Adolescente é suspeito de matar namorada grávida de oito meses

Jovem de 15 anos foi morta a facadas. Segundo a polícia, o adolescente confessou o crime.

A adolescente Maria Vitória Ramos, de 15 anos, foi encontrada morta na madrugada desta segunda-feira (30) em uma casa no Centro da cidade de Guajará, no Amazonas. Grávida de oito meses, ela estava com duas perfurações de faca, uma no peito e outra no pescoço.

A mãe da jovem, Ângela Maria da Silva, de 36 anos, afirma que a filha estava feliz com a gravidez e que o nascimento do bebê era esperado por toda a família. “Mataram ela e a criança, as duas inocentes. Vou atrás da Justiça, não tinha porque fazer isso com ela”, lamenta emocionada a mãe.

De acordo com a Polícia Militar do Amazonas, um adolescente de 16 anos, que mantinha um relacionamento com a vítima, é o suspeito de ter praticado o homicídio. O menor teria entrado pelos fundos da casa onde Maria foi encontrada e usado duas facas para cometer o crime.

“Uma testemunha disse que viu um suspeito e fizemos as buscas. Encontramos o adolescente na casa da mãe dele e conversando com a polícia. Ele confessou que cometeu o crime. Ele disse que entrou por trás da casa”, explicou Anderson Farias, tenente da PM amazonense.

De acordo com o militar, o jovem disse que cometeu o crime por não gostar mais da vítima e não aceitar ouvir que ele era o pai da criança. A mãe de Maria afirmou que nunca imaginou que o adolescente fosse capaz de matar a filha e pede justiça. “Minha filha era uma pessoa boa”.

PF deflagra operação de combate a fraudes contra o Banco do Brasil

Os alvos foram residências e escritórios de funcionários e ex-funcionários do Banco do Brasil e de pessoas e empresas que levantaram empréstimos fraudulentos no banco.

Agentes da Polícia Federal cumpriram na manhã de hoje (31) 39 mandados de busca e apreensão em cinco estados como parte da segunda fase da Operação Turbocred, que investiga o desvio de recursos de financiamentos agrícolas concedidos pelo Banco do Brasil entre 2012 e 2015. 

A operação foi centralizada em Ribeirão Preto (SP) e as ações ocorreram em cidades de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Espírito Santo e Goiás. Na primeira fase da Turbocred, concluída em maio de 2016, foram investigadas 149 operações de financiamento agrícola realizadas em várias agências do Banco do Brasil e a conclusão foi a de que 90% delas foram fraudadas.

De acordo com a PF, entre as irregularidades cometidas estão a tomada de empréstimos para bancar atividade agrícola em imóvel próprio, mas usado em propriedade arrendada; falsificação de documentos para obtenção de crédito destinado a atividade agrícola inexistente; e levantamento de recursos para financiamento de múltiplos empreendimentos agrícolas sem capacidade financeira. Além disso, as investigações indicam a participação de funcionários do BB em operações de empréstimo feitas a partir de contas bancárias em nome de laranjas.

As investigações da Turbocred começaram em março de 2016 a partir da descoberta de irregularidades praticadas por agências do BB na região de Ribeirão Preto. Inicialmente, foram analisadas concessões de créditos para atividades em fazendas que estavam sendo desviados para usinas de açúcar e álcool.

Segundo a Polícia Federal, os suspeitos podem ser enquadrados nos crimes de gestão fraudulenta de instituição financeira e corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e associação criminosa, cujas penas variam de 2 a 12 anos de prisão.

Por Agência Brasil / Foto Ilustrativa

Bandidos aproveita ausência de morador e arromba Chácaras em Brasileia

Os arrombamentos nas cidades de Brasiléia e Epitaciolândia vem preocupando e tirando o sossego dos moradores da Fronteira.

A estatística também mostra que muitos desses ilícitos, está sendo uma constante praticada por menores, por saberem que pouco sofreram com as leis.

As chácaras localizadas a poucos quilômetros da cidade, também passaram a ser alvo dos ladrões e os registros nas delegacias vem aumentando.

Neste final de semana, os proprietários de uma pequena propriedade distante cerca de seis quilômetros da cidade de Brasiléia, foi alvo de ladrões. Os bandidos aproveitaram a ausência dos moradores e arrombaram a casa a procura de algo para levar.

Todos os cômodos, sem exceção, foram revirados a procura de alguma coisa de valor. Até mesmo debaixo dos colchões realizaram buscar. Segundo foi informado, existe um caseiro, mas se aproveitaram da tranquilidade do local para praticar o arrombamento.

Em tempo, esta não seria a primeira chácara roubada nas proximidades de Brasiléia e Epitaciolândia. Foi realizado Boletim de Ocorrência (B.O.), mas sem que fosse realizado uma perícia no local, devido não ter o profissional na delegacia.

Por Alexandre Lima / oaltoacre.com

Operação Buracos, da Polícia Federal, cumpre mandados em Rio Branco

Força Tarefa investiga grupo que atuava no desvio de recursos públicos. Três servidores do DNIT/RO foram afastados de seus cargos por suspeita de envolvimento com os crimes investigados.

 Por Victor Augusto 

Na manhã desta segunda-feira (30/10), a Polícia Federal, com a participação do Ministério Público Federal, Controladoria-Geral da União, Tribunal de Contas da União e Receita Federal, deflagrou a Operação BURACOS, com o objetivo de apurar desvios de recursos públicos no âmbito do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre, DERACRE, e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, DNIT do estado de Rondônia.

Cerca de 150 servidores, dentre policiais federais, auditores da CGU, auditores do TCU e auditores da Receita Federal estão dando cumprimento a 23 mandados de condução coercitiva e 26 de busca, nos municípios de Rio Branco/AC, Porto Velho/RO, Pimenta Bueno/RO, Ji-Paraná/RO, Cuiabá/MT e Araraquara/SP.

O esquema investigado envolve servidores do Departamento Estadual de Estradas e Rodagens do Acre (DERACRE), do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/RO), além de empresários. Os valores eram pagos por serviços não executados e materiais que nunca seriam entregues. O grupo também se utilizava de funcionários fantasmas.

Três servidores do DNIT/RO foram afastados de seus cargos por suspeita de envolvimento com os crimes investigados.

Os recursos federais investigados eram destinados à construção, pavimentação, conservação e recuperação de rodovias federais, além da abertura, melhoramento ou recuperação de ramais. Estima-se que o prejuízo possa chegar ao montante de R$ 700.000.000,00.

São investigados os crimes de peculato, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Será realizada entrevista coletiva às 10h00, no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal, localizada na Rodovia BR 364, n. 3.501, Rio Branco/AC.

O nome da operação faz referência a uma assertiva de um advogado de que “no estado do Acre, buracos dão lucros para poucos!”

Infrações para quem transporta crianças sem cadeirinha sobem de 7 para 109

Em todo o Brasil, o acréscimo foi de 119%, passando de 20.557 entre janeiro e setembro de 2016, para 45.104 infrações no mesmo período desse ano, segundo Denatran.

O uso da cadeirinha ou assento de elevação, obrigatório por lei para todo motorista que transporta crianças de até 7 anos, não tem sido cumprido por alguns condutores. O número de infrações para motoristas que transportam crianças sem a cadeirinha cresceu.

Em todo o Brasil, o acréscimo foi de 119%, passando de 20.557 entre janeiro e setembro de 2016, para 45.104 infrações no mesmo período desse ano, segundo o Departamento Nacional De Trânsito (Denatran).

Ao Jornal do Acre 2ª edição, o agente do Detran no Acre, Carlos Jorge, conta que essa é uma situação de infração gravíssima, de responsabilidade do condutor e sete pontos na carteira.

“Não gosto de falar da infração, dos valores, pois acho que não há valor nenhum que cubra o custo de uma vida”, diz.

No Acre, o número de autuações aplicadas para os motoristas que não fazem o uso da cadeirinha para transportar crianças dispararam do ano de 2016 para 2017. Segundo informações do Denatran, em 2016 foram sete autuações e em 2017, foram 109.

Para colocar uma cadeirinha no carro, não é complicado, segundo explica o agente de trânsito. “A cadeirinha é presa no cinto do carro, é colocada no banco da mesma forma que o bebê conforto. Tem que andar atrás do banco do passageiro ou do motorista e nunca no meio, porque é mais perigoso”, fala.

Para os motoristas conscientes, a cadeirinha é indispensável, como é o caso da funcionária pública, Zilda Antonia de Souza.

“Eles não gostam de estar no carrinho, eles gostam de estar no colo dos pais. Mas, coloca na cadeirinha? Coloco na cadeirinha, tem de acostumar desde novinho”, diz.

A dona de casa Najila Martins dos Santos também compreende a importância da utilização do objeto para que todos, já com os cintos afivelados, possam seguir viagem em segurança. Segundo ela, só de pensar em entrar no carro já coloca a filha direto na cadeirinha.

“Pode acontecer de dar uma freada brusca e ela está segura na cadeirinha com o cinto de segurança. Eu me sinto mais confiante assim. Eu costumo dizer para minha filha de sete anos o seguinte: 'usa sempre o cinto de segurança'. Não pela regra de trânsito, mas pela segurança em si”, fala.

Do G1 Acre

Polícia encontra veículo abandonado em via pública, em Rio Branco

O Veículo Siena de cor prata que possivelmente foi utilizado no cometimento de homicídios na capital Acreana é apreendido pela Polícia Militar. 

Uma guarnição do 2 Batalhão de Polícia Militar (2 BPM) apreendeu na manhã deste domingo, 29 de outubro, um veículo possivelmente utilizado no cometimento de homicídios em Rio Branco. O automóvel foi localizado na travessa Adenor de Souza, bairro Recanto dos Buritis.

A guarnição foi acionada via Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), para realizar a averiguação de um veículo Siena prata, que estaria abandonado em via pública. A equipe militar se deslocou ao endereço repassado.

Ao chegar ao local, foi encontrado o veículo Siena de placa JII 4915, possivelmente utilizado no cometimento de homicídios na capital acreana. O automóvel foi encaminhado para Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHHP).

Residência é consumida pelo fogo no Bairro José Moreira, em Brasiléia

As autoridades estão investigando o caso para tentar descobrir o que possa ter causado o sinistro na pequena residência.

Combatentes do Corpo de Bombeiros do 5º Batalhão do Alto Acre foram acionados na manhã deste domingo (29), para o Bairro José Moreira, localizado na parte alta da cidade de Brasiléia, onde uma casa estaria sendo consumida pelo fogo.

No local avisado, já encontraram uma pequena casa de madeira já com mais da metade incendiada. Infelizmente, tudo o que havia dentro foi consumida pelas chamas e a moradora, identificada como Rutelene Lopes Barroso, 34 anos, foi localizada fora da residência socorrida por terceiros.

Incialmente se acredita em um curto na rede elétrica, ou a hipótese de que tenha deixado algo que alcançou a madeira e iniciou o incêndio.

Mesmo com o trabalho dos Bombeiros, foi informado que a moradora teria ficado apenas com as roupas do corpo, perdendo todo o que havia dentro.

Alexandre Lima / oaltoacre.com

Fortaleza Mix Atacado é inaugurado na Av. Marinho Monte. em Brasiléia

Mais uma opisão no Alto Acre: Fortaleza Mix Atacado é inaugurado em Brasiléia onde você encontra os mais variados produtos.

 Por Paula Alcântara 

O supermercado Fortaleza Mix Atacado foi inaugurado na manhã deste sábado as hs 8:00, o estabelecimento conta com a contratação de vinte funcionários e sua matriz fica localizada em Senador Guiomard.

Em entrevista o proprietário do estabelecimento, Inácio Nery Portela, disse estar muito feliz por mais esta conquista e agradeceu toda a população de Brasiléia tanto da zona urbana quanto da zona rural pelo acolhimento, já o gerente do supermercado Henrique Ferreira disse estar muito feliz por mais esse empreendimento em Brasiléia que está desenvolvendo e agradeceu também toda população e também os vizinhos bolivianos.

Com mais este estabelecimento, o município de Brasiléia contou com vinte vagas de empregos e também terá um aquecimento na economia local, pois além de gerar empregos para o município conta com a colaboração de mais um setor comercial.

No Fortaleza Mix Atacado você encontra os mais variados produtos, atendimento de qualidade, preço baixo e conta também com açougue, padaria e lanchonete, só ressaltando o preço baixo não é promoção é preço baixo mesmo. Fortaleza Mix Atacado fica localizado na Avenida Manoel Marinho Montes no local do antigo mercado Casa dos Cereais, em Brasiléia.

Venha conferir você também esta explosão de preços baixos!!!!!!!!

 Veja os Vídeos e Fotos abaixo 

Mais um túmulo é violado em Brasiléia e revolta familiares

Durante a tarde desta sexta-feira, dia 27, uma família tradicional da cidade de Brasileia, foram alertados de que um túmulo localizado no cemitério municipal onde descansava a matriarca, teria sido violado.

Membros da família Gurgel, se deslocaram até o cemitério e constaram que túmulo havia sido violado, tendo parte da sua estrutura quebrada. Fato esse que revoltou e gerou sentimentos de impunidade, uma vez que esse não seria o primeiro caso.

Desde 2013, este seria o quinto túmulo que foi violado, sendo que apenas alguns teve alguma parte da ossada roubada. No mês de março de 2013, em 24 horas, dois foram localizados com sinais de arrombamento e os caixões puxados para fora.

Cerca de 14 meses depois, no mês de maio de 2014, outro túmulo foi localizado arrombado. Os casos foram registrados na delegacia de Brasileia e os familiares esperavam uma resposta, na esperança de descobrir quem estaria por trás das violações.

Passado cerca de três anos depois, no mês de abril de 2017, novamente foi localizado por funcionários que realizavam a limpeza do cemitério, outro túmulo violado. Novamente, o caso foi registrado na delegacia e foi aberta outra investigação.

Foi divulgado o nome da pessoa sepultada, seria Rita Rodrigues Gurgel, sepultada em 1998. Não foi divulgado se alguma parte do corpo teria sido levada. Não se sabe ainda se as partes levadas, forma usada para algum tipo de estudo ou rituais.

Os familiares iriam registrar o Boletim de Ocorrência na delegacia e irão pedir respostas por parte das autoridades.

Por Alexandre Lima / Oaltoacre

Brasil e vizinho estão discutindo no Acre o inferno das drogas nas fronteiras

Encontro do Acre está reunindo hoje ministros, governadores do Brasil e dos países vizinhos e autoridades nacionais e internacionais em segurança pública.

 Por Romerito Aquino – Expresso Amazônia 

O Acre está vivendo nesta sexta-feira, dia 27/10, um momento político jamais vivido em sua história contemporânea, que já foi premiada pela gloriosa Revolução Armada que travou no início do século passado para se tornar brasileiro, saindo das garras do capitalismo ianque que queria se apoderar da borracha amazônica para se fortalecer ainda mais no período mundial da pós-Revolução Industrial.

Convidado pelo governador Tião Viana (PT), o estado está reunindo nesse momento, em Rio Branco, 22 governadores do Brasil, dois vice-governadores, governadores de países vizinhos e várias autoridades federais e internacionais para discutir o grave problema da segurança pública e o controle das fronteiras do Brasil.

No encontro, os governadores e demais autoridades estão debatendo soluções para o verdadeiro inferno que o aumento do tráfico de drogas e do contrabando de armas nas fronteiras vem trazendo nas últimas décadas para a vida nacional, destruindo as famílias, trazendo desgraças e mortes para a juventude e comprometendo o futuro de todas as gerações deste que já é o segundo país maior consumidor de cocaína do mundo.

Gerando um comércio paralelo do mal de centenas de bilhões de dólares por ano, o Brasil, além de consumir muita droga, virou o maior corredor mundial usado pelos chefões do narcotráfico internacional para abastecer outros países americanos, a Europa, a Ásia e outras partes do planeta, ceifando milhões de vidas e tirando a paz de todos.

Pelas fronteiras do Peru, Bolívia e Colômbia, maiores produtores mundiais de cocaína, essa droga adentra o Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, Mato Grosso e outras regiões fronteiriças para abastecer tanto o mercado brasileiro, principalmente o Centro-Sul do país, onde se encontram o maior número de consumidores, quanto o mercado externo, de onde saem por aviões e navios para Estados Unidos, Canadá e países europeus, entre outros.

Em sua edição da semana passada, o semanário Expresso Amazônia deu grande destaque ao grande encontro que reúne hoje centenas de autoridades nacionais e internacionais na terra natal do seringueiro e seringalista Chico Mendes, que nas décadas de 70 e 80 do século passado também alertou o mundo para outra grave tragédia que até hoje ainda se abate sobre algo essencial para a continuidade da vida do globo, que é o cuidado e a responsabilidade que todos devem ter com relação ao meio ambiente terrestre. Veja, abaixo, a íntegra da reportagem do jornal.

“Brasil discute, no Acre, saída para o inferno causado pelas drogas das fronteiras

Proposto por Tião Viana, encontro nacional discutirá plano para enfrentar os graves problemas do 2º maior consumidor de cocaína do planeta

Há cerca de sete anos, ao me reencontrar, no Congresso Nacional, com um antigo colega de profissão, um fotógrafo do jornal O Estado de São Paulo, este me disse que acabara de chegar da região amazonense de Tabatinga, na fronteira com a cidade colombiana de Letícia, e que um fato o deixará simplesmente estupefato.

Após trabalhar por três dias como motorista para a reportagem que o Estadão estava fazendo ali sobre as mais longínquas fronteiras brasileiras, o jovem de Tabatinga chegou para se despedir dos dois repórteres e, sem a menor cerimônia, ofereceu para eles um pequeno pacote contendo cocaína. “Ninguém vem para a Amazônia em vão. Vendo para vocês esse pacote de cocaína por 10 mil reais, em Manaus vocês podem revender por R$ 20 mil e em São Paulo ou no Rio de Janeiro podem pegar até R$ 100 mil”, disse o jovem aos repórteres. “Ficamos surpresos com a ousadia daquele rapaz”, confessou o colega.

Passou-se os últimos sete anos e o clima favorável à venda de drogas no Brasil pode ter facilmente se duplicado, triplicado ou quadruplicado, se forem levados em contas vários fatores constatados pelas autoridades policiais. Entre eles, o fato do Brasil ter emergido para a posição de segundo maior consumidor de cocaína do mundo – perdendo apenas para os Estados Unidos – e o volume de apreensão de drogas na cidade de Manaus, não muito distante da tríplice fronteira Brasil, Colômbia e Peru, ter aumentado nada menos que 1.324% entre os anos de 2011 e 2015. Na contabilidade policial, o aumento de apreensão de drogas é diretamente proporcional ao crescimento do tráfico.

É nesse clima de crescente tragédia grega, que desagrega as famílias, aumenta os genocídios, multiplica a violência urbana e incendeia as prisões brasileiras nas brigas entre as diversas facções criminosas espalhadas por todo o território nacional que os governadores de todo o Brasil, além das maiores autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, se reúnem nesta semana em Rio Branco (AC) para discutirem uma saída para o inferno que o disparado aumento do tráfico de drogas está provocando de Norte a Sul do país.

Força-Tarefa para combater os crimes transfronteiriços

Provocado pelo governador acreano Tião Viana, o evento do dia 27 (sexta-feira), na capital acreana, tem por nome oficial “Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança Pública e Controle das Fronteiras – Narcotráfico, uma emergência nacional”. Do encontro, todos querem sair com a criação de um Plano Nacional de Segurança Pública e de uma Força-Tarefa de combate aos crimes transfronteiriços e de proteção da soberania do país. Entre eles, o tráfico de drogas e o contrabando de armas.

Além de discutirem a grande emergência nacional contra o narcotráfico, a partir das fronteiras com seus vizinhos sul-americanos, entre eles Bolívia, Peru e Colômbia, de onde sai, há décadas, a grande massa da cocaína que abastece o planeta, o Acre também sediará, no dia 26 (quinta-feira) o 16º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, hoje a grande força tarefa sobre assuntos relacionados aos nove estados da região da maior floresta tropical do planeta.

Juntos, os governadores amazônicos vão continuar debatendo problemas comuns e políticas públicas que visam fortalecer o desenvolvimento da Amazônia, buscando mais apoio e ações do governo federal. O evento vai marcar principalmente uma discussão sobre os preparativos para a Conferência do Clima da ONU (COP23) e o funcionamento de um consórcio de investimentos para a região.

Tião Viana: “Narcotráfico compromete as futuras gerações”

“O mundo vive a mais grave crise ecológica da história das civilizações e vive a ameaça do narcotráfico comprometendo as futuras gerações. Estamos falando de mais de 60 mil mortes por ano no Brasil e um movimento financeiro sem tributação que circula trilhões de dólares”.

Foi o que disse na semana passada o médico Tião Viana, o governador anfitrião dos dois encontros, o que vai discutir o futuro das gerações diante do narcotráfico e o que vai promover nova reunião do Fórum dos Governadores amazônicos, que vai definir, desta vez, o funcionamento do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável, que foi criado durante o 15º e último Fórum, ocorrido em Cuiabá (MT).

Participam deste novo Fórum amazônico, em Rio Branco, que também discutirá questões do meio ambiente, comunicação e turismo, os governadores, assessores e técnicos dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Preocupado com o avanço da violência causada pelo crescente tráfico de drogas, em especial na Amazônia, o governador Tião Viana levanta, desde o início deste ano, a urgência de haver uma união nacional e efetiva contra o narcotráfico. Com a realização do evento na capital acreana, Viana propôs a ampliação do debate para o âmbito nacional e internacional.

Segundo o governador do estado mais ocidental do país e terra natal do sindicalista Chico Mendes, que despertou o mundo para as graves questões ambientais do planeta, há mais de suas décadas, o Brasil era o 101º país no consumo de drogas, hoje está em 2º lugar, perdendo apenas para os Estados Unidos, fato que torna mais urgente a questão do enfrentamento.

“O pedido de prioridade nossa é a construção do Sistema Nacional de Segurança Pública, como temos o de saúde e o de educação, uma Força-Tarefa Nacional de combate ostensivo a droga contra os traficantes e proteção e fechamento das fronteiras, porque tudo ocorre a partir das fronteiras abertas”, destaca Tião Viana.

Poder econômico do narcotráfico dificulta o combate

E fronteiras abertas é o que não faltam nos estados da Amazônia brasileira. E uma das maiores no momento se encontra justamente na região de Tabatinga e Letícia, na fronteira do Brasil com a Colômbia e o Peru, onde reside o jovem que teve a audácia de oferecer uma boa quantidade de cocaína para jornalistas venderem no Centro-Sul do país.

Em entrevista concedida em março deste ano à Agência BBC-Brasil, o procurador de Justiça do Estado do Amazonas, Pedro Bezerra, definiu em seu gabinete os grandes e graves problemas provocados pelo narcotráfico internacional na América do Sul e a incapacidade das autoridades brasileiras de o combaterem na Amazônia.

“Falta muito material humano e condições para esses soldados (do Exército, da Polícia Federal e de outras instituições) que dedicam sua vida para evitar esse tráfico. (Faltam) Condições para que possam atuar de forma eficiente, como materiais, lanchas, armamento, treinamento”, salientou Bezerra.

O procurador disse concordar com as falhas admitidas por agentes da Polícia Federal e ressaltou que o tráfico de drogas tem mais dinheiro e mais equipamentos. “Como eles (os traficantes) têm poder em termos de dinheiro, eles compram lanchas, hidroaviões. Nós temos limitações financeiras a nível de Estado e dependemos de uma certa burocracia”, assinala.

Por fim, o procurador de Justiça destaca, sem otimismo, a desvantagem das condições das forças policiais do país para darem fim ao narcotráfico na Amazônia. “Então, infelizmente as coisas se resolvem pela vontade do material humano de que nós dispomos. Estes agentes que fazem esse tipo de operação arriscando as próprias vidas”, concluiu o procurador de Justiça.