TCE/AM diz que obra contratada com ETAM, da família de Gladson, tem superfaturamento de 30 milhões e susta pagamentos

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas suspendeu o contrato da empresa ETAM, de propriedade de Eládio Cameli, pai do senador Gladson Cameli e principal financiador de suas campanhas políticas.

A suspeito do TCE é que tenha havido superfaturamento na ordem de 26 milhões de reais firmados em 2012 entre a empresa ETAM e a Secretaria de Estado de Infraestrutura do Amazonas durante o Governo de Omar Aziz para a construção de um corredor exclusivo para ônibus em Manaus-AM.

A ETAM também foi citada em delação premiada de Antônio Cumplido, ex-executivo da Camargo Correia. Segun o delator, a ETAM teria atuado como uma espécie de ‘laranja’ da Camargo Correia durante a construção da ponte sobre o Rio Negro.

Os pagamentos do contrato da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) com a Construtora Etam Ltda., firmado no governo Omar Aziz, em 2012 para a construção do corredor exclusivo de ônibus da Avenida das Torres, foram suspensos pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), por medida cautelar. Segundo o tribunal, há suspeita de superfaturamento no valor de R$ 26,9 milhões.

O despacho assinado pelo conselheiro Alípio Reis Firmo Filho foi publicado no Diário Oficial do TCE no dia 21 de dezembro. Segundo o documento, foi constatada a existência de serviços com quantidades superiores às identificadas no projeto básico e serviços com preços acima dos descritos na tabela de Sistema de Custos Referenciais de Obras (Sicro), que é referência de preços para obras rodoviárias.

Ainda segundo o conselheiro, o contrato 077/2012 teve seis termos aditivos (quando o contrato é prorrogado), dos quais dois foram com acréscimos de valores, no montante de R$ 38,2 milhões, sem apresentação e justificativas dos critérios utilizados para o reajuste, “bem como da não apresentação em sua totalidade das composições de custo de novos serviços e ainda a existência de impropriedades”.

A adoção da medida cautelar aponta para a necessidade de evitar que uma “situação de difícil reparação se concretize, em vista do perigo na demora da tramitação processual”.

Etam foi citada em delação envolvendo o senador Eduardo Braga

A Construtora Etam foi citada na delação premiada de Arnaldo Cumplido, ex-executivo da Camargo Corrêa, como intermediária no pagamento de propina para o senador Eduardo Braga. Segundo o delator, em troca, o ex-governador atuou para facilitar que a empreiteira conquistasse o contrato para construir a ponte sobre o Rio Negro.

O consórcio que construiu a ponte era formado pela Camargo Corrêa e Construbase. Segundo Cumplido, os pagamentos periódicos ao ex-governador eram feitos por meio da Etam, inicialmente uma subcontratada, mas depois cessionária do contrato.

Leandro Altheman / Juruá em Tempo

Presidente Rogério Pontes e vereadores participam da entrega da ampliação de unidade de Saúde no km 68

Presidente da Câmara Rogério Pontes e demais vereadores participam da entrega da ampliação de unidade de Saúde na zona rural de Brasiléia.

 Por Paula Alcântara 

O Presidente da Câmara Municipal de Brasiléia Rogério Pontes participou da entrega da ampliação da Unidade Básica de Saúde (UBS) Pedro Oliveira de Souza, localizada na BR 317, km 68, zona rural de Brasiléia, a referida unidade atende as comunidades com serviços de saúde, tanto médicos como odontológico.

Além do Presidente estiveram também o Vice-Presidente Rozevete Honorato, o 1º Secretário Edu Queiroz, 2º Secretário Zé Gabriele, Vereador Rosildo Rodrigues e outras autoridades Como a Prefeita Fernanda Hassem, secretário de Saúde Francisco Borges, Deputada Estadual Leila Galvão e outros.

A Prefeita Fernanda Hassem visitou a unidade e na ocasião fez a entrega da ampliação. Além da estrutura física, no valor de R$ 203.175,00 (duzentos e três mil cento e setenta e cinco reais), provenientes de emendas dos ex-parlamentares Henrique Afonso e Aníbal Diniz, a Prefeitura também realizou a aquisição com recurso próprio, de equipamentos, dentre eles uma cadeira completa para atendimento odontológico.

Para o Presidente Rogério e demais vereadores mencionados acima, é uma satisfação muito grande vê a evolução da qualidade de saúde oferecida pelo Poder Público Municipal; “A Prefeita Fernanda vem trabalhando incansavelmente para oferecer o melhor para a população da zona urbana e da zona rural e é uma satisfação maior ainda o Poder Legislativo poder contribuir para essa evolução”, disse Rogério.

Para a Prefeita Fernanda Hassem, esse é um investimento que sempre será prioridade da gestão; “Um dia importante pra gestão, uma emenda já antiga e que estava praticamente perdida e fizemos todo um esforço e faço um reconhecimento à nossa equipe de Planejamento e da Saúde que se dedicaram que acompanharam. Essa unidade tem uma grande importância para a comunidade rural e entregá-la totalmente equipada e com as condições adequadas para o bom atendimento nos enche de orgulho. Na verdade não é a inauguração, mas entendemos que por questão de gestão seria bom entregar a ampliação para que os pacientes fossem mais bem atendidos, principalmente nesse período de inverno”, finalizou a Prefeita.

Prefeitura de Brasiléia entrega Unidade Básica de Saúde ampliada à comunidade rural

A Unidade Básica de Saúde (UBS) Pedro Oliveira de Souza, localizada na BR 317, km 68, em Brasiléia, atende as comunidades rurais com serviços de saúde, tanto médicos como odontológico.

Na última quinta-feira, 28, a Prefeita Fernanda Hassem visitou à unidade e na ocasião fez a entrega da ampliação à comunidade e servidores. Além da estrutura física, no valor de R$ 203.175,00 (duzentos e três mil cento e setenta e cinco reais), provenientes de emendas dos ex parlamentares Henrique Afonso e Aníbal Diniz, a Prefeitura também realizou a aquisição com recurso próprio, de equipamentos, dentre eles uma cadeira completa para atendimento odontológico, visando melhorar os serviços de saúde ofertados às comunidades rurais. 

Lindomar Gonçalves, morador da comunidade falou a respeito do investimento.

“A gente só tem a agradecer essa equipe gestora que está administrando o nosso município pois é um trabalho que vai beneficiar a comunidade como um todo, são muitas pessoas que passam aqui diariamente e que vai ser bem atendida aqui nessa unidade de saúde. Agradeço a ampliação e também a forma do atendimento, a acolhida e os materiais novos que estamos recebendo da Prefeitura. Outro ponto importante é a farmácia que nunca mais faltou medicamentos e todos que são atendidos saem com a devida medicação. Só tenho a agradecer tudo isso”.

A Deputada Estadual Leila Galvão destacou a importância dessa ação.

“A nossa alegria de receber essa ampliação com todos os moveis, com todos os equipamentos necessários para que os profissionais possam exercer as funções com muita eficiência e o melhor, que possam atender bem aqueles que procuram que são aqueles que mais precisam e que estão aqui na área rural, essa ação realmente encheu o nosso coração de muita alegria”, enfatizou Leila Galvão.

Para a Prefeita Fernanda Hassem, esse é um investimento que sempre será prioridade da gestão.

“Um dia importante pra gestão, uma emenda já antiga e que estava praticamente perdida e fizemos todo um esforço e faço um reconhecimento à nossa equipe de Planejamento e da Saúde que se dedicaram, que acompanharam. Essa unidade tem uma grande importância para a comunidade rural e entregá-la totalmente equipada e com as condições adequadas para o bom atendimento nos enche de orgulho. Na verdade não é a inauguração, mas entendemos que por questão de gestão seria bom entregar a ampliação para que os pacientes fossem melhor atendidos, principalmente nesse período de inverno”, finalizou a Prefeita.

Participaram também da visita o Presidente da Câmara vereador Rogério Pontes, vereadores Rozevete, Edu, Rosildo e Zé Gabriele, Secretário de Saúde Francisco Borges, equipe e a comunidade local.

Emendas do deputado Major Rocha garantem recursos para Brasileia e Jordão

Os municípios de Jordão e Brasileia receberam, uma excelente notícia do deputado federal Major Rocha (PSDB).

Ambos municípios foram beneficiados com as emendas parlamentares individual do tucano.

Jordão receberá uma R$:250 mil para a construção da secretaria municipal de Saúde, o pagamento deste recurso já foi autorizado pelo governo federal.

Já o município de Brasileia teve a emenda no valor de 200 mil reais, empenhada, aguardando agora somente a confirmação de seu pagamento pelo governo federal. O recurso será usado para aquisição de um veículo que servirá para atender as demandas do município.

Rocha destacou a luta, juntamente com sua equipe em Brasília e no Acre, na busca de mais recursos para as cidades acreanas.

“É quase um presente de Natal, fico feliz em poder dar essa notícia aos municípios de Jordão e Brasileia. Nossa equipe tem lutado juntamente comigo pela liberação destas emendas.

Sei que as emendas parlamentares têm oxigenado as prefeituras, que hoje se encontram abandonadas pelo governo do PT do Acre” disse ele.

Marcus Alexandre diz que fará um governo de um novo ciclo para o Acre

Marcus Alexandre diz que está pronto para o debate em 2018 e que fará um governo nos mesmos moldes com que administra Rio Branco, “com muito trabalho e muita humildade”.

 Por Tião Maia 

Uma provável eleição do atual prefeito de Rio Branco Marcus Alexandre ao governo do Estado, nas eleições do ano que vem, não seria apenas uma questão numérica. Não seria apenas o sexto mandato consecutivo da Frente Popular do Acre no governo do Estado e a concretização de 20 anos de poder de seus idealizadores. Muito mais que isso, a eleição governamental do atual prefeito seria o início de um novo ciclo para o Acre, no qual, cumpridas as tarefas que coube aos cinco mandatos anteriores, o governador Marcus Alexandre buscaria inserir o Acre numa agenda de crescimento econômico necessária ao país, com uma marca de diálogo com a sociedade, principalmente com a juventude, com a ideia de crescimento com base no que foi feito pelos cinco governos anteriores.

A análise foi feita ontem pela manhã, em seu gabinete na Prefeitura de Rio Branco, por ninguém menos que o prefeito Marcus Alexandre, ao admitir que vai, sim, desincompatibilizar-se do cargo, dentro do calendário eleitoral, para concorrer ao cargo de governador. Ao falar de suas propostas, Marcus Alexandre disse que o fato de trazer o atual secretário de Segurança Emylson Farias para sua chapa majoritária, é uma demonstração de que a Frente Popular não vai fugir do debate sobre um dos temas que mais afligem a população acreana na atualidade. Na entrevista a seguir, o prefeito fala sobre o tema, diz o que fez em sua administração e que está pronto para o diálogo com a população para a próxima campanha. Segundo ele, ninguém ganha eleição antes do pleito e reafirmou que sua campanha será feita com pé no chão e que seu futuro governo será do mesmo jeito com que trabalha na Prefeitura. Veja a entrevista:

Depois de seis anos à frente da Prefeitura de Rio Branco, no segundo mandato, o senhor acha que já cumpriu sua missão em relação à cidade e sua população?

Marcus Alexandre – Olha, nesse tempo em que a gente está aqui na Prefeitura, desde janeiro de 2013, a nossa busca sempre foi a de trabalhar incessantemente para cumprir os compromissos que assumimos junto à população. Sei que ainda há muito por fazer, mas sei também que fizemos muito. E só conseguimos fazer esse muito com o apoio de muita gente. Tenho que agradecer o apoio de todos, da nossa equipe principalmente, pelos resultados que alcançamos.

Que resultados são esses?

O da Educação é um bom exemplo. A gente abriu mais de cinco mil vagas e construímos 12 novas escolas e atingimos a quarta maior nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, criado em 2007, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), formulado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino) no país, a terceira nota do índice de oportunidades. Outro exemplo é a Saúde, onde nós tivemos a oportunidade de construir 26 novas unidades e temos mais quatro em obras. Em Rio Branco, hoje, toda a rede de atenção à saúde é uma das melhores do país, apesar de todas as dificuldades de trabalhar na área, porque tratar da saúde das pessoas, sempre necessitadas de bom atendimento, não é fácil.

Em termos de recursos públicos, qual será o legado de investimentos que o senhor deixará na cidade caso venha a se a desincompatibilizar da Prefeitura para concorrer às eleições ao Governo, no ano que vem, como se anuncia em todo o Acre?

Nossos levantamentos mostram que fizemos investimentos na cidade algo em torno de R$ 150 milhões de investimentos. Quando a gente soma duplicações das nossas vias, os investimentos na saúde e na educação e no esporte, com os recursos de emendas da nossa bancada de parlamentares federais. São valores que a gente conseguiu com muita parceria (e eu queria aproveitar a oportunidade para agradecer a bancada federal, por seus deputados senadores, a presidente Dilma, o governo federal atual, que também manteve liberações na medida do possível). Enfim, temos que agradecer pessoas e também instituições, como a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, BNDES e ministérios…

Essa história de que o senhor dorme tarde e acorda cedo procede? A que horas o senhor vai dormir e a que horas acorda? Por que isso?

Sempre dormir cedo e acordei cedo. Mas, quando fui diretor do Deracre, acordar de madrugada era uma rotina, principalmente quando vivíamos nos trechos. Daí eu trouxe isso para a Prefeitura e não vejo nada de excepcional um gestor acordar de madrugada. Quem precisa da atenção do poder público, tem pressa.

Como é que o senhor se sente vivendo em meio às críticas, denúncias de cunho até pessoal, com ataques da oposição que atingem sua família. Vale a pena viver assim?

Olha, primeiro eu entendo que ninguém joga pedra em árvores secas, que não dão frutos. A democracia tem esse lado, o lado da crítica e a gente tem que saber conviver com ela. O que eu acho é que o que deveríamos tentar evitar, todos nós, enquanto sociedade, num ambiente político, são os ataques à família, à honra.

O senhor se sente vítima disso?

Sim. Acho que não precisamos transformar adversários em inimigos. Não precisamos disso porque vivemos numa cidade e num Estado relativamente pequenos. Somos uma população em torno de 800 mil pessoas de uma sociedade em que todos se conhecem e acho que por isso mesmo o respeito tem que prevalecer. Agora, que haja diferenças de ideias, no campo político, isso é natural. Todas as críticas que são feitas à administração, às ações ou àquilo que deixamos de fazer, eu entendo como naturais. O que às vezes chateia um pouco são os ataques no campo pessoal, até com ataques à honra, à família. Eu não pratico isso nem incentivo.

E nesse caso propalado em que o senhor foi levado à Polícia Federal para depor, o senhor acha que houve excesso e que aquele episódio midiático poderia e deveria ter sido evitado?

Acho que aquilo seria desnecessário porque, desde que eu saí do Deracre, todas as vezes que fui chamado a prestar esclarecimentos – aliás, esclarecimentos sobre seis anos de muito trabalho – eu sempre compareci sem problema algum. Olha, nós temos números: foram 54 pontes construídas, rodovias como a que liga Acrelândia a Plácido de Castro, Rio Branco à divisa com o Amazonas, em diversas estradas, duplicações em vários municípios, aeroportos – e não foi só na BR-364 que a gente trabalhou –, é natural que haja questionamentos. Há mesmos diferenças de preços da brita, do óleo diesel, de asfalto e de outros insumos porque, na nossa região, os preços são diferentes em relação ao restante do país. Mas todas as vezes em quer tive que prestar esclarecimentos sobre isso, fui tranquilamente, de forma quase que voluntária. Mas, naquele caso, acho que foi desnecessário o procedimento.

Por que?

Porque, meses depois, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, julgou que é inconstitucional o que aconteceu comigo e outras pessoas. Mas, o que me chateou nesse processo todo foi terem ido à minha casa depois soltar fogos, fazer festa, como se estivesse comemorando o constrangimento que minha família passou. Foi só isso. O restante é que estou tranquilo, esperando na Justiça. Prevalecendo a verdade, não tenho motivo para ter preocupação.

Voltar à pergunta quase inicial: vale a pena fazer política vivendo todas essas circunstâncias?

Vale, sim. Vale porque é lindo ver o sorriso de uma criança numa creche que a gente a elas, a alegria das pessoas ao receberem um atendimento digno na área da saúde, de ver a felicidade das pessoas pela urbanização do bairro onde elas moram, de ver ruas antes enlameadas e sendo pavimentadas, enfim, a alegria de uma comunidade em que a intervenção do poder público ajudou a melhorar a vida delas. É nisso que me apego. Se a gente fosse nos apegar às coisas ruins, acabaria que o ambiente ficaria péssimo. Por isso digo que vale a pena sim, pelas coisas boas que a gente pode fazer pela sociedade.

Depois de seis anos como prefeito, eu queria que o senhor nos dissesse qual foi o pior e o melhor momento de sua administração…

Posso dizer que não houve assim um único e grande melhor momento, até porque foram vários. Cada inauguração, cada entrega de obra, de uma praça, de uma unidade de saúde, de uma escola é sempre um grande momento, de felicidade para a população e para mim. Posso dizer que cada realização na área do esporte, que eu amo tanto, é sempre motivo de alegria e felicidade. Felicidades em ações que aparentemente nem são tão importantes, mas a entrega de um certificado e de um título definitivo de uma moradia é algo que nos realiza também. Posso dizer que vivemos vários momentos felizes. Mas, sem dúvida nenhuma, o pior momento que vivemos foi na alagação de 2015, quando o rio Acre atingiu sua cota máxima de transbordamento de toda sua história, o marco historio de 18m40, no dia 6 de março daquele ano. Aquele foi o dia mais difícil.

O senhor achou que não venceria aquela dificuldade?

Não pensei em derrota, apesar de que ali estávamos vivendo uma situação em que o rio nunca havia chegado, em que estava sendo inundadas áreas que nunca haviam sido inundadas e ninguém sabia onde aquilo tudo ia parar. Ainda bem, graças a Deus, que aquele foi o limite e a gente pôde recuperar a cidade, cuidar das pessoas e dar a volta por cima. A cidade e a população sofreram, mas nós nos juntamos e houve muita solidariedade e parcerias com os governos estadual e federal. O governador Tião Viana, com todo o seu humanismo, nos ajudou e conseguimos recuperar a cidade e ajudar a população atingida.

Uma pergunta que muita gente quer fazer: o senhor vai deixar então a prefeitura o ano que vem para disputar a eleição para governador?       

Nós vamos, primeiramente, respeitar o calendário eleitoral. Não discuto isso agora. Penso que eleição só em ano de eleição. Não penso ainda em transição porque estamos ainda no calor da conclusão desse ano, um ano muito difícil para todos os gestores do Brasil. Mas, respeitando o calendário eleitoral, vamos, sim, para a desincompatibilização e, na hora certa, vamos comunicar isso à população.

O senhor acha que o Acre poderá vir a ser governado pela sexta vez por um governo da Frente Popular?

O desafio é muito grande. Mas acho que é também uma oportunidade de a gente poder dialogar principalmente com a juventude acreana, falar de nossas propostas para essa nova geração. Nós estamos nos propondo a participar de um processo em que se busca não é, exatamente, um sexto mandato para Frente Popular do Acre. Buscaremos o início de um novo ciclo. É assim que vamos dialogar com a população. Nós temos cinco mandatos conquistados pela Frente Popular, que, aliás, fizeram muita coisa pelo Acre. Cada governo da Frente teve seu papel, do Jorge Viana, nos seus dois mandatos, até o Tião Viana, também em seus dois mandatos, e com o mandato do Binho Marques, o Acre viveu profundas transformações e as realizações estão aí à comprovar o que dizemos. Cada um enfrentou o desafio de seu tempo. Mas, agora, um olhar de esperança para o futuro, com a nossa juventude.

Mas, neste sentido, na hipótese de o senhor vir a ser eleito governador, qual seria a marca do governador ou do Governo Marcus Alexandre?

Penso que o que Brasil mais requer hoje é o crescimento econômico. A crise econômica, a falta de desenvolvimento, atinge todas as áreas. É o momento de pensarmos com profundidade em políticas públicas na área social, de segurança pública, da saúde, da educação. Sem crescimento econômico, é impossível se dar respostas para isso. O Brasil vive, há três anos consecutivos, do ponto de vista técnico, a maior recessão da história deste país, com o PIB negativos. Buscar crescimento econômico deve ser o dever de casa de cada estado brasileiro. Nós temos que buscar alternativas para o crescimento econômico, cada um fazendo o seu papel, na sua região, para ajudar o Brasil a voltar à crescer. É claro que não poderíamos dizer que o Acre vai contribuir para o crescimento do Brasil. Mas o fato é que cada estado tem a sua parcela de contribuição. Em minha opinião, o grande esforço do Brasil para a retomada do crescimento econômico seria apoio aos municípios e investimentos na saúde, na educação e na inovação tecnológica. Além disso, creio, é necessário que façamos um debate com muita responsabilidade sobre a segurança pública.

Na hipótese de o senhor vir a ser eleito, serias o governador mais jovem da história do Acre. O senhor se sente preparado para tamanha responsabilidade?

Quando fui convidado para ser secretário-adjunto de Planejamento do Governo do Estado, um cargo muito honroso, eu tinha pouco mais de 20 anos de idade. Quando o governador Binho Marques me convidou para ser diretor do Deracre, eu não tinha nem 30 anos de idade. No Deracre, haviam engenheiros – caso do Fernando Moutinho – que só de casa tinham mais que minha idade. Mesmo assim, a gente fez grandes investimentos e grandes obras. Acho que as coisas estão acontecendo rápido demais na minha vida e agradeço a Deus por isso. Também agradeço às pessoas que estão confiando em mim. Quando assumi aqui a Prefeitura, tinha pouco mais de 30 anos de idade e estou buscando fazer aqui a minha parcela. Independentemente da idade, penso que o que conta mesmo são os princípios que a gente tem no coração, as coisas que a gente pode fazer… A dedicação, o esforço, isso não me faltam. Eu gosto de trabalhar e de acorda cedo e estou na gestão pública há quase 20 anos e acho que acumulei bagagem na área de planejamento, de organização e de conhecimento no serviço público. Por isso, tenho certeza de que, humildemente, tenho muito a oferecer à população caso nosso propósito para o ano que vem tenha êxito no seio da população. Estou muito alegre, muito feliz e preparado, principalmente para mantermos no Governo, como fazemos na Prefeitura da Capital, um diálogo aberto com a população.

Como o senhor reage às declarações de um de seus prováveis adversários, o coronel Ulysses, que disse que iria passar sobre o senhor como trator?

A Palavra diz que a humildade precede a honra. Eu prefiro ficar com a humildade porque fazer a sua parte que eu sei que não será uma eleição fácil, muito difícil.  O que eu sei é que não há eleição ganha antes da hora e que o diálogo é com a população e que qualquer um dos candidatos tem que fazer sua parte, como eu vou fazer. Vou apresentar um plano de Governo consistente, planejado, debatido e capaz de fazer, politicamente, boas alianças com os partidos que nos apoiam, baseado em princípios de que é preciso falar a verdade, ser sincero com a população. Com humildade e pé no chão, sei que vamos vencer.

O senhor falou em segurança pública, um dos problemas que, por certo, mais afligem à população. O que o senhor acha que pode ser feito para enfrentar este problema, já que o senhor terá o delegado Emylson Farias, ligado à área, como seu candidato a vice? Como os senhores vão encarar isso?

Tenho muito carinho e respeito pelo delegado Emylson Farias, que, no âmbito da Frente Popular, me foi apresentado como candidato a vice e que é uma indicação que muito me honra. A questão da segurança pública, com a indicação do delegado Emylson Farias, moa central era segurança mostra um ato de coragem da Frente Popular em trazer para a chapa majoritária um assunto que muitos querem esconder. Nós estamos prontos para debater isso. Eu participei da reunião aqui com 20 governadores num debate em que o tema central era segurança pública. Ficou muito claro que cada um precisa fazer sua parte: o governo federal, cuidando das fronteiras, por onde entram as armas, com a Polícia Federal, com a Rodoviária, coma Polícia Militar. Eu acredito muito nos homens que servem ao nosso sistema de segurança e os governos estaduais têm que dar cada vez mais condições para que nossas polícias estaduais possam ter melhores condições de trabalho. Não vamos fugir ao debate da segurança porque creio que, juntos, podemos enfrentar um problema que não é só do Acre ou do Brasil. Todas as nações sofrem, hoje, com o problema da segurança, mas sei que podemos vencer, principalmente num Estado como o nosso.

Deputada Leila Galvão faz balanço positivo de seu mandato em 2017

A deputada estadual Leila Galvão (PT) reuniu sua equipe há quinze dias do fim de 2017, justamente, para fazer essa avaliação.

O ano se encerra daqui há três dias e esse é o momento em que muita gente faz uma avaliação sobre os 365 dias que ficaram para trás para identificar os pontos positivos, o que deu certo ou o que deu errado e planejar um ano novinho que será inaugurado em 1º de janeiro. 

Em um ano político agitado e conturbado, quando o País e o Estado vivem momentos econômicos difíceis, o balaço é o de que o mandato de Leila Galvão, em 2017, foi positivo e propositivo, já que sua atuação contribuiu para o desenvolvimento do Estado e para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, principalmente, os da região do Alto Acre, das cidades de Assis Brasil, Brasileia, Epitacilândia e Assis Brasil.

“Minha candidatura a deputada estadual surgiu dessa região, portanto, o meu mandato é natural de lá. Devo, então, dedicar maior atenção para essas cidades e sua gente”, explicou Leila Galvão.

Sendo assim, a parlamentar petista procurou realizar parcerias com as prefeituras do Alto Acre. Em outubro, por exemplo, mulheres de Brasileia estiveram em Rio Branco realizando exames de mamografia e outros que possibilitam a identificação precoce de câncer de mama. Essa ação foi realizada graças ao empenho do gabinete de Leila Galvão que fez parceria com a prefeitura daquela cidade. A mesma parceria também contou com a participação da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (Aleac), através do seu presidente Ney Amorim (PT), e Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre).

“Esse é apenas um exemplo do trabalho que realizamos em parceria com as administrações municipais. Isso fortalece as gestões e garante acesso a serviços que não chegam tão fácil para as pessoas, principalmente, para as mulheres.”

E esse apoio às mulheres tem recebido atenção especial de Leila Galvão. Ela é a liderança feminina do Partido dos Trabalhadores na Aleac. Assim sendo, tem buscado pautar a casa com temas de relevância para as causas das mulheres.

É bom ressaltar, porém, que sua atuação na Aleac vai muito além. Leila participa das comissões de Finanças; de Educação, Cultura e Desporto; de Direito do Consumidor e de Limites Territoriais. Nesta última, atua como presidente.

Em plenário, fez 71 pronunciamentos e mais 42 indicações. Fez, ainda, 387 visitas diversas ao longo do ano. Esses números a colocam com uma atuação bem acima da média.

Muitas de suas indicações já foram atendidas ou estão em andamento. É o caso da implantação do Ensino Médio na escola 7 Estrelas, em Assis Brasil e a construção de duas salas de aula e reforma da quadra da escola Valéria Bispo Sabala, em Brasileia. Tão importante quanto esses foi a implantação do Ensino Integral na região do Alto Acre, mais especificamente, na escola Kairala José Kairala e a recuperação do ramal do Icuriã, em Assis Brasil.

“Esse é um importante ramal para a região do Alto Acre. Ali há centenas de famílias de produtores rurais, seringueiros e extrativistas que, a partir de agora, têm um acesso mais facilitado para as cidades e para os mercados onde podem comercializar seus produtos a preços bem mais justos.”

Nessa questão de acesso e transporte, Leila Galvão foi praticamente incansável na luta pela recuperação e manutenção de ramais, estradas e rodovias. Mas ela dedicou maior atenção mesmo para os problemas da BR-317, que liga a capita Rio Branco à região do Alto Acre, buscando articulação forte com a chefia da Superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que sempre atendeu às suas reivindicações.

Também foi a atuação forte de Leila Galvão que garantiu a recuperação e manutenção da Estrada da Borracha, em Xapuri. Foram realizadas parcerias com a prefeitura de Xapuri que vão desde a liberação de emendas parlamentares à aquisição de kits de sangrias para o trabalho das famílias da reserva Chico Mendes.

“Durante nossa reunião de avaliação do mandato neste ano, pontuamos todas as nossas atividades. Essas que citamos aqui foram apenas uma parte de tudo que foi possível realizar”, explicou a parlamentar. “Devo ressaltar, contudo, que isso só foi possível graças ao grande empenho de minha equipe, pois trabalho com pessoas dedicadas que comungam do mesmo objetivo que o meu, que é o de fazer sempre o melhor para o Acre e para essa nossa gente, desde os que residem nas cidades aos que estão lá nas mais longínquas localidades da nossa floresta”, acrescentou. “Tem, ainda, as parcerias e os apoios institucionais e de nossas autoridades, como o governador Tião Viana, que sempre foi mais que um parceiro, foi um amigo de todas as horas, e o nosso presidente da Aleac, o Ney Amorim, que é outra pessoa que tenho muito a agradecer. Não posso esquecer dos nossos parlamentares federais, que estiveram sempre prontos para nos ajudar lá em Brasília”, disse. “São tantas pessoas que nos ajudaram a fazer desse um mandato vitorioso que nem daria para citar todos, mas aproveito para agradecer, de coração, por tudo que fizeram por mim, pelo meu mandato, e pelo sucesso dos nossos projetos”, finalizou.

Prefeitura aprova reajuste salarial de servidores da Câmara Municipal de Assis Brasil

Servidores do quadro permanente e comissionados vão receber 5% a mais no salário base a partir de janeiro de 2018.

Os servidores do quadro permanente e comissionados da Câmara Municipal de Assis Brasil vão receber 5% a mais no salário base a partir de janeiro de 2018. A lei que garante o aumento dos servidores foi sancionada pela prefeitura no último dia 14 deste mês e foi o segundo aprovado este ano.

O vice-presidente da câmara, o vereador Wendell Gonçalves, mais conhecido como vereador Thyero, disse que o reauste dos salários ocorre todos os anos.

“Todo ano tem reajuste. O aumento aprovado em fevereiro valeu para todo esse ano de 2017. Esse aumento que foi aprovado agora vai valer só para 2018, a gente só antecipou essa aprovação”, afirma o vereador.

A câmara conta com quatro servidores efetivos distribuídos nos setores de serviços gerais, recepção, agente administrativo e uma pessoa contratada com cargo comissionado. O reajuste, segundo a publicação, está de acordo com o Plano de Cargo, Carreira e Remuneração (PCCR).

O aumento aprovado em fevereiro, também foi de 5% em cima do salário base, conforme função ocupada pelos servidores. A prefeitura do município informou que ambas propostas aprovadas foram feitas pela Câmara e que o prefeito deu procedência para os projetos.

Gladson faz pouco caso de áudio de Bittar e pede mais união e menos picuinhas dentro da oposição

Gladson fez pouco caso do assunto e resolveu ser o apaziguador do que envolveu diretamente sua competência como possível chefe do Executivo Estadual.

Depois do áudio vazado nas redes sociais com a fala do pré-candidato ao Senado Federal pelo PMDB, ex-deputado Márcio Bittar dizendo que o senador Gladson Cameli (Progressista) não é nem de longe o seu melhor candidato ao Governo do Estado, mas é o que tem para derrotar o PT. 

Cameli disse que cada um é responsável pelas declarações que faz e destacou que a oposição precisa para de fazer picuinhas e se unir.

O senador explicou que é chegado o tempo de união, crescimento e amadurecimento por parte da política e dos políticos. “Não temos tempo para picuinhas e miudezas. Tenho um compromisso com o povo acreano e com os nossos aliados. Eu não preciso me manifestar sobre esse assunto porque não vou permitir que questões pequenas como essas prejudique o que temos de melhor para o Acre e as pessoas”, destacou o pré-candidato ao Governo.

Cameli também disse que Márcio Bittar, assim como o senador Sérgio Petecão, são seus amigos e parceiros fundamentais no processo de reconstrução do Acre, junto com os deputados Flaviano Melo (PMDB), Major Rocha (PSDB), Bocalom e os demais membros dos partidos que compõem a oposição.

“Temos muito trabalho e grandes conquistas pela frente. Isso é que realmente importa. Não essas coisas pequenas que não ajudam. Já mostrei com meus mandatos de deputado federal e senador o quanto ajudei nosso Acre e todos os municípios. Como governador farei ainda mais e tirarei nosso povo dessa escravidão petista”, finalizou Cameli.

Por Wiliandro Derze  / ac24horas

Senador Jorge Viana e Deputado Angelim anunciam novas emendas para Brasiléia

Durante a visita o Senador, Jorge Viana, realizou a prestação de contas do seu mandato com a comunidade e anunciou novas emendas destinada a Brasiléia.

Em visita ao município de Brasileia o Senador Jorge Viana juntamente com o Deputado Federal Raimundo Angelim e o Aníbal Diniz Vice-Presidente da Agência Nacional de Telecomunicações( ANATEL), estiveram, participando de uma atividade realizada no Centro Cultural em Brasileia.

“Eu vim prestar contas do meu cargo com a população e discutir com a prefeita sobre aplicação de emendas que estamos disponibilizando, já havia colocado R$ 1mi (Um milhão de reais). Dar gosto de trabalhar por Brasileia com a prefeitura na mão da Fernanda, por ela ser cuidadosa e zelosa com a equipe, e trouxe uma novidade, consegui uma emenda extra orçamentaria no valor de R$ 700 mil (setecentos mil reais), totalizando R$ 1 mi e700mil para o próximo ano aqui em Brasileia, que é destinada para os cuidados com as calçadas e pavimentação asfáltica”, ressaltou Jorge.

O evento também contou com a participação da comunidade e autoridades, Deputada Estadual Leila Galvão, Vereadores Rosildo, Zé Gabriele, Sabá, Edu e Rozevete dentre outros.

Na ocasião o Deputado Angelim anunciou recursos para construção da Biblioteca Pública de Brasiléia. “Aqui em Brasileia me surpreende positivamente, fico contente e saio daqui muito alegre em ver como a cidade tem mudado para melhor com administração da, minha amiga, prefeita Fernanda. No início do ano nós destinamos recursos para compra de medicamentos, levados para os itinerantes realizado pela prefeitura na área rural e para oinício de 2018, eu coloquei recursos para construção de uma biblioteca e também para compra de equipamentos e medicamentos para os centros de saúde e espero poder liberar o mais rápido possível essas emendas”, destacou Angelim.

Durante o evento a Prefeita Fernanda Hassem agradeceu a parceria e o envio de emendas parlamentares ao município em 2017. “Sempre bom poder receber nossos amigos na nossa cidade, eles que sempre estão à disposição em ajudar Brasileia, enviando recursos parlamentares para que possamos melhorar nossa cidade, que aos poucos está sendo reconstruída após as enchentes ocorridas no município. Quero aproveitar a oportunidade e agradecer a todos que trabalham por um Brasileia melhor e desejar um feliz natal e que 2018 possamos desenvolver ainda mais a nossa cidade”, finalizou Fernanda Hassem. 

Prefeita Fernanda Hassem participa de atividade realizada no Centro do Idoso em Brasileia

A Prefeitura Brasiléia através da Secretaria Municipal de Assistência Social, realizou na quarta-feira, 20, uma confraternização e encerramento das atividades de 2017 no Centro de Convivência do Idoso Andrelino Avelino da Silva.

Participaram do evento as pessoas (Idosos) que são moradores de longa permanência do CCI – Avelino Silva, a prefeita Fernanda Hassem, acompanhada de seus secretários, a Deputada Estadual Leila Galvão e o vereador Edu.

No evento foram realizadas diversas atividades, houve sorteio de brindes, show dançante, desfiles, muita dança e logo após foi servidor um delicioso lanche a todos os presentes.

“Ficamos felizes por concluir mais um projeto, estamos com a casa cheia hoje, podemos ver alegria das pessoas com a festa temática, dos anos 60. E ao chegar e ver todas essas pessoas que tanto contribuíram com a nossa cidade dançando, se divertindo é motivo de contentamento e gratidão, nosso muito obrigado a toda equipe da Secretaria de Assistência Social e a professora Saida Jafure que ao longo do ano se envolveram para que pudéssemos oferecer um atendimento de qualidade a eles”, falou Fernanda Hassem, prefeita de Brasiléia.

Os grupos de convivência são espaços de inclusão social dos idosos, e através do trabalho social desenvolvido com este público, é possível estimular a participação no contexto familiar e comunitário, refletindo sobre o processo de envelhecimento, a qualidade de vida e a valorização da própria vida.

O Centro do Idoso foi inaugurado em 2012 na gestão da prefeita Leila Galvão, que falou a respeito do evento: “Momento de muita alegria, nós que fazemos parte dessa história quando iniciamos há 5 anos, e fico feliz de ver fechar o primeiro ano da gestão da Fernanda,  e poder observar o sorriso radiante nos rosto dessas pessoas que tanto contribuíram com o município de Brasileia. Sabemos da importância de ter esse espaço com atendimento médico, entretenimento, viagens e passeios, isso tudo reflete na qualidade de vida da população”, disse Leila.

Conforme a coordenadora do Centro Andrelino Avelino, Saida Jafure, o trabalho com os idosos é realizado o ano inteiro. "Hoje nós estamos concluindo as atividades programada para o ano de 2017, no início foi difícil por conta do momento que o país está passando, mas com o compromisso e dedicação da nossa prefeita Fernanda Hassem nós concluímos com 98% de aproveitamento das nossas atividades. Quero agradecer a cada um de vocês que lutaram e nos ajudaram para que concluíssemos os nossos trabalhos", finalizou Saida.