Prefeito de Assis Brasil, Zum, diz que Emerson Leão quer receber mais de 140 mil em conserto de veículos que estão abandonados em Brasileia

Emerson Leão cobra R$ 145.000,00 de manutenção em veículos da prefeitura de Assis Brasil, mas os mesmos estão sucateados e abandonados. 

 Por Alemão Monteiro 

Segundo informações, o veículo foi entregue ao município de Assis Brasil no primeiro ano da gestão do ex-prefeito Humberto Filho.

O descuido com o patrimônio público praticado pelo ex-prefeito Humberto Filho (Dr. Betinho), não teve limites, uma vez que Betinho entregou alguns veículos da prefeitura de Assis Brasil entre eles um seminovo nas mãos de Emerson Leão que ficou responsável pela manutenção dos mesmos.

A equipe de reportagem do site "3 de julho noticias" esteve na oficina 4 Car, localizada na Rua José Meireles no Centro de Brasiléia, onde pôde constatar o abandono do veículo F 4000 de placa MZY 4586  pertencente a secretaria de agricultura de Assis Brasil.

O veículo veio para Brasiléia para ser consertado faltando apenas uma bomba injetora e os bicos, mas agora o veículo está acabado e sucateado, as peças foram quase todas roubadas (fotos abaixo).

Vereadores da legislatura passada fizeram uma denúncia no Ministério Público sobre o caminhão. Na época os vereadores foram recebidos por Emerson Leão que não é o proprietário da oficina, mas era o responsável pelo conserto do veículo e responsável também de devolver para o município de Assis Brasil, mas até o momento os veículos incluindo o veículo F4000 estão abandonados no meio do capim.

A redação do site esteve conversando também com o dono da oficina que afirma que quer que Emerson tire os veículos de sua oficina, pois o mesmo pretende aterrar o terreno para construir um Galpão, mas não tem como por causa dos veículos abandonados por Emerson.

Tentamos entrar em contato com o responsável pela manutenção dos veículos Emerson Leão por via celular, mas por motivos deconhecidos não obtivemos exito nas tentativas.

Prefeito de Assis Brasil Antônio Barbosa do PSDB. O caminhão modelo F4000 da Secretaria de Agricultura do município está jogado na oficina como se fosse lixo na Rua José Meireles em Brasiléia.

Veja o que disse o Prefeito Zum ​

A nossa redação de Noticias entrou em contato com o prefeito Antônio Barbosa (Zum) via celular e durante a ligação o prefeito disse que tentou fazer um processo de licitação para contratar uma empresa que dê a manutenção desses veículos inutilizados pela prefeitura, no caso esses veículos que Emerson abandonou nas oficinas, e inclusive ao ser perguntado sobre a situação desses veículos, o prefeito Zum disse que não tem informações, pois está sobre a responsabilidade de Emerson desde a gestão do Ex-prefeito Betinho.

Zum falou ainda que teve enormes problemas com pregoeiros e acabou não fazendo a licitação, e com isso os veículos continuam no abandono deixado por Emerso, a disse ainda que no início de seu mandato fez um relatório de transição da situação em que encontrava-se esses veículos e esse relatório foi entregue ao Tribunal de Contas, Ministério Público e a Policia Federal, e todos os órgãos de fiscalização tiveram acesso a esse relatório.

E diante do abandono dos veículos, Emerson Leão esteve na prefeitura de Assis Brasil cobrando o valor de R$ 145.000,00 (Cento e quarenta e cinco mil reais) pela manutenção dos veículos, mas como pode esse valor ser cobrado se nem devolvidos para a prefeitura esses veículos foram? E continuam todos abandonados.

Vereador Sabá Moraes afirma que é a favor da cassação do vereador afastado e preso Joelso Pontes do PP

Sabá disse ainda que foi por causa de Joelso, Aldemir Lopes, Everaldo e outros que a população sofreu e alguns funcionários públicos também sofreram sem seus salários em dia e as pessoas foram enganadas.

 Por Alemão Monteiro 

Durante a sessão que aconteceu nesta terça-feira, o vereador Sabá Moraes afirmou na tribuna que se houver ou se a câmara por em  votação para cassar o mandato do vereador Joelso ele será a favor da cassação do vereador que foi afastado e preso durante a operação Labor deflagrada pela Polícia Federal.

Sabá disse ainda que espera que isto aconteça, pois se os que estão presos roubaram, ele não sabe, mas a justiça vai dizer e eles têm que pagar pelo prejuízo causado ao município que sofreu amargamente com os esgotos entupidos, capina e coleta de lixo não era feitos no município e os urubus estavam tomando de conta do município.

Enquanto isso o dinheiro sumia e agora a população está vendo onde foi parar, portanto o vereador afirma que todos têm que pagar, o vereador Sabá diz ainda que Joelso não passa de um ator, na câmara faz um papel e fora faz outro segundo Saba, Joelso tem duas caras e agora as máscaras começaram a cair.

“Ultimamente Joelso andava muito incomodado até bateu na mesinha da tribuna, eu espero que venha para esta casa a votação da cassação dele que eu voto a favor e é por causa do Joelso, Aldemir Lopes, Everaldo e outros que a população sofreu, os funcionários públicos também sofreram sem seus salários em dia e as pessoas foram enganadas, as máquinas ficaram tudo quebradas”, disse Sabá.

Em Rio Branco, homem da facada no próprio irmão por causa de um miojo

O preço do miojo não passa de dois reais, era assim que iria custar a vida de um homem, em Rio Branco.

Uma briga em família ocasionada por causa de um miojo quase terminou em tragédia, em Rio Branco. Segundo informações da mãe da vitima, Gilmar da Silva Sousa estava acompanhado de seu irmão e os dois teriam passado o dia bebendo em um bar próximo de casa.

Ao voltar da farra, os dois decidiram fazer um caldo de miojo pra tirar a ressaca, a mãe diz que depois disso houve uma discussão entre os irmãos e ao chegar à cozinha um dos filhos estava com uma faca na mão e desferiu a facada na região do pescoço de  Gilmar.

O samu foi acionado, a viatura 01 do samu foi até o local e ao realizar os primeiros socorros na vítima levou ele para a UPA da sobral. Segundo o médico do samu, o ferimento teria sido superficial.

Polícia recupera dois veículos roubados em Brasileia e Rio Branco

Em menos de 24 horas Polícia Militar da fronteira Brasileia e da capital Rio Branco recuperou dois veículos roubados.

A Polícia Militar recuperou entre, uma motocicleta e um veículo que haviam sido roubados em Rio Branco e Brasileia.

Em Brasiléia, os militares recuperaram uma motocicleta após frustrarem um furto em andamento, onde os indivíduos empreenderam fuga e abandonaram a motocicleta utilizada no delito, que constava com registro de roubo.

Já em Rio Branco, após contato via ciosp e com ajuda do sistema de localização do veículo, a guarnição conseguiu chegar até o local onde encontrava-se um automóvel que havia sido roubado horas antes.

Ao todo, dois suspeitos foram conduzidos às delegacias especializadas para que todas as medidas cabíveis fossem tomadas.

Vídeo: Prefeito Zum abadona ramais e alunos podem ficar sem transporte escolar em Assis Brasil

A denúncia foi feita pelos pais de alunos que afirmam que os ramais estão em péssimas condições de trafegabilidade e só quem é prejudicado são os alunos e moradores das localidades.

 Por Alemão Monteiro 

Os pais de alunos que moram nos ramais do Km 10 e 13 em Assis Brasil denunciam as péssimas condições que podem deixar seus filhos sem transporte escolar.

Os alunos são atendidos por um micro-ônibus da rede estadual, mas, segundo os moradores da localidade a prefeitura ainda não tratou de recuperar os ramais para que o transporte possa ser feito.

No ramal do km 13, além das péssimas condições de acesso, uma ponte ameaça cair a qualque momento. Já no km 10 não se pode dizer que tem ramal, mas um varadouro por onde só anda algumas camionetes e motoclicletas.

Sem o transporte escolar os pais de alunos ameaçam levar o caso ao Ministério Público.

Por telefone o coordenador da educação estadual em Assis Brasil disse que nada pode fazer senão tiver condições para os ônibus circularem.

"Em se tratando das duas rotas mencionadas não existem condições mínimas para a circulação de nossos coletivos. No caso do ramal do km 13 as más condições de uma ponte põe em risco a integridade física de nossos alunos, podendo ocorrer um acidente ao tentar passar com o veículo cheio de crianças. Nossa decisão será em suspender o transporte escolar até esse ponto do ramal", esclareceu Jerry.

 Veja o Vídeo 

Valadares deita trepa as pernas e fuma em local proibido por lei e ainda esconde as baganas de cigarro

Vereador Francisco Valadares do (PMDB) descumpre lei antifumo e fuma na sala das sessões da Câmara de vereadores e ainda esconde as baganas debaixo da mesa.

 Por Alemão Monteiro 

O vereador Francisco Valadares Neto (PMDB) vem descumprindo a lei de número 12.546 que proíbe o ato de fumar cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos em locais de uso coletivo, públicos ou privados.

Em caso de desrespeito à norma, os estabelecimentos podem ser multados e até perder a licença de funcionamento.

Os estabelecimentos poderão receber advertência, multas que podem chegar a R$ 1,5 milhão (descumprimento das normas sanitárias) e até mesmo serem interditados e terem sua autorização de funcionamento cancelada.

Mas o vereador Valadares não se importa em descumprir a referida lei, tendo em vista, que por diversas vezes o parlamentar usou a sala das sessões para fumar cigarros sendo que o mesmo tem conhecimento das leis por se tratar de um advogado e sabe que está infringindo a lei antifumo.

Com isso o vereador Valadares vem mostrando que não pretende zelar pela boa imagem do poder legislativo, já que vem fazendo uso indevido na câmara. Servidores do poder legislativo afirmam que além de o referido vereador não respeitar os demais colegas ao fazer uso do cigarro no estabelecimento.

Os demais funcionários da Casa se sentem obrigados a ter que sentir o mal cheiro causado pelo cigarro fumado pelo vereador Valadares que quaze todos os dias decide fazer reunião com Emerson Leão, Guerra e o vereador Reinaldo Gadelha começa a fumar e a poluir o ambiente de trabalho dos demais.

De acordo com alguns servidores da casa, o vereador além de fumar em local proibido por lei, não tem modos na casa do povo tendo em vista que ele fuma e deixa as cinzas e baganas jogadas no chão e ainte tenta esconder debaixo da mesa (foto abaixo) e depois a zeladeira fica tendo que limpar a sujeira deixada pelo vereador e seus aliados, se está em reunião junto da oposição em Brasiléia na câmara se deita na cadeira e suspende as pernas em qualquer lugar, servidores afirmam se incomodar com as atitudes do parlamentar.

Em Breve

Em Breve matéria completa sobre uma jovem de Boca do Acre-AM que até hoje tem acompanhamento de um psicólogo. A mãe da jovem ao dar entrevista para um jornalista local começa a chorar.

Boliviana tem bens bloqueados após levar calote de Brasileiro

Casal clama por socorro à justiça brasileira após ter sido avalista de Brasileiro em empréstimo de 17 mil dólares, na Bolívia.

 Por Alemão Monteiro 

Não vamos divulgar o nome do caloteiro vamos chama ele de Brasileiro: O Brasileiro fez mais uma vítima de seus calotes, desta vez trata-se de uma mulher de nacionalidade Boliviana e casada com Brasileiro, ela que foi avalista de um outro Brasileiro, que se dizia Policial Civil no Brasil, para que ele fizesse dois empréstimos em dois Bancos diferentes na Bolívia em seu nome.

A boliviana conta que o Brasileiro era seu cliente há um ano e meio, uma vez que a mesma é contadora e possui um escritório de contabilidade na Rua 9 de Febrero, na galeria Shopping Cobija no Centro ao lado da rádio Jovem Pan (rádio esta em que o Brasileiro comprou e depois não pagou, resultando em sua expulsão do local e desapropriação pela Justiça Boliviana).

A contadora conta que as coisas aconteceram da seguinte maneira: O Brasileiro, como era seu cliente há um ano e meio e lá dizia que era Policial Civil conseguiu enganar a todos. No ano de 2016 conversou com a boliviana para que ela fosse sua avalista de seu primeiro empréstimo que foi no valor de 7 mil dólares no "Banco Sol" e a mesma concordou, já que ele havia se comprometido em pagar cada centavo da conta que estava fazendo em nome dela.

Logo em seguida, o Brasileiro conversou novamente com a contadora pedindo que ela fosse sua avalista mais uma vez, pois o mesmo pretendia fazer o segundo empréstimo desta vez no valor de 10 mil dólares, a boliviana além de ter aceitado mais uma vez, se deixou levar pela conversa fiada do Brasileiro, teve que colocar seu terreno como garantia, já que era uma exigência do "Banco FIE S.A" segundo Banco que aprovou o crédito para o empréstimo.

Após todas as transações feitas nos dois Bancos, e o Brasileiro ter pegado o dinheiro, veio às cobranças, onde está sendo descontadas do salário da boliviana as parcelas de somente um dos bancos sendo ele "Banco Sol".

Já o "Banco FIE S.A" além de ter demitido o funcionário que aprovou o crédito para o empréstimo do Brasileiro, bloqueou o terreno da mulher que foi colocado como garantia no empréstimo de 10 mil dólares, vendo que o Brasileiro havia sumido e estava agindo de má fé com ela, a boliviana decidiu ir até a residência do Brasileiro próximo a escola K.J.K em Brasileia para falar sobre a problemática, mas segundo ela ao chegar à casa do Brasileiro foi agredida verbalmente pela esposa do caloteiro.

A contadora, em entrevista a nossa redação se emocionou ao falar do assunto, pois alega que nunca pensou em passar por uma situação dessas “O Brasileiro é um mentiroso, oportunista e caloteiro que se aproveitou da minha confiança para me prejudicar, eu estou sendo notificada direta pelos bancos querendo pegar meu terreno porque ele não cumpriu com a palavra dele, onde eu moro alaga e eu comprei esse terreno para construir uma casa, mas agora não tem como”, disse ela.

A mesma conta ainda que o Brasileiro também já foi notificado por diversas vezes e alega que não tem como pagar a dívida que contraiu em seu nome. “Ele só fez o mal para aquelas pessoas que quiseram ajudar ele o funcionário do Banco "FIE S.A." foi demitido por culpa do Brasileiro eu estou sendo lesada por culpa do Brasileiro também”, indagou a mesma.

Além da dívida dos empréstimos nos Bancos, o Brasileiro ainda deve 3.200 bolivianos (equivalente a 1.600 reais) em serviços de contabilidade feitos na empresa que ele abriu no país vizinho sem contar nos 7 mil dólares equivalente a 49 mil bolivianos (24.500 reais) e mais os 10 mil dólares equivalentes a 70 mil bolivianos (40 mil reais), ao todo a divida de empréstimos que a boliviana está devendo chega aproximadamente a 119 mil bolivianos que segundo ela seria culpa do Brasileiro.

A contadora afirmou que contratou dois advogados um em Brasileia e outro na Bolívia, já que seu esposo é Brasileiro para fazer com que o Brasileiro assuma essa conta que é dele e segundo ela, “ele vai ter que pagar, pois apesar de não ser policial civil ele é funcionário público então que seja descontado do salário dele e não do meu”, disse a mesma.

Fique de olho, a próxima matéria será sobre umas portas de vidro comprada em nome de uma igreja, a redação já fez uma entrevista com o pastor da igreja.

Inquérito investiga supostos pagamentos pela Prefeitura de Assis Brasil a um “Mercantil”

Inquérito investiga supostos pagamentos indevidos feitos pela Prefeitura de Assis Brasil. Município teria feito pagamentos superiores aos estabelecidos por contratos a um mercantil.

O Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurou um inquérito civil para investigar supostos pagamentos indevidos feitos pela Prefeitura de Assis Brasil, a um mercantil durante os anos de 2013 e 2014.

A Controladoria Interna do município informou que a administração não foi notificada sobre o inquérito civil. O documento é assinado pelo promotor Ildon Maximiano Neto.

Conforme o MP-AC, a denúncia apontava que as quantias pagas ao estabelecimento comercial eram superiores às licitações e contratos celebrados. Por isso, conforme o órgão decidiu apurar se houve algum tipo de fraude que tenha causado “prejuízos ao erário”.

Para a investigação, o ministério solicitou “o fornecimento dos contratos mencionados na denúncia e de suas respectivas licitações, mais ainda as notas de empenho e os comprovantes de transferências financeiras”.

Secretário do prefeito Zum é flagrado em balneário com veículo oficial da prefeitura

Secretário da prefeitura de Assis Brasil é flagrado em balneário com veículo oficial do município em balneário curtindo o final de semana.

 Por Alemão Monteiro 

Leitor do jornal 3 de Julho Notícias enviou ao email da redação imagens do Secretário do município de Assis Brasil curtindo o domingo em um famoso balneário da cidade.

Até aí tudo bem, mas o problema é que o mesmo estava utilizando um veículo de propriedade da prefeitura municipal que deveria ser usado apenas em serviço.

O carro está em péssimo estado de conservação e não tem sequer o para brisas. Mesmo assim a Polícia Militar permite a circulação por questões de necesaidade.

As fotos enviados ao jornal 3 de Julho foram feitas nesse domindo, dia 17 de setembro no balneário do Quincas, km 12 do Ramal São Pedro na zona rural de Assis Brasil.

Everaldo Gomes, Aldemir Lopes, Joelso Pontes e outros formaram uma organização criminosa para receber “Mensalinho”

A operação investiga uma organização criminosa formada por empresários e agentes políticos suspeitos de fraudar licitações. Esquema de fraude teria desviado mais de R$ 1 milhão. 

 Por Alemão Monteiro 

De acordo com os elementos informativos até então obtidos demonstram claramente que os investigados entre eles: Vereador Joelso Pontes (PP), Aldemir Lopes, Everaldo Gomes e outros formaram uma organização criminosa com o intuito de fraudarem licitações para favorecerem  a empresa “Souza e Silva”  e, em contrapartidas, recebiam Mensalmente dinheiro fruto da corrupção, denominada de “Mensalinho” posteriormente a  “Folhinha”.

Nesse sentido, segundo cálculo realizado pela equipe de investigação da Polícia Federal, o dano ao erário foi de aproximadamente de R$ 1.065.001,91 (Um milhão, sessenta e cinco mil, um real e noventa e um centavos).

Assim, buscado minorar os possíveis danos causados ao patrimônio público, é imprescindível a medida cautelar de bloqueio de valores contas e aplicações bancárias dos investigados, até o montante de mais um Milhão, sessenta e cinco mil, um real e noventa e um centavos.

Diante do exposto a vara criminal da comarca de Brasiléia, colheu em parte a representação da autoridade policial para decretar a prisão preventiva dos envolvidos entre outras medidas.

No caso do vereador Joelso Pontes além da prisão decretada, a justiça determinou a suspensão do exercício das funções públicas, onde o mesmo ficará sem exercer a função de vereador pelo prazo de sessenta dias ou mais se permanecer preso no termino desta data.

A justiça determinou ainda o cumprimento do mandado de busca e apreensão de: Documentos, aparelhos eletrônicos que armazenem dados, pendrive, Smartphones e telefones, tabletes, notebook, materiais que tenha relação com os crimes imputados na representação, bem como objetos adquiridos, em tese, com dinheiro proveniente do crime, tais como jóias relógios e quantia de dinheiro superior a R$ 5.000,00 (cinco mil reais), quantia em moeda estrangeira acima deste valor, motos e automóveis utilizados pelos investigados, ainda que em nome de terceiros, ficando a autoridade policial autorizada a proceder à perícia técnica para acesso ao conteúdo constante nos bens apreendidos com lavratura de laudo pericial, em desfavor do vereador Joelso Pontes e demais investigados.

Outra medida determinada pela justiça foi o bloqueio de valores constantes em contas bancárias ou investimentos até o valor causado ao erário em desfavor do vereador Joelso Pontes, Aldemir Lopes, Everaldo Gomes e outros.

Dê-se ciência ao Ministério Público. Dê-se ciência ao presidente da Câmara de vereadores do município de Brasiléia do afastamento do cargo dos referidos membros da casa investigados nestes autos.

Como funcionava o esquema

Investigação da Polícia Federal aponta que após a escolha da empresa ligada à organização criminosa, os agentes políticos eram responsáveis por fazer empenhos acima do necessário para efetivar os pagamentos dos serviços. A diferença entre o valor empenhado e real valor devido pelos serviços prestados eram sacados por representantes da empresa e entregues, em espécie, a membros da prefeitura do município, que eram responsáveis pela distribuição dos valores entre integrantes do próprio Executivo, do Poder Legislativo e de “laranjas” indicados por membros da organização.

O valor desviado no esquema é superior a um R$ 1 milhão, conforme a PF. Mais de 90 policiais federais estão envolvidos nesta fase da operação. Estão sendo cumpridos também 16 mandados de condução coercitiva. A Justiça determinou o afastamento de 3 vereadores e o bloqueio de contas e sequestro de bens de 14 investigados. A Polícia Federal não divulgou o nome dos envolvidos.

Ainda conforme a PF, o nome da Operação é uma referência direta à atuação desses dois indivíduos, que ocupavam posições de comando na Organização Criminosa formada para dilapidar o erário público daquele Município.

Na mitologia grega, Apate e seu correspondente Dolos são espíritos que personificam o engano, a fraude e a malícia.