Veja o vídeo: Mãe de Gleici, do BBB18 conhece o mar e emociona fãs

Vídeo em que ela realiza o sonho de uma vida está comovendo os fãs da participante do ‘BBB18’

Mãe de Gleici, do BBB18, Vanuzia Damasceno passou por um momento de grande emoção nesta terça-feira, 20.

+ Fora do BBB18, Diego critica a postura de Gleici: ‘Não deu pra dialogar’

Ela, que mora em Rio Branco, no Acre, conheceu o mar, tudo registrado em um vídeo nas redes sociais. “Nunca imaginei que isso fosse vida real”, disse minutos antes de colocar os pés na areia. No vídeo, ela contempla incrédula a imensidão do oceano.

“É muito grande. Tão grande que a gente não consegue ver o fim. É lindo”, diz muito emocionada.

Veja o Vídeo

Leifert tenta enganar Gleici sobre favoritismo, e dá susto nas plantas

Gleici já foi a quatro paredões. Em três, recebeu menos de 5% dos votos. Neste último, 14%.

Não significa que vai ganhar, mas é o retrato de uma favorita. Por outro lado, quatro participantes ainda não foram a nenhum paredão. O que o público pensa de Kaysar, Viegas, Wagner e Breno?

Mr. Edição teve dois objetivos no programa desta terça-feira (20). Primeiro, não deixar que Gleici sinta-se favorita. Para isso, o apresentador Tiago Leifert deu a entender, nos questionamentos que fez a ela e a Diego, que a disputa foi duríssima. Não foi – o rapaz saiu com 81% dos votos, mas a mensagem surtiu algum efeito e a estudante ficou abalada.

O segundo objetivo foi tentar sacudir, pela enésima vez, as plantas da casa. A tarefa esbarra em um problema grande, como já escrevi aqui antes. Outras plantas (Fael e Cezar Lima, para citar casos recentes) já ganharam o “BBB”. Leifert reconheceu isso, mas lembrou que não é o que ocorre na maioria das vezes. “Olhando as estatísticas, as chances de você ganhar quando está protagonizando é maior”.

E conclamou: “O BBB não tem Oscar de melhor ator coadjuvante. Só tem um vencedor no final. Protagonismo é importantíssimo. Quem não está protagonizando nada, vai embora”.

E, falando como jogador, disse ainda: “Eu, se fosse vocês, ficaria muito mais preocupado de não ter recebido placa, de ter recebido pouca do que ter recebido muita. Prefiro receber um monte de placa no jogo da discórdia do que não receber nenhuma. É melhor”.

Já Diego, um jogador atuante, confirmou a hipótese lançada aqui no domingo: agiu de forma sensata, ainda que aparentemente suicida, ao indicar Gleici para o paredão: “Não seria diferente daqui a duas ou três semanas. Porque não tinha como fugir dessa vez”, explicou a Leifert.

E Viegas confessou a todo o Brasil algo que já desconfiávamos: o falso paredão de Gleici foi um fiasco. O “brother” ouviu barulhos e entendeu que a estudante continuava confinada.

Com informações UOL.

MC cria funk inspirado na acreana Gleici, do BBB18: “A fada roubou a cena”

O retorno de Gleici à casa na última sexta-feira (12/3) rendeu grande repercussão dentro e fora do Big Brother Brasil 18. A acreana virou ícone na internet e estrela de letra de música.

“Eu gosto muito dessa menina e torço por ela. A Gleici é a que mais precisa ali e é muito fofinha. É a fada”, declarou MC Theus.

De acordo com ele, a família da sister já tem conhecimento do funk e aprova. “Eles apostam que a Gleici vai amar e querer me conhecer. Imagina ela num clipe comigo?”, brinca.

O sucesso do artista com celebridades do BBB não é de agora. Em 2016, MC Theus compôs uma canção para Ana Paula Renault. O bordão “Olha Ela”, dito pela sister durante o confinamento, virou refrão do funk.

Veja o Vídeo

Veja o Vídeo

Por Metropoles

Acreana Gleici Damasceno planeja volta triunfal a casa do Big Brother Brasil

Gleici foi eliminada no paredão falso que ocorreu na última terça-feira (6). A sister passou a noite assistindo à movimentação da casa em um telão.

A acreana retorna para o jogo na próxima sexta-feira (9) e já planejou o que vai falar.

“Quero aparecer na festa, mandem meu look aqui. Chegar na festa: vocês não sabem o prazer que é estar de volta”, comemorou ela fazendo referência à Clara, personagem interpretada por Bianca Bin em O Outro Lado do Paraíso.

“O povo vai ficar: ohhh, Gleici? Isso mesmo que vocês estão vendo, estou de volta!”, disse aos risos.

A participante voltará na festa da próxima sexta-feira (9) com imunidade e com poder de indicar alguém ao paredão. Ao que tudo indica, a escolhida será Patrícia.

Fonte: O Fuxico

Gleici pensa no que falar: ‘Vocês não sabem o prazer que é estar de volta’

Gleici pensa no que falar na sua volta: ‘Vocês não sabem o prazer que é estar de volta’. Essa semana estão livres. Estou imune”, diz ela, que está sozinha.

Gleici segue observando todos os brothers no Quarto do Farol. “Tenho evitado ir para o Paredão, mas o povo insiste em me colocar. 

A estudante de Psicologia até pensa no que vai dizer quando voltar para a companhia dos outros brothers. Eu só quero ir para a festa. Vou chegar na festa e falar: ‘Vocês não sabem o prazer que é estar de volta”, fala a sister.

Falsa eliminação!

Menos votada no Paredão que disputou com Mahmoud e Paula, Gleici foi levada para o Quarto Farol, no segundo andar da casa.

A sister ficará no local até a próxima sexta-feira, 9/3, assistindo à movimentação dos brothers e voltará para casa com imunidade, indicando alguém ao Paredão!

Jovens usam roupas longas para ‘valorizar mulher’ e rebatem rótulo de radicais

‘Mulher não é só um corpo’, diz jovem que encabeça movimento. Apesar de incentivarem o uso de roupas que escondam o corpo, elas evitam entrar em polêmicas e dizem que o assédio não está ligado apenas à vestimenta.

Natáli, Annem e Lara aderiram a moda modesta como forma de valorização do corpo da mulher e também de tradição e virtudes católicas (Foto: Arquivo pessoal)

Há dois anos um grupo de jovens católicas que vive em Xapuri, no interior do Acre, resolveu adotar como vestimenta apenas roupas longas, com mangas, folgadas, sem transparência e que não revelem coxas, barrigas ou seios.

Elas defendem o que chamam de ‘movimento moda modesta’ e buscam a ‘valorização’ da mulher pela forma de agir e pensar e não pela exposição do corpo.

No município de pouco mais de 16 mil habitantes, o movimento é encabeçado pela bióloga de 25 anos, Annem Monteiro. Ela, a irmã Isís Monteiro, e outras duas primas, a química Natália Rodrigues Lima, de 22 anos, e a estudante Lara Monteiro, de 20, adotaram o estilo ‘recatada’ de se vestir e querem incentivar outras jovens a fazer o mesmo. O movimento, elas garantem, existe em todo o Brasil.

“Fomos conhecendo mais sobre essa virtude e quis aderir ao jeito de se vestir modestamente. O significado dela [moda modesta] para a gente é que a mulher se valorize, que não é só um corpo, mas tem uma alma, mente e valores. É uma maneira de valorizar o corpo, mas sem mostrar o corpo da mulher”, esclarece a bióloga.

Jovens usam véus durante as missas dominicais e se vestem com decoro e pudor para serem reconhecidas por valores e forma de agir (Foto: Arquivo pessoal)

Antes de aderir ao estilo, as jovens tinham no guarda-roupa calças compridas, shorts e saias curtas. Porém, afirmam que já se sentiam incomodadas em usar tops ou peças muito curtas e até evitavam.

Os biquínis também estão entre as peças que sumiram do armário delas. Quando frequentam banhos, procuram usar roupas que sejam mais leves, ou de tecidos apropriados, mas que cubram o corpo. No entanto, reconhecem que ainda é difícil encontrar peças desse tipo e acabam improvisando.

“Também procuramos lugares ou dias em que [os banhos] sejam menos frequentados, pois, como falamos, a modéstia não depende só da maneira de vestirmos, depende também da maneira como olhamos para os outros”, afirma Annem.

As primas desenvolvem atividades na igreja católica, na catequese, e também com músicas, mas afirmam que não é necessário ser ou ter a intenção de freira, nem mesmo ser um religioso para aderir.

“É mais fácil [aderir a moda modesta] quando você está na igreja porque você tem um objetivo. Você quer fazer aquilo porque agrada ao nosso senhor. Mas, se você não faz parte dela, também é convidado a viver a moda modesta para se sentir melhor, mais elegante”, convida Natália.

Pensamento radical

Jovens católicas lembram que viam modelos de roupas na internet e pediam que costureiras fizessem iguais (Foto: Arquivo pessoal)

Por pensarem assim, as jovens são tidas como conservadoras e radicais até mesmo pelos próprios católicos. Mas, seguem enfrentando as pessoas contrárias ao movimento.

“É uma coisa que a gente realmente encontra dificuldade, pois os leigos não conhecem sobre a modéstia, sobre as virtudes da sua igreja, então, nós somos vistas como pessoas que querem ser radicais, sendo que na verdade é uma coisa natural da igreja católica”, lamenta.

Apesar de incentivarem o uso de roupas que escondam o corpo, elas evitam entrar em polêmicas sobre o tema e avaliam que o assédio contra as mulheres não está ligado apenas à vestimenta.

“Podemos citar alguns fatores como sair na madrugada ou com desconhecidos. Podemos observar essa cultura do assédio até mesmo na literatura. Esses fatores facilitam sim, mas o maior problema do Brasil continua sendo a segurança pública”, destaca.

Dificuldades para achar roupas

Por morarem numa cidade pequena, elas encomendam roupas de costureiras e até pela internet. Elas afirmam que já tiveram mais dificuldade para encontrar vestimentas adequadas, mas com a chegada da moda “midi” a situação melhorou. Além disso, algumas lojas já começaram a trabalhar com o estilo de roupas mais longas.

Quanto às cores das vestimentas, elas costumam optar por tons mais sóbrios, mas sem esconder a personalidade de quem as veste.

“A modéstia, apesar de ser algo que nos cubra, é algo que vai muito da nossa personalidade. Então, cada uma escolhe as suas cores, é lógico, tudo com a devida prudência de estar ornando. Mas tudo de acordo com a sua própria personalidade, não tem algo obrigatório, quem determina é você”, destaca Natália.

Do G1 Acre

Acreana Gleici grita e se emociona em quarto secreto do Big Brother

Após descobrir que não está eliminada do “BBB18” na noite desta terça-feira (06), Gleici não conseguiu se controlar e se emocionou ao chegar no quarto secreto.

A sister começou a berrar e se jogou no chão do quarto secreto da casa. Tiago Leifert precisou pedir repetidamente para que a sister parasse de gritar, chorar e rir: “Você está no quarto especial, o farol. Em alguns dias você volta para a casa imune e com o direito de indicar alguém ao paredão.

Nesse quarto você terá comidas e bebidas, e uma câmera que você vai aprender a usar, tendo acesso a algumas imagens da casa e o áudio. A única condição é, pare de gritar, não faça barulho, pelo amor de Deus”.

Mesmo assim, Gleici não conseguiu parar de fazer barulho e continuou berrando, batendo com os punhos na televisão do quarto, se jogando no chão sem controle e puxando os cabelos. Tiago Leifert logo desistiu, e deixou a sister ainda berrando quando voltou para conversar com a plateia.

Apesar de ter a menor rejeição entre os emparedados, Gleici foi anunciada como eliminada pelo apresentador Tiago Leifert. Muito emocionada, a sister ficou bastante confusa até entender que estava a salvo da eliminação. A pegadinha faz parte da dinâmica do paredão “Vai e Volta”, anunciado dias antes pela produção do programa.

A acreana fica em um quarto secreto até a próxima sexta-feira (09). Durante o período, ela poderá assistir o que acontece na casa por meio de câmeras e ficará totalmente isolada dos demais brothers, que acreditam em sua eliminação.

No dia do seu retorno, a sister deverá indicar alguém para o paredão, além disso ela está imune na próxima berlinda.

Acreana fará palestra descomplica empreendedor em São Paulo

De acordo com a palestrante Feijoense, o descomplica empreendedor, é um projeto que que visa implantar temas importantes aos profissionais e especialistas.

A Bacharel em ciências contábeis e consultora de imagens e personal style formada pela Universidade de Belo Horizonte, Gleidy marques será palestrante do projeto Descomplica Empreendedor, que será realizado da Faculdade FAAP de São Paulo, dia 17 de março de 2108.

A profissional do ramo de consultoria de imagens, design e vendas, Gleidy Marques é uma feijoense de 33 anos, que veio da zona rural do município de Feijó.

E por ser filha de agricultor e residir em uma localidade distante da cidade, teve que conviver com o dilema, da falta de escolas e professores qualificados para continuar com o sonho de um dia galgar uma profissão de maior destaque na sociedade, e honrar com orgulho, o nome de sua terra natal.

Mesmo com todas as dificuldades, a filha do agricultor, veio morar na cidade, e não desistiu de lutar para alcançar e realizar a tão sonhada carreira que buscava no princípio de sua adolescência. Hoje Gleidy Marques, é considerada destaque no cenário nacional.

De acordo com a palestrante Feijoense, o descomplica empreendedor, é um projeto que que visa implantar temas importantes aos profissionais e especialistas, facilitando o desenvolvimento e a criatividade em áreas específicas, relacionadas a uma melhor visão de negócios, principalmente em modas. “Disse Gleidy Marques”.

BBB 18: Amigos desmentem notícia sobre salário de Gleici

Uma notícia falsa sobre a remuneração de Gleici, participante do BBB 2018, e outra sobre a profissão do pai dela começaram a se espalhar pela internet.

Para tirar todas as dúvidas, amigas da estudante de psicologia fizeram uma transmissão ao vivo, usando o perfil oficial da participante do Big Brother no Instagram.

A moça que estava respondendo aos questionamentos dos internautas se chama Yasmim e negou o fato de um dia Gleici ter tido um salário tão alto.

Com um documento em suas mãos, ela disse que a remuneração sem os descontos era de R$ 2600. Porém, com tudo que era descontado, Gleici recebia pouco mais de R$ 1700 por mês. Esse valor sustenta toda a família e paga a faculdade da acriana.

Dentre os descontos está um empréstimo, que a participante fez para outra pessoa que estava precisando, mas a pessoa não pagou. Ela está tendo que quitar a dívida. As dificuldades financeiras já fizeram a estudante ter que trancar o curso, pois não conseguia pagar.

De origem humilde, Gleici é quem sustenta a casa, de acordo com as amigas. A mãe dela, que era babá, acabou parando de trabalhar pois teve câncer. Já o pai, que na internet chegaram a falar que era rico, era humilde e foi assassinado há pouco mais de dois anos.

A amiga da acriana do BBB 2018 pediu que as pessoas, por favor, evitem de falar sobre o pai dela e não criem esse tipo de notícias, pois toda a família de Gleici ainda está abalada com o que aconteceu.

Com informações horabrasil.

Comissão pede que MPF-AC apure injúria racial contra Gleici, do BBB 18

Grupos sociais querem a quebra de sigilo telemático para descobrir de onde partiu o ataque. Documento foi entregue na Promotoria Regional dos Direitos do Cidadão e deve ser analisado.

Uma comissão pediu que o Ministério Público do Acre (MP-AC) e o Ministério Público Federal (MPF-AC) apurem o crime de injúria racial contra a acreana Gleici Damasceno que está confinada na casa do Big Brother Brasil.

Os grupos de movimentos sociais decidiram procurar os órgãos competentes após Gleici ser chamada de “macaca acreana” em um perfil criado no twitter. O MPF-AC informou que a representação foi entregue na terça-feira (20) na Promotoria Regional dos Direitos do Cidadão e o caso deve ser analisado.

O documento foi assinado por representantes da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Secretaria Adjunta de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seadpir) e Departamento de Promoção de Igualdade Racial (Dpir).

“Desde que a Gleici entrou no BBB ela vem sofrendo. A gente percebe que ela sofre alguns ataques de racismo e menosprezo tanto na casa como fora e nas redes sociais. Ela foi chamada de ‘macaca’ e há ainda internamente os comentários de ‘será que o Acre existe’ que destrói a autoestima das pessoas e o direito humano dela está sendo violado”, afirma Elza Lopes, secretária de Promoção de Igualdade Racial de Rio Branco.

Elza destaca que Gleici é presidente do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial e integrante do movimento negro. A secretária explica que o MPF-AC deve ingressar com um pedido da quebra do sigilo telemático de dados para descobrir de quais computadores saíram as ofensas contra a acreana.

Do G1 Acre