Após 1 ano, restauração “fracassada” vira sucesso na Espanha

Segundo autoridades locais, a obra, que foi alvo de piadas na internet, jáatraiu mais de 40 mil visitantes à cidade de Borja

Há um ano, uma restauração de um afresco de Jesus Cristo realizada por uma aposentada espanhola virou alvo de piadas na internet pelas “diferenças” em relação à obra original. No entanto, apesar das críticas, a obra se tornou um grande sucesso entre turistas e já ajudou a arrecadar milhares de euros para caridade.

Montagem mostra a obra original e a versão restaurada por Gimenez (dir.) Foto: AP

Montagem mostra a obra original e a versão restaurada por Gimenez (dir.)
Foto: AP

Juan Maria Ojeta, uma autoridade de Borja, cidade de 5 mil habitantes no nordeste da Espanha, afirmou nesta terça-feira que desde o ano passado a obra, conhecida como Ecce Homo, já atraiu mais de 40 mil visitantes e ajudou a arrecadar mais de 50 mil euros que foram doados para a caridade local.

Mulher fatura mais de R$ 100 mil com restauração desastrada

Mulher fatura mais de R$ 100 mil com restauração desastrada

Aresponsável pela restauração, Ceciclia Gimenez, 81 anos, e o conselho local devem assinar em breve um acordo para a divisão dos lucros obtidos com a venda de mercadorias que remetem à obra restaurada.  Gimenez também já apresentou a sua própria exposição de arte.

O caso ganhou fama no ano passada após uma desgastada imagem de Jesus Cristo com a coroa de espinhos ser restaurada por Gimenez, devota da igreja em que a obra está, ficar irreconhecível após a restauração.

Fonte-Terra 

casal-e-flagrado-em-momento-intimo-ao-lado-do-filho-em-praca-publica.

 já atingiu grande repercussão na China o casal

Um casal foi flagrado na China em um momento íntimo dentro de um parque público. O que mais chama a atenção é que o filho pequeno estava ao lado, inquieto, querendo que os pais terminem o que estavam fazendo para irem embora para casa.
 
O vídeo, capturado na cidade central chinesa de Xi’an, já está repercutindo fortemente no país. O vídeo pode ser
Um casal foi flagrado na praça publica

Um casal foi flagrado na praça publica

bebe-de-3-meses-pega-fogo-pela-quarta-vez-por-conta-de-condicão-rara.

Primeira “explosão espontânea” aconteceu quando criança tinha apenas nove dias.

Um bebê de apenas três meses está se recuperando no hospital depois de ter supostamente pegado fogo pela quarta vez. Rahul foi internado para tratar de queimaduras de dez graus em uma unidade de terapia intensiva em Chennai, na Índia. Os médicos do hospital dizem que ele sofre de combustão humana espontânea.

bebe-de-tres-meses-pega-fogo-pela-quarta-vez-por-conta-de-condicao-rara

bebe-de-tres-meses-pega-fogo-pela-quarta-vez-por-conta-de-condicao-rara

De acordo com os médicos, Rahul pode ter pegado fogo devido à excreção de gases através da pele, o que o levou a sofrer queimaduras no peito e na cabeça. O estado de saúde do bebê é estável, e ele está em tratamento por conta das queimaduras.

A primeira vez que Rahul sofrel com a queimadura foi com apenas nove dias de vida. “As pessoas achavam que eu lhe ateei fogo deliberadamente”, disse a mãe da criança, Rajeswari. O caso está sendo analisado pelos médicos.

Fonte: IBN Live

Por 

Prefeito de Brasiléia entrega ramal do Porto Carlos com 22 km de melhoramento

O cronograma da parceria do Incra e prefeitura estipulava somente 12 km de ramais beneficiados, mas Everaldo Gomes garantiu as melhorias nos 22 km chegando as margens do Rio Acre

WILIANDRO DERZE, assessoria PMB

Prefeito de Brasiléia entrega ramal do Porto Carlos com 22 km de melhoramento

Prefeito de Brasiléia entrega ramal do Porto Carlos com 22 km de melhoramento

As metas da gestão do prefeito Everaldo Gomes vêm sendo alcançadas todos os dias. Neste sábado, 10, o prefeito entregou o ramal do Porto Carlos no km 67 da BR 317 com serviços de melhorias até as margens do Rio Acre, totalizando 22 km beneficiados. A comunidade fez um bolo para comemorar a execução dos trabalhos realizados, além de festejar o dia dos pais com a comunidade.

A comitiva de entrega do ramal foi liderada pelo prefeito Everaldo Gomes e composta pelos vereadores Marivaldo Oliveira, Bil Rocha, Naldo Rufino e o presidente da Câmara de Vereadores, Mario Jorge, além da secretária de Ação Social do Município, Lindacy Franco e a primeira dama, Marissanta Rodrigues.

Os moradores da região do Porto Carlos que esperavam as melhorias em somente 12 km ramal foram surpreendidos pela gestão municipal que ampliou o beneficio. O que acabou contemplando os 22 km de ramais até as margens do Rio Acre.

Para o prefeito o compromisso de apoiar as comunidades rurais está mantido, assim como todo o trabalho para garantir primeiramente o acesso e escoamento da produção, além da viabilidade do transporte escolar. “Contemplamos o ramal do Porto Carlos dentro das condições do município. Essa comunidade há anos estava abandonada e esquecida, agora estamos resgatando a dignidade desses nossos produtores”, destacou Everaldo.

Segundo Everaldo, a parceria com o Instituto de Colonização e Reforma Agrária – INCRA estava previsto em realizar somente 12 km de melhoramento no ramal. “Sabíamos que fazendo os serviços somente em parte do ramal não iria contemplar todos os produtores. Por isso, que fizemos levantamentos e conseguimos realizar os serviços nos 22 km de ramais”, explicou o prefeito.

O produtor José Oliveira, conhecido como “Galego” disse que a comunidade só tem a agradecer o prefeito Everaldo por ampliar os benefícios a todos os moradores do ramal. “Tínhamos consciência de que estava previsto a conclusão de somente 12 km, mas o prefeito garantiu que iria beneficiar todo o ramal. Esperamos, e estamos satisfeito com os serviços realizados”, destacou Galego.

De acordo com o produtor Haristeu Androbis residente no ramal do Porto Carlos quando a localidade ainda era seringal, o prefeito está de parabéns pelos trabalhos realizados na comunidade. “Nasci e me criei aqui no Porto Carlos e nunca tinha visto um trabalho bem feito como esse. O prefeito está mostra o seu trabalho assim. Deixa esse povo da oposição ficar na fofocada. Eles nunca se dedicaram a zona rural e agora querem criticar o trabalho do prefeito que vem se empenhando e mostrando trabalho. Espero que o Everaldo não ligue pra isso e continuei trabalhando”, disse.

O ramal do Porto Carlos que há anos era reivindicado pela comunidade finalmente foi contemplado pelo município, que viabilizou os serviços quase que totalmente com recursos próprios, tendo em vista que o Incra ainda não repassou o restante do combustível estipulado nos convênios de parceria.

O presidente da Câmara, vereador Mario Jorge afirmou que a população ficou satisfeito com os serviços realizados. “Sabemos que o prefeito vai contemplar mais ramais. As maquinas estão no km 55, outras localidades foram contempladas. E na função de parlamentar estamos presente fiscalizando e fazendo as reivindicações que a população nos pede”, disse.

O vereador Bil Rocha que tem uma identificação com a comunidade lembrou que para chegar a região era um sacrifício. “Era quase que intrafegável o ramal, mas o prefeito Everaldo Gomes prometeu ampliar os benefícios e contemplar todas as famílias. Agradeço ao prefeito pelo empenho e dedicação que vem tendo em todos os ramais que sua gestão vem fazendo a execução dos trabalhos de melhoramento”, destacou.

Aproveitando a festa de entrega do ramal beneficiado a comunidade fez um bolo para comemorar também o dia dos pais. A primeira dama do município, Marissanta fez a entrega de brindes para serem sorteados e entregues aos pais da região.

 

Cova menor que o caixão revolta família no cemitério

Empresa contratada para ampliar a cova, não teria finalizado o serviço.

Uma cerimônia de sepultamento acabou em tumulto e confusão no Cemitério do Caju, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. A dor de enterrar o patriarca da família na véspera do Dia dos Pais foi multiplicada quando a família de Ivan Crespo Tavares, de 47 anos, precisou entrar na cova para que o caixão pudesse passar pela abertura, isso depois de uma empresa contratada não ter conseguido realizar o serviço.

Enterro em Campos só acontece depois que cova foi aberta para caber o caixão. (Foto: Reprodução Intertv)

Enterro em Campos só acontece depois que cova foi aberta para caber o caixão. (Foto: Reprodução Intertv)

Enterro em Campos só acontece depois que cova foi aberta para caber o caixão. 
Enterro, em Campos, acontece com duas horas deatraso. 
A filha de Ivan Crespo, Rita de Cássia Chagas, disse que o pai morreu depois de um mês internado por cirrose hepática. Sete horas antes do sepultamento, a família procurou a administração do Cemitério do Caju, informando que a sepultura da família precisava ser ampliada porque o corpo do pai estava inchado e era obeso.
A direção do cemitério indicou uma empresa para realizar o serviço. Rita de Cássia afirma que a empresa recebeu R$ 100 para aumentar a sepultura.

Enterro, em Campos, acontece com duas horas de atraso. (Imagem: Arquivo pessoal)

Enterro, em Campos, acontece com duas horas de
atraso. (Imagem: Arquivo pessoal)

“A empresa foi até o local e mediu três vezes a sepultura e o caixão. O enterro estava programado para às 16h, mas quando chegamos, vimos que ainda não cabia o caixão. A empresa disse que não tinha material para aumentar mais a sepultura e tentaram improvisar. Só conseguimos enterrar meu pai depois das 18h”, contou.Rita contou que depois das tentativas fracassadas da empresa, a família também se mobilizou na execução do trabalho, como mostram as imagens ao lado feitas com celular de um amigo da família. “Viraram o caixão de todas as formas. Tentaram quebrar o túmulo com uma marreta pequena. Como viram que ficamos transtornados com a situação, disseram que devolveriam nosso dinheiro. Foi nesse momento que alguns amigos e parentes arrumaram marretas maiores e quebraram a sepultura para o caixão passar”, contou revoltada.

Rita de Cássia explicou que amigos e familiares, indignados com a situação, tiveram que entrar na cova e quebrar com marretas a estrutura da sepultura, para que o caixão pudesse passar.
Diretor da Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos (Codemca), Rodrigo Paes, disse que a empresa que prestou o serviço à família foi contratada diretamente, sem intervenção da administração do Cemitério do Caju. Mas que vai procurar a família nesta segunda-feira (12) para obter mais informações.
“Caso a família tenha assinado contrato, nós vamos notificar a empresa. Essa notificação poderá auxiliar a família em uma ação judicial futura. Nós entendemos que a empresa não prestou o serviço que se comprometeu a prestar”, ponderou.
A dona empresa responsável pela abertura da cova, Aciolina de Oliveira, informou que o procedimento adotado foi normal. “Primeiro a gente faz a escavação na parte interna, só depois, quando o caixão chega, que é possível verificar o tamanho do caixão para fazer a abertura externa”, ressaltou.

Quanto a falta de equipamento para a finalização do serviço, a responsável pela empresa desmente a família. “Tinhamos todas as ferramentas necessárias aqui e estávamos abrindo, mas eles interferiram, pegaram, inclusive, ferramenta da gente para fazer”, concluiu.

Fonte-r7