em saúde como direito e Experiência de coletivos de comunicação.

Talita Montysuma, é secretária executiva do Conselho Estadual de Saúde do Acre, e fala sobre a importância da conferência. “Estou muito empolgada em participar desse evento porque se comunicar bem com as pessoas faz toda a diferença. Então, levar as informações até a sociedade é um grande desafio para quem faz parte do SUS”.

O conselho possui 24 conselheiros que representam os trabalhadores em saúde, os gestores e os usuários do sistema.

Já Isabela Sobrinho, presidente do Conselho de Saúde de Rio Branco, explica que a entidade é o elo da população com o SUS. “Nós temos um sistema de saúde forte, ativo e que as pessoas desconhecem. Por isso esse tipo de conferência é de extrema importância”.

A 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde termina nesta quinta-feira, 20, com a realização de mais mesas temáticas e uma palestra com o tema “O preconceito contra o SUS”, que será ministrada pela jornalista Tereza Cruvinel, ex-presidente da EBC, a Empresa Brasileira de Comunicação.

Acre participa da 1ª Conferência Nacional 1

Representantes dos conselhos de saúde do Acre participam de conferência em Brasília (Foto: Leônidas Badaró)

Governo entrega unidade de saúde que funcionará em penitenciária

Por lei, os apenados possuem atendimento prioritário nesses serviços, o que interfere na demanda de consultas e gera desconforto entre os pacientes que aguardam na rede pública de saúde.

 Por Marcelo Torres 

Governo entrega unidade de saúde

A unidade de saúde conta com quatro consultórios médicos, seis celas para presos enfermos e salas de coleta de exames (Foto: Marcelo Torres)

O governo do Acre, por meio do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), realizou a entrega da Unidade de Atenção Primária de Saúde da Unidade Prisional Quinari (UPQ), em Senador Guiomard (24 quilômetros de Rio Branco).

Cerca de R$ 700 mil foram investidos por intermédio do termo de adesão da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade do Ministério da Saúde.

Foram construídos 516 m², com quatro consultórios médicos, ala com seis celas para presos com enfermidades, farmácia e salas para coletas.

“A instalação de uma unidade de saúde é um indicativo de duas preocupações dos órgãos públicos: o atendimento médico com dignidade aos apenados e a redução do deslocamento deles aos  postos de saúde”, explicou o diretor-presidente do Iapen, Martin Hessel.

Para o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, esse é um ambiente adequado para que os reeducandos tenham todo o atendimento psicossocial e médico dentro do complexo prisional.

“A unidade funcionará em parceria com a prefeitura de Senador Guiomard, pois esse posto de saúde será gerido com equipe multiprofissional do Estado e da prefeitura”, explicou.

“A unidade de saúde passa a funcionar a partir desta data e fará com que seja reduzido o atendimento externo de pessoas privadas de liberdade que cumprem pena na UPQ. Além de o atendimento ser feito de forma mais célere, aqui o apenado receberá atendimento médico, odontológico, psiquiátrico e assistência social”, declarou a gerente de Reintegração Social e Saúde do Sistema Penitenciário do Acre, Madalena Ferreira.

Segundo o diretor da UQP, Arleilson Cunha, por lei, os apenados possuem atendimento prioritário nesses serviços. “Não podemos esquecer que quem está aqui também é ser humano, e que este é um espaço de ressocialização”, comentou.

Governo entrega unidade de saúde 1

Governo dor estado convoca aprovados em concurso da Sesacre

Ao todo, 113 profissionais estão sendo convocados para inspeção médica, entrega de documentos e posse nos referidos cargos.

 Por Leônidas Badaró 

O Diário Oficial do Estado desta terça-feira, 11, trouxe a convocação de mais de 100 profissionais aprovados em concursos públicos realizados pelo governo acreano para contratação de profissionais para a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) nos anos de 2013 e 2014.

Os cinco editais trazem a convocação de médicos cirurgião vascular, nefrologista pediátrico, neonatologista, neuropediatra, obstetra ginecologista, agentes administrativos, técnicos em manutenção de computadores, auxiliares em saúde bucal, motoristas de ambulância, técnicos em imobilização ortopédica, biólogos, biomédicos, cirurgiões dentista ortodontista, técnicos em nutrição e dietética, técnicos em radiologia, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, médicos anestesiologista, médicos endoscopia digestiva e médico nefrologista.

Os convocados têm até o dia 2 de maio, das 8 às 11 horas, para apresentar os exames médicos na Junta Médica Oficial do Estado, no Instituto de Previdência do Estado do Acre – Acreprevidência, Rua Benjamin Constant, 351, bairro Cerâmica – Rio Branco/AC.

Já os documentos dos convocados devem ser entregues até 3 de maio de 2017, das 8 às 12 e 14 às 17 horas, na Coordenação de Lotação da Secretaria de Estado de Saúde, Rua Benjamin Constant, 830 – Centro, Rio Branco/AC.

A posse está marcada para o dia 9 de maio. Em Rio Branco, no Teatro Plácido de Castro (Teatrão). Em Sena Madureira, na Rua Quintino Bocaiúva, s/n- Centro, Hospital João Câncio Fernandes. E em Cruzeiro do Sul, na Rua Leopoldo de Bulhões, na Coordenação Regional de Saúde do Vale do Juruá.

EDITAL Nº 083 – Convocação médicos

EDITAL Nº 084 – Convocação administrativo

EDITAL Nº 085 – Convocação assistência

EDITAL Nº 125 -Convocação administrativo

EDITAL Nº 126 – Convocação assistência

EDITAL Nº 127 – Convocação médicos

Sesacre

Dia mundial de Conscientização da Doença de Parkinson é celebrado na capital

Profissionais da área de saúde participam de palestras que visam agilizar diagnóstico da doença.

 Por Álefe Souza 

Tremedeira, rigidez muscular, lentidão nos movimentos e dificuldades no equilíbrio. Estes são os sintomas mais comuns da doença progressiva e degenerativa conhecida como mal de Parkinson, que afeta as células nervosas cerebrais, comprometendo a movimentação muscular.

De causa desconhecida, a doença pode atingir pessoas de todas as faixas etárias. Sua prevalência é na população acima de 65 anos, sendo a segunda mais comum entre os idosos. Incurável, seu tratamento é feito à base de remédios que amenizam os sintomas.

De acordo com a Organização Mundial de Sáude (OMS), 1% da população mundial acima de 65 anos é portadora da doença e 200 mil brasileiros sofram do mal.

No Acre, o Hospital do Idoso é responsável pelo diagnóstico e acompanhamento da doença. Os remédios são disponibilizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Programa de Medicamentos Excepcionais.

O estado também disponibiliza cirurgia para redução dos sintomas da doença, no Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco, desde 2013.

“O hospital conta com uma equipe multiprofissional formada por geriatras, nutricionistas, fonoaudiólogos e fisioterapeutas, que realizam o acompanhamento dos pacientes a fim de proporcionar melhora da qualidade de vida e ensinar a eles como conviver e enfrentar a doença”, explicou a gerente de humanização do Hospital do Idoso, Mariazinha Leitão.

De acordo com Mariazinha, a prática de atividades físicas regulares, associada com as terapias medicamentosas e cirúrgicas, colabora muito para o sucesso do tratamento contra o mal de Parkinson.

Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson

Parceria com Rondônia garante atendimentos oncológicos

Raicri Barros assegurou que o resultado de todo esse esforço é certificar tratamento digno a quem necessita.

 Por Álefe Souza 

Governo antecipa campanha de vacinação 1

Visando firmar acordo de cooperação com o estado de Rondônia para referenciar pacientes em tratamento oncológico, especialmente em radioterapia, os secretários adjuntos de Atenção à Saúde, Raicri Barros, e de Administração e Finanças, Kleyber Guimarães, representando a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), participaram de uma reunião na Secretaria de Saúde do estado vizinho na última quinta-feira, 6.

Também estiveram no encontro gestores da regulação e da assistência farmacêutica da Sesacre e gestores da regulação e de sistemas gerenciais da secretaria de Rondônia.

A medida resulta de articulação do governo do do Acre junto ao governo de Rondônia para assegurar tratamento a um quantitativo estimado de  500 novos pacientes neste ano.

“A iniciativa foi necessária por conta da desistência da empresa vencedora da licitação e do atraso na instalação, além de dificuldades na manutenção do equipamento em uso atualmente. Assim, os casos em acompanhamento serão concluídos aqui no Acre e os novos casos contarão com o tratamento necessário em Rondônia”, afirmou Raicri Barros.

Esse desfecho faz parte de um conjunto de iniciativas que já vinham sendo trabalhadas pela gestão estadual e que contará com o engajamento de outros órgãos estaduais, como o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Acre – transporte dos pacientes -, além da alocação de recursos para despesas, que incluem combustível, diárias,  ajuda de custo e outras ações imprescindíveis para toda a logística que envolve essa demanda.

“A regulação do acesso aos serviços assistenciais se fará por meio dos Complexos Reguladores dos Estados, o que tornará possível o encaminhamento de pacientes, igualmente regulados e com agendamentos garantidos, via Tratamento Fora do Domicílio (TFD).

No caso do Acre, especialmente para tratamento na especialidade de oftalmologia em retina de pacientes”, explicou Kleyber Guimarães.

Parceria para cessão de sistemas

Aproveitando o encontro, os secretários conheceram o Sistema de Aplicativos e Dados (SIAD), que possui módulos para gestão de gases medicinais e de nutrição  e em contrapartida apresentou o Sistema de Gestão de Escalas e Plantões (GEP) desenvolvido pela equipe de TI da Sesacre,  iniciando tratativas para parceria também nesse aspecto,  mediante cessão mútua.

Raicri Barros assegurou que o resultado de todo esse esforço é certificar tratamento digno às pessoas que dele necessitem, próximo da família e em instituição do SUS, bem como fortalecer as relações entre estados vizinhos para vencer os desafios amazônicos que tornam essa missão de servir à população ainda mais difícil e ao mesmo tempo mais gratificante em cada conquista.

Criança

Governo antecipa campanha de vacinação contra influenza no estado

Visando reduzir a mortalidade, as complicações e as internações decorrentes das infecções pelo vírus da influenza, o governo do Acre antecipa o lançamento da campanha anual contra a doença para esta segunda-feira, 10.

 Por Álefe Souza 

Podem tomar a vacina idosos a partir de 60 anos, trabalhadores em saúde, povos indígenas, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores da rede pública, privada e de todos os níveis de ensino.

Pessoas com reação alérgica relacionada ao ovo de galinha e seus derivados e que apresentaram reações em doses anteriores não devem tomar a vacina. Caso apresente febre moderada ou grave, é recomendado não tomar.

“A meta da campanha deste ano é vacinar 225.135 pessoas e alcançar a cobertura de 90% de cada grupo elegível”, disse a gerente da Divisão de Imunização e Rede de Frio, Maria Auxiliadora de Holanda.

Para alcançar a meta, serão disponibilizados 117 postos fixos de vacinação, 51 postos móveis, 671 profissionais – entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, administrativos e de apoio – e 92 meios de transportes (carros, barcos, motos e outros).

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar a complicações graves e à morte, especialmente nos grupos de alto risco. A transmissão pode se dar pelo contato com a pessoa doente ou com objetos contaminados.

A campanha se estende até 26 de maio e a vacina está disponível nos postos de saúde.

Governo antecipa campanha de vacinação

Novos servidores da maternidade participam de oficina de acolhimento

A oficina teve como objetivo explicar o fluxo de funcionamento e atendimento no Sasmc.

 Por Álefe Souza 

Visando explicar o fluxo de funcionamento e atendimento da Maternidade Bárbara Heliodora e do Hospital da Criança, que juntos compõem o Sistema de Atendimento à Saúde da Mulher e da Criança (Sasmc), a gerência da unidade promoveu nestas terça e quarta-feira, 4 e 5,uma oficina de acolhimento para os novos servidores, contratados no último dia 27 de março.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Educação Permanente da Unidade, Tamires Mota, a atividade teve como finalidade recepcionar bem os funcionários e fazer com que já comecem a atuar sabendo como funciona o Sasmc. “Convidamos todos os coordenadores e gerentes de setores do Hospital da Criança e Maternidade pra apresentarem brevemente o funcionamento e a forma de trabalho”, disse Tamires.

A oficina foi finalizada com uma visita dos profissionais ao Sasmc para conhecer o ambiente e sua estrutura. A enfermeira Aline Souza de Paula afirmou não imaginar que o Hospital da Criança e Maternidade são interligados. “Eu não tinha noção do grau de complexidade do Sasmc e, desde ontem, passei a entender o funcionamento da unidade, o que é de suma importância para o desenvolvimento do meu trabalho e de toda a equipe”, afirmou.

Novos servidores da maternidade

Atendimento se consolida em memória ao padre Paolino Baldassari

A ação dá continuidade ao trabalho que o padre fazia na igreja. O governador Tião Viana participou como médico voluntário.

 Por Ana Paula Pojo 

padre Paolino Baldassari

O programa humanitário de atendimento em Saúde dá continuidade trabalho que o padre Paolino fazia na igreja de Sena Madureira (Foto: Gleilson Miranda)

Neste sábado, 8, quando se completa um ano da morte do padre Paolino Baldassari, um grupo de médicos, enfermeiros, estudantes e outros profissionais da área de Saúde se juntaram para promover mais um mutirão de atendimento em saúde para as população rural de Sena Madureira. 

Padre Paolino Baldassari da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Sena Madureira, se consagrou na história religiosa do Acre como um dos líderes mais humildes e humanistas. Conhecido como o médico da floresta, durante anos dedicou-se a atender inúmeras pessoas que se enfileiravam para consultar-se com ele.

“Essa equipe dá continuidade a um dos mais belos trabalhos humanitários feitos pelo nosso santo, o Padre Paolino. Como médico também pude trazer minha contribuição nesse momento em que se completa um ano de lembrança do Padre Paolino, e o sentido desse ato é dar continuidade ao lindo trabalho que ele fazia”, disse Tião Viana.

O frei Moisés, que hoje está à frente da igreja de Nossa Senhora da Conceição, contou que a ação vem sendo desenvolvida desde junho do ano passado, e possui um valor social e religioso amplamente importante.

“O frei Paolino, além do atendimento religioso, fazia esse atendimento social todos os dias. Ele se colocava na salinha dele atendendo aos doentes. O que a gente atende nesse final de semana, ele atendia num dia”, conta o frei lembrando que Paolino não era médico, mas denominava-se um prático da medicina que aprendeu no cotidiano, por meio de livros, contatos com seringueiros, índios, e com a comunidade, diversas receitas de cura.

padre Paolino Baldassari 2

Tião Viana participou da ação como médico voluntário, em homenagem a um ano de lembrança do padre Paolino Baldassari (Foto: Gleilson Miranda)

O nascimento do programa humanitário

Uma das coordenadoras do programa humanitário, a enfermeira Lúcia Paiva, explica que a ação nasceu quando o padre Paolino estava doente e o governador, que era um grande amigo dele, pediu que vários profissionais de unissem para dar apoio nos atendimentos enquanto ele estava internado em Rio Branco.

“Ele sempre expressava a preocupação de quem ia atender os pacientes dele quando ele partisse para o paraíso. E foi assim que nasceu essa ação. A conversa com os médicos e enfermeiros foi se expandindo e o programa humanitário foi ganhando adesão no voluntariado”, conta a enfermeira.

O programa oferece consulta, encaminhamentos, agendamentos de exames e nos casos de cirurgia, estas são encaminhadas para o mutirão. É um programa de voluntariado que envolve toda a estrutura da Saúde.

“Essa é um contribuição em reconhecimento ao que o padre fez nessa região. É uma ação pequena diante do que ele conseguiu fazer com a ajuda da comunidade. Aqui a gente atende pediatria, ginecologia, clínica e tantas outras especialidades. São feitos quase 200 atendimentos num dia”, ressalta o médico, Osvaldo Leal.

padre Paolino Baldassari 1

Nunca Sena Madureira vai esquecer o que o Padre Paolino fez pela gente, e quando ele foi embora, um pedaço do nosso coração foi junto com ele”, Maria Lima (Foto: Gleilson Miranda)

Sena Madureira: gratidão e saudade

A servidora pública Maria Raimunda Moreira conta que chegou bem cedo para receber o atendimento que, segundo ela, faz parte de uma ação essencial para as comunidades rurais do município.

“Às vezes a gente vem da colônia e sente algumas dificuldades para procurar o atendimento médico e aqui a gente tem toda orientação e assistência. Isso é muito importante para as comunidades rurais de Sena. É um legado que o padre Paolino deixou pra gente e que não pode acabar”, afirma.

Já a dona de casa Maria Lima lembra, bastante emocionada, do trabalho que Paolino realizou em vida.

“Ele batizou meus três filhos e foram muitas às vezes em que eu estive aqui na igreja pra receber um atendimento dele. A gente se emociona muito quando lembra porque eu vivi esse trabalho. Nunca Sena Madureira vai esquecer o que o Padre Paolino fez pela gente, e quando ele foi embora, um pedaço do nosso coração foi junto com ele”, lamenta.

padre Paolino Baldassari 3

Governo entrega reforma de centros cirúrgicos e UTI da maternidade na capital

O governador Tião Viana acompanhou na manhã desta sexta-feira, 7, os resultados da reforma na Maternidade Bárbara Heliodora, em Rio Branco.

UTI da maternidade na capital

Um dos esforços de toda a reestruturação é atender as gestantes e parturientes de forma humanizada (Foto: Sérgio Vale)

O espaço teve uma reformulação em seus três centros cirúrgicos, dez leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) e dez leitos de unidade de cuidado intermediário (UCI).

Esta última reforma, realizada pelo governo do Estado, soma-se à nova ala com salas de pré-parto, parto e pós-parto (PPP) entregue no ano passado, e foi construída dentro dos padrões exigidos pelo Ministério da Saúde, atendendo de forma humanizada as gestantes e incluindo uma novidade: o parto normal na banheira.

“As salas do centro cirúrgico foram refeitas com alta qualidade, equipamentos em condição de atender todas as necessidades da maternidade, com uma nova UTI de cuidados neonatais e as unidades de nascimento arrumadas.

Uma nova Maternidade Bárbara Heliodora está consolidada aqui e nós ainda vamos fazer o esforço de transferir todas as pacientes de baixo risco para outro local de atendimento e que aqui fiquem apenas os casos de média e alta complexidade”, anuncia o governador.

UTI da maternidade na capital 2

A médica neonatologista Socorro Avelino ressalta que, com a reforma e as novas instalações, a Maternidade Bárbara Heliodora não deixa nada a desejar em relação às principais maternidades de todo o país.

“Após a reforma, nossas instalações melhoraram muito mais. A UTI neonatal está equiparada às melhores do país, porque nós temos os equipamentos ideais, a comodidade física e profissionais preparados tecnicamente para atender os recém-nascidos”, explica.

O secretário de Saúde, Gemil de Abreu Júnior, fala sobre os esforços do governo do Estado para que a maternidade esteja cada dia mais equipada e com uma equipe preparada.

“Estamos prontos para atender as mães com todo o carinho, com um serviço de qualidade e profissionais motivados. Temos aqui uma das melhores referências no Brasil e isso é o resultado de avanços e esforços do governo. Cada dia vamos trabalhando e nos adaptando para atender mais as mães do nosso estado”.

UTI da maternidade na capital 1